sábado, 14 de dezembro de 2019

NÃO PERCA O SEU LATIM


Caio Plínio Segundo, conhecido como Plínio, o velho, nasceu no ano de 23 e tomou o barco no ano de 79. Foi um naturalista romano que escreveu um tratado denominado "Naturalis História" com 37 volumes.

Conta Plínio o velho, que um sapateiro se dirigiu ao pintor Apeles de Kos apontando um defeito em uma sandália nos pés do personagem de um quadro. Apeles entendeu, concordou e prontamente corrigiu a pintura.

Incentivado por isso, o sapateiro, pôs-se, logo em seguida, a julgar-se no direito de ampliar a sua perspectiva e, assim, apontar outros (supostos) defeitos que ele também considerou presentes na pintura.

Nessa ocasião, Apeles, em sua justa reserva, uma vez que era o dono da obra, aconselhou-lhe:

Sutor, ne ultra crepidam 

Que vem a ser uma expressão latina que significa, literalmente, "sapateiro, não vá além do sapato", usada para alertar as pessoas a evitarem emitir ou transmitir algum julgamento que comporte conhecimento além de sua especialização. 

Viver é Perigoso

Um comentário:

Anônimo disse...

Boa!!!