terça-feira, 12 de novembro de 2019

A MARCHA DA INSENSATEZ


O assunto não deveria nem ser discutido. Aprovação pela Câmara Municipal para que empresários promovam o aterro da Várzea do Ribeirão Piranguçu, conforme vontade do atual Prefeito e de seu Vice.  Primeiro porque tem um histórico público de interesses envolvidos. Já bastaria.

A desculpa que a área a ser aterrada é necessária para a implantação de novas empresas não faz sentido. Áreas disponíveis existem e não são poucas. Argumento débil.

Além da agressão ao meio ambiente, conforme parecer de especialistas, colocam em risco um empreendimento consolidado, que é a unidade industrial da Mahle, que inclusive já se posicionou oficialmente sobre o assunto.

A votação da Emenda nº 01 ao Projeto de Lei 4358/2019, apresentada pelo engenheiro e vereador independente Santi, que diz não ao aterro da várzea do Ribeirão Piranguçu, deverá ser votada na reunião ordinária da Câmara Municipal na próxima segunda-feira.

Do total de 17 votos, seguramente, seis deles virão dos conscientes vereadores Santi, Cleber, Fabrício, Jorjão da Saúde, Marcelo Krauss e Ricardo Zambrana. Não basta.
O prefeito e seu vice detém a maioria. Os fieis aliados Molina, Kener, Renato, Sr. Melo, V.Bananeiro, Zé Maria, Wilson e Zé Pequeno, como praxe, deverão acatar as instruções vindas do Centro Administrativo.

O presidente, Vereador Sebastião Silvestre, caso por milagre seja chamado para um voto de desempate, certamente apoiará o aterro.

Numa situação difícil ficará o Vereador Joel, que em passado recente se posicionou, preocupado com a influência negativa do intervenção na Várzea no Bairro Jardim das Colinas. É aliado do prefeito, mas a coerência pesará.

Surpresa, mas nem tanto, é o possível posicionamento favorável ao aterro, da Vereadora Mônica. Simplesmente ela é filiada ao Partido Verde, que carrega a bandeira ambiental.

A grande verdade é que acontecer o previsto, ou seja, a vitória da insensatez, a responsabilidade total e exclusiva ficará para os aterradores, desculpem-me, para os vereadores defensores do aterro.

Além de outras consequências, serão responsáveis pela redução nos possíveis novos investimentos das empresas possíveis de serem afetadas com as previsíveis enchentes. E oxalá não ocorra transferências de linhas de produção.

Ano que vem, durante a campanha eleitoral, lembranças certamente virão.

Curiosidade: 100% dos vereadores evangélicos são pró-aterro.

Orem.

Viver é Perigoso      

2 comentários:

Anônimo disse...

Esse tema bem explorado na campanha do ano que vem vai dar muita dor de cabeça ao(s) candidatos oficiais. Vereadores inclusive.Hoje não existe assunto que polarize mais. nem a perseguição empreendida aos ditos "inimigos". observador contumaz

Anônimo disse...

Q bobagem, 11x6 e punto! Melhor cuidar dos POMBINHOS!eu heim