terça-feira, 13 de agosto de 2019

OBEDIENTE ESFORÇO SUPREMO


Impressionante o procedimento dos vereadores Sampaio, Bão, Renato, Bananeiro e  até do Fabrício Machado, responsáveis pela Comissão de Obras da Câmara Municipal de Itajubá.

Com a maior desfaçatez do mundo apresentaram a Emenda nº 27 para o Projeto de Lei 4358 que aprova o Plano Diretor.

Sutis como elefantes dançando valsa em uma loja de louças,  insistem na proposta de autorizar o famigerado aterro de módicos  52.000 m2 na Várzea do Ribeirão Piranguçu, na tentativa desafinada de insinuar uma preocupação ambiental comparando com o aterro proposto inicialmente pelo Prefeito, de 160.000m2.

Lojinha de indianos, com todo o respeito, pedem 160 e acabam fechando por 52.

Chegam a justificar na proposta um pedido de aterro que teria sido feito pela empresa Mahle há 15 anos para a construção de uma "despropositada" área de lazer para os seus funcionários. Absurdo !

Ah ! concluem que a agressão ambiental em questão, "atende uma demanda prioritária município que é disponibilizar áreas de grande potencial econômico (sic) para a implantação de novas empresas e geração de empregos, garantindo desenvolvimento responsável re real para nossa cidade"  

Considerando as áreas existentes no município, a nulidade total e absurda desse governo nos últimos sete anos na geração de empregos, o histórico empresarial do terreno e a pirraça inexplicável para com a Mahle, maior arrecadadora e empregadora do município, tão somente Franz Kafka e Salvador Dali  para definir o absurdo e surreal.

E o triste: vai ser aprovada pela maioria obediente.

E aguardem: nenhuma surpresa se a área a ser agredida, ou melhor aterrada, por falta de recursos públicos municipais para desapropriação, ser trocada por outra mais interessante num futuro próximo. O que não falta na terrinha e gente de bom coração.

Como diziam na Boa Vista, é claro, esse troço aí é do dia 7 de agosto/2019

Viver é Perigoso 

14 comentários:

Anônimo disse...

Ouço gargalhadas e tilintar de moedas vindos dos fundos do Pinheirinho!!

Vou usar aqui uma frase vergonhosa que li essa semana, com as devidas correções de local e personagens:

"“Eles não se intimidam. Continuam fazendo, os poucos ministros, atos cada vez mais escandalosos. Parece que tudo isso aqui não os intimida. Quem pode fazer [algo para mudar] está aqui. E não consegue fazer. (…) Vão dizer: ‘Ah, esse pedido [de impeachment] aí não vai prosperar, não. Esses senadores aí não têm poder para nada’.”"

Anônimo disse...

Como da outra vez.Queriam 300 mil metros de aterro. Deixaram por 150 e a câmara aprovou 48.Enredo combinado. Aprovados os 52 agora já conseguiram 100. Lembremos que os que votaram pelo aterro e outras questões perderam a eleição seguinte. Rui, Wilson, Fernando......Estranha-se que nem a irmã consegui convencer o Fabrício. Santo de casa não faz milagre.

Anônimo disse...

Zelador, tem um velho ditado popular que diz "de grão em grão a galinha enche o papo". Ditado antigo e que o atual prefeito e seus vereadores usam com sabedoria. Ano que vem teremos novas alterações no Plano Diretor para aumentar um pouco mais esta área a ser aterrada. É esperar pra ver.

Anônimo disse...

O prefeito comprou com seus amigos este terreno barato pra ganhar muito dinheiro, certo? Agora que é a hora de ganhar muito dinheiro a oposição quer impedi-los? Estes vereadores de oposição precisam parar de fiscalizar o prefeito. Os funcionários da Mahle e da Helibras que preparem as galochas porque mais áreas serão aterradas até o fim do mandato. Compromisso é compromisso, tem que ser honrado, custe o que custar. O prefeitão está cumprindo seus compromissos.É simples, pra que complicar!

