domingo, 17 de novembro de 2019

PANORAMA VISTO DA PONTE


Como recomendou um comentarista do "viver é perigoso" o melhor a fazer é esquecer esse projeto maluco do Prefeito e seu Vice de aprovar, dentro do Plano Diretor, o aterro da Várzea do Ribeirão Piranguçu. 

O Executivo tem sob controle a maioria absoluta da Câmara Municipal, a contar do seu presidente, mesa diretora e comissões em geral.

Não podemos chegar ao exagero de pensar que não existem gotas de democracia vindas da Administração Municipal. Por exemplo, os vereadores tem tido a liberdade de discutir a alimentação dos pombos de rua. Fundamental.

Sorte dos três vereadores evangélicos que se o Executivo exigir a suas conversões imediata, com todo o respeito as crenças e religiões, ao islamismo e outras. Acatariam na hora.

Vai prevalecer a esfarrapada desculpa da necessidade de área para implantação de novas empresas. Áreas estão sobrando. 

Partindo do princípio que a prioridade reafirmada nas manchetes do jornal e rádios, a prioridade seria a atração de empresas de base tecnológica, no início de 2018, a Unifei cedeu uma área de 458.000 m2 para a Inovai, entidade, com a participação (?) da prefeitura para implantação e gestão do Parque Tecnológico.

E....?

Pobre terrinha. Até as crianças do Grupo Escolar Rafael Magalhães, na Boa Vista, é claro, sabem dos interesses comerciais envolvendo a área da Várzea do Piranguçu. Conhecem o passado, a determinação no presente para o aterro e só não sabem sobre o futuro.

Sobre o futuro da área é melhor desenhar.

Os proprietários da área, como já fizeram com uma área já liberada anteriormente para o aterro, irão desbastar um morro (possivelmente também de sua propriedade), promovendo mais um loteamento, descarregando a terra na várzea.

Empresas que não se aproximaram do município nos últimos 8 anos, entusiasmadas com a nova área, virão correndo. A cessão de área é de responsabilidade do município e lembrem-se a área a ser aterrada continua particular. A prefeitura terá que pagar indenização para a desapropriação do terreno e doação para as futuras empresas que se interessarem em vir para a cidade. Como recursos públicos continuarão escassos, funcionará a tradicional e velha permuta. Ou seja: área aterrada por área nobre.

E...?

Ainda, a prioridade para instalação de empresas tecnológicas é para tempos de bonança. A Brilux, empresa nordestina que teria comprado o prédio da antiga Hora Minas é uma bem sucedida fabricante de detergentes, amaciantes de roupas e produtos de limpeza em geral, recomendados (nas próprias embalagens) para serem armazenados longe do alcance de crianças, foge um pouco do viés tecnológico tradicional. Instalada na cabeceira do Rio Sapucaí, na certa exigirá cuidadosos e elevados custos no controle de resíduos. Mas, empregos é a prioridade, até então, relegada em segundo plano.

Vamos lá...

Viver é Perigoso

13 comentários:

Anônimo disse...

E...? Apartir do momento q a cidade tem uma CM representando a sua gente, afinal somos eles, uma midia "independente", , 17 senhores discutindo POMBINHAS, nomes de ruas, fazendo politicagem com assuntos definidos, enfim, é brincar e iludir o povo, falta foco, responsabilidade, e não economicidade pra devolver verba! Estamos lascados, e ai manda mesmo quem de direito na maioria! E fica a minoria pulando a toa! Me engana q eu gosto! Eu heim

Anônimo disse...

A Brilux nao é para 2022? Se vier! Ah..

Anônimo disse...

Num sabe Zela Dor???!!!
Esses ditos vereadores "evangélicos" estão sendo iniciados na maçonaria.

Anônimo disse...

Infelizmente essa questão da INO que não VAI, parque tecnológico, etc. não são prioridades desde 2013. De que adianta a universidade ceder área? quanto que a secretaria municipal correspondente tem para investimento no orçamento? Parece que continua não tendo nada! só custeio! Agora a secretaria de obras, para o outro parque, tem muito! Com essa crise de desemprego vê se agora é hora de investir em um novo acesso para o parque? quanto foi gasto? Inversão total de prioridades. cidadão preocupado.

Edson Riera disse...

Presbiterianos na Maçonaria ?

Há discordância centenária.

Zelador

Edson Riera disse...

Quem deve estar se arrependendo é a Reitoria da Unifei. Cederam a área por 50 anos. O governo federal, de certa forma, está incentivando as Universidades e desfazerem de bens imóveis para fazer caixa e investir.

Duvido que algum dos parceiros da Inovai (exceto a Unifei) ande colocando alguns centavos no projeto. Agora, nos tempos de vacas gordas, de mãos dadas com o Sebrae, andaram excursionando pelo mundo.

Zelador

Anônimo disse...

Esquece, Inovai? NAO VAI! NUNCA...

Anônimo disse...

A grande questão municipal nunca é realmente debatida.
Vcs ficam falando de Inovai, vereadores, parque...
Tudo besteira.
O que eu quero saber é como a Leandra despenteia o cabelo daquele jeito.
Huck Finn

Anônimo disse...

A Inovai ta indo bem.
Apesar da Unifei e Prefeitura atrapalharem, a incubadora ta andando.
Lógico que ela nao é solucao pra nada.
Talvez no looooonnnnnggggoooo prazo

Anônimo disse...

Alguém sabe informar o que que resultou de prático daquela viagem aos states?

Anônimo disse...

Alias Riera, terça feira agora o vice presidente Mourão estara aqui no 4be, hora de pedir a ele q mande o min Pontes da C&T, dar uma olhadinha no Projeto Tecnopolis e na Rota 459, so isso resolveria o nosso futuro! Simples!

Anônimo disse...

Pela reação do alcaide na rádio hoje tem muita coisa em jogo na votação da CM. Muita!

Anônimo disse...

Compras. Muitas compras.