segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

FALOU E DISSE !


O presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Victor Luiz dos Santos Laus, disse ao Estadão :

Nunca um advogado disse ‘meu cliente é inocente, meu cliente não tem nada a ver com isso, não há uma prova nesse processo". 

O que eu fiquei ouvindo, durante cinco anos, foi: 

"Há uma nulidade, porque aquele documento é preto, e devia ser verde; aquele portão não abriu mas devia ter aberto; ah porque o juiz espirrou em vez de tossir; ah, porque o promotor falou muito alto, e o meu cliente ficou com medo. 

Nunca ouvi uma defesa de conteúdo material – e nós, como juízes, não podemos idealizar a forma e sacrificar o conteúdo. A verdade é essa”.

Santos Laus, é desembargador do TRF-4 desde o penúltimo dia 30 de dezembro de 2002, quando o então presidente Fernando Henrique Cardoso o escolheu, de uma lista tríplice.

Viver é Perigoso

3 comentários:

Anônimo disse...

Interessante nisso tudo e especificamente no caso do julgamento do Lula na ação do sítio de Atibaia é que nenhum petista ou Zanin explica por que 2 grandes empreiteiras fizeram as reformas sem cobrar nada dos ditos sócios verdadeiros? Por que? Por que? cidadão preocupado

Edson Riera disse...

Cidadão Preocupado

Pior disso é a Operação da Polícia Federal realizada hoje. Grana da OI para o filho do Lula e sócios e daí para a compra do sítio.

Zelador

Anônimo disse...

Realmente o Zanin disse que o processo é político, mas nunca apresentou provas que a foto do Lula com o Leo Pinheiro no triplex era falsa.O Zanin não refutou a prova que a cozinha do triplex e do sítio de Atibaia foram compradas no mesmo dia pela mesma pessoa e pagas em dinheiro vivo. E que este dinheiro não veio do Lula ou do Bittar dono do sítio.
Contra os fatos não há argumentos.