terça-feira, 15 de janeiro de 2019

OUTROS TEMPOS



Viver é Perigoso

FALOU E DISSE


Muito cômodo conceder uma entrevista em Paris. Mas FHC tem direito a isso. Em conversa com a RFI, fala sobre sua visão do momento político brasileiro. E até que não está muito longe da verdade em que acreditamos;

RFI - Em uma entrevista recente, o senhor falou que, se este governo for de extrema direita, seria oposição. Ainda existe esta dúvida se é ou não um governo de extrema direita?

FHC- Não, não tenho dúvidas. Eu seria oposição de qualquer maneira, eu não votei nele. E eu não votei nesse porque tinha um outro candidato [em quem votar], de um outro partido, e também porque eu não concordo com as ideias que ele expressou durante a campanha. Agora isso não me leva a dizer que o governo vá ser um governo que quebre as regras democráticas, isso é outra coisa. Eu discordo da orientação política e acho que o que eu tentei dizer foi o seguinte: na eleição, não houve uma votação de escolha entre esquerda e direita, entre democracia e ditadura. Isso não estava em jogo. O que estava em jogo era esta irritação da população com a corrupção e pela existência de uma violência espraiada no país. Eles queriam ordem. Foi mais em função de simbolizar a ordem e não estar vinculado a processos corruptivos que levou Bolsonaro à eleição. O que não quer dizer que o governo não tenha dentro dele elementos de direita. Tem.

RFI – E de extrema direita?

FHC – De extrema direita. Com visão bastante reacionária, em alguns setores. Agora, isso vai prevalecer? Aí depende, depende do jogo da sociedade, depende da resistência do Parlamento, da imprensa, não é tão simples assim. As pessoas quando ganham, não fazem tudo o que querem. Eu fui presidente eu não fiz tudo o que eu queria. Não se consegue, a sociedade existe. Então eu acho que a oposição precisa sempre existir. Na democracia, é necessário que exista oposição. Agora oposição, ao meu ver, o que não pode é ser destrutiva, no sentido de dizer que tudo o que vai ser feito pelo governo é errado porque vem do governo. Eu não sei, o que fizer errado eu sou contra. O que não tiver errado, por que eu vou ficar contra? Eu digo errado no sentido do bem-estar do povo, do crescimento da economia, da manutenção das regras democráticas. Se houver e quando houver atentado quanto a estas questões, eu acho que quem está na condição deve protestar, deve reagir.

Viver é Perigoso

MOMENTOS MÁGICOS



Não é a primeira vez que Katelyn Ohashi tira uma nota 10 redonda e absoluta em seus exercícios de ginástica artística defendendo a equipe da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), mas o que recebeu neste fim de semana no Collegiate Challenge (no qual participaram veteranos da UCLA e ex-aspirantes aos Jogos Olímpicos atingiu um novo nível: tornou-se viral.

O exercício que realizou no sábado, com trilha sonora inspirada em Michael Jackson, fascinou e surpreendeu as redes: tem mais de 12 milhões de visualizações no Twiter. Ohashi é o fenômeno desta segunda-feira na rede, mas possui um currículo impactante: este foi o quarto 10 perfeito que conseguiu em menos de um ano na equipe universitária a que pertence. (El País)

Viver é Perigoso

SOBRE A GREVE DE MÉDICOS NA SANTA CASA



"Tenho a informação de que foi repassado um dinheiro para a Santa Casa pagar médicos e estão pagando fornecedores. "

 Prefeito de Itajubá ao Jornal (IN, sim é claro). 

Blog:  Pelo que dá a entender, teria ocorrido abuso e incompetência dos gestores da nossa Santa Casa.  Imaginem só, nesse momento difícil, desviarem recursos para o pagamento de fornecedores. Talvez de produtos dispensáveis, como oxigênio, remédios, alimentação, material de urgência e  de limpeza. Onde se viu isso ? Irresponsabilidade no extremo.

Ah !  carinho e gratidão não faltam. Só recursos.

Viver é Perigoso

O CULPADO

Viver é Perigoso

DANDO SOPA PARA O AZAR


Dois empreendimentos implantados com sucesso. Um consolidado, que é o caso do Restaurante Popular. Talvez, pelos benefícios prestados, a maior conquista dessa Administração. O outro, o cinema Classe A, preencheu um vazio existente na cidade e tem tudo para seguir adiante.

Pelo postado no Facebook, em ambos os casos, aconteceu a intervenção direta do dedicado e já experiente político, Secretário Robson Vaz.

Tudo bem...trabalho em equipe funciona assim, mas conhecendo a chefia, o nobre Secretário está, de certo modo, dando sopa para o azar e uma catracada não estaria longe. Senão vejamos:

Caso do cinema - Noticiou o Secretário Robson

"Comecei a negociar a vinda do Cinema Cine A para Itajubá a 2 anos. Hoje este sonho vira realidade. 
O melhor cinema de rua do Brasil e o primeiro cinema autossustentável da América Latina. 
O Cine A, está gerando empregos, impostos, turismo regional, lazer e qualidade de vida. 
Me sinto honrado por ser o responsável por esta conquista, por ser a pessoa escolhida por Deus para correr atrás do empresário Silvio Gutierrez, dono da rede Cine A, apresentar Itajubá e dar o ponta pé inicial para este sonho virar realidade."

Caso do Restaurante Popular - Noticiou o Secretário Robson:

"O Restaurante popular é mantido pela minha Secretaria de Desenvolvimento social, sendo um dos mais importantes avanços sociais de Itajubá."

Sei não...

Em tempo, o Secretário Robson poderia dar uma passadinha na Boa Vista, mais precisamente nas proximidades da Igreja São José e observar a, quase multidão, de moradores de rua, abandonados, em condições precárias de sobrevivência, carentes de atenção das autoridades públicas.

É segue a vida...

Viver é Perigoso

NOSSA SANTA CASA


Sobre nossa Santa Casa:

Em 2 de maio de 1887, por iniciativa do Sr. Arlindo Vieira Goulart, foi fundada a Sociedade Beneficente Itajubense. 

A Sociedade funcionou num prédio existente na esquina das atuais Rua Cel Rennó e Comendador Schumann, na Praça Dona Amélia Braga. Instalaram-se ali, custeadas pela caridade pública, as primeiras enfermarias, destinadas todas a doentes pobres e, um modesto serviço de ambulatório.
Funcionou também uma sua dependência num prédio existente no final da atual Avenida Cesário Alvim, na subida da atual Santa Casa.

Em 10 de outubro de 1900, após cumprir imensos benefícios, a Sociedade foi remodelada e ampliada, recebendo a designação de Santa Casa de Misericórdia.

Com recursos deixados em testamento pelo Dr. Domiciano da Costa Moreira e com auxílio de verba vinda de subscrição popular, foi adquirido pela Santa Casa o prédio da esquina da atual Dr. Pereira Cabral e Comendador Schumann, na mesma Praça Dona Amélia Braga.

A pedra fundamental do prédio da Santa Casa, como conhecemos, foi lançada em 28 de novembro de 1920. A planta foi elaborada pelo francês, Eduardo Piquet e a construção foi administrada pelo Sr. Moisés Luigi. A inauguração ocorreu em 24 de outubro de 1925.

Em 8 de setembro de 1941, foi lançada a pedra fundamental da Maternidade Xavier Lisboa, tendo sido inaugurada em 25 de dezembro de 1944. 

A iniciativa da sua construção foi do Dr. Gaspar Lisboa e muito contribuíram para a sua construção, o Dr. Venceslau Braz, Cel Alcides Faria, Dr. José Lima Medeiros, Hugo Jannotti, Antonio Simão Mauad, Maurício Kaisermann, Dr. José de Azevedo e muitos outros cidadãos.

Contou também com a ajuda do Governo Federal (50 mil cruzeiros), da Prefeitura (5 mil cruzeiros) e da LBA - Legião Brasileira de Assistência (25 mil cruzeiros).

Registro do escritor Armelim Guimarães.

Blog: Antes que digam coisas sem conhecimento, fui membro da irmandade e ajudei diretamente como membro da provedoria por dois anos. Período difícil, quando para cá vieram os Camilianos e reformado os Estatutos.
Lá estive por uns dias na UTI. Lá vi meu pai e minha segunda mãe com vida pela última vez. Lá visitei minha mãe um pouco antes dela partir. Na Maternidade nasceram nossas duas filhas.

Viver é Perigoso