Anônimo disse...

Este negócio de gerar empregos e renda é bobagem. Este prefeito é inteligente, ele consegue gerar muita renda, gerando desempregos. Basta ir no parque municipal em dia de festa pra comprovar este fato.

Anônimo disse...

O prefeito Chico Marques desaterrou o rio Sapucaí e os ribeirões da nossa cidade. Agora vem o prefeito Rodrigo Riera aterrando a várzea do distrito industrial. Chico desaterrou, Rodrigo aterra; Chico evitou as enchentes, Rodrigo quer enchentes; Chico gerou empregos, Rodrigo gera desempregos. Estes dois não se entendem mesmo.

Anônimo disse...

Zelador, me ajude a esclarecer estas dúvidas. Um empresário deseja instalar a sua indústria no Sul de Minas. Todas os prefeitos das cidades da região, interessados nos novos empregos e renda que serão gerados por esta fábrica, certamente vão DOAR a área ao empresário. O prefeito de Itajubá, vai dizer para este empresário comprar de seus amigos a área aterrada no distrito industrial ou o prefeito vai desapropriar e indenizar esta mesma área para doa-la ao empresário? Se o empresário tiver que comprar esta área, Itajubá vai perder mais esta fábrica, claro, pois os outros prefeitos farão DOAÇÃO da área que o empresário precisa. Mas se a prefeitura de Itajubá for desapropriar e indenizar esta área que o prefeito está autorizando seus amigos aterrarem, para DOÁ-LA ao empresário, não é a prefeitura que vai perder muito dinheiro? Pois ao permitir o aterro destas áreas o prefeito está ajudando a valorizá-las. Ou será que é isto que o prefeito quer? Ao invés de se preocupar com o aterro do terreno de seus amigos, o prefeito não deveria se preocupar em melhorar as condições de centenas de milhares de metros quadrados de terrenos dos diversos distritos industriais que a prefeitura possui, para torná-las atrativas para os empresários?

Anônimo disse...

Continua "ensurdecedor" o silêncio do Sindicato das Indústrias, do Sindicato dos Trabalhadores, da ACIEI, da CDL, da própria Helibras, neste caso do aterro destas áreas, que representa um enfrentamento irresponsável do prefeito Rodrigo Riera e seus vereadores aliados, contra a Mahle. É um risco enorme que Itajubá está correndo, de ter mais desempregados do que já tem. Assim tem sido a vida em nossa cidade nos últimos seis anos e oito meses!

Anônimo disse...

Manobra politica do Rodrigo pra conseguir aterra o que ele queria mesmo
Deste 2013 ele vem fazendo isso
Coloca a medida grande e depois
Algum vereador submisso ao prefeito apresenta uma emenda bem menor
. E com isso ele consegue aterrar que ele quer...

Anônimo disse...

Antigamente, bem antigamente, as entidades sindicais patronais ou não existiam para defender seus associados.A Mahle deve ser de um deles. Agora com o setor politizado ou interesseiro passam ao largo das grandes discussões municipais. Bota silêncio comprometido e ensurdecedor nisso!

Anônimo disse...

Alguém consegue responder as dúvidas do post das 11:51? hein?

Anônimo disse...

A marcha da insensatez.

Anônimo disse...

Resposta para o post das 11h51

O terreno é privado e será aterrado por interesse, umbilical, do sr prefeito "antigo" proprietário da área.

Quando uma determinada empresa se interessar pelo terreno em questão o sr prefeito fará uma decreto de desapropriação (lembrem-se do caso do terreno da Alteco(?) onde esta sendo construído o atacadão ABC?) ou uma proposta de compra pelo município, preços lá em cima, desta mesma área e fará a "doação" para a empresa interessada.

Simples assim.

Ps. Ano que vem tem eleições municipais e, claro, não tem nada uma coisa com outra.

Anônimo disse...

Sobre a justificativa dos vereadores e certos administradores municