quarta-feira, 4 de setembro de 2019

A MÁQUINA


De repente, após viver dezenas de anos mal observando a sua presença na parte externa da casa, fomos apresentados. Não que estivesse silenciosa esses anos todos. Pequenos ruídos de um sacolejar macio. Rápidas manifestações sonoras.

Tempo passado sem perceber e valorizar o seu desempenho.

Até que impelido pela necessidade, meio assustado, me aproximei. De longe, a experiente orientadora informava sobre os passos a serem seguidos.

Maravilha ! Como fiquei tantos anos anos sem ter contato direto com a máquina de lavar roupas.

Toda eletrônica e com muitas opções de trabalho. Claro que precisa ser alimentada com uma pitada de sabão em pó e quando do enxágue, uma outra de amaciante levemente perfumado.

Puxei um banquinho, sentei-me e coloquei-me a assistir o seu trabalho. Extraordinário.

Uns ligeiros movimentos para ajeitar a roupa colocada em seu interior, uma porção de água, mais balanço e assim vai.

Tardiamente estou concluindo que antes do computador, do som e da TV aparelhada, vem a máquina de lavar roupas.

Talvez eu seja um dos poucos a descobrir a magia do seu funcionamento. Coloco a roupa e sento para lidar com os controles. Quando o tempo permite costumo a assistir uma sessão completa. Chego a ficar triste com o "The End" e tenho que me retirar para colocar a roupa no varal.

Viver é Perigoso    

Nenhum comentário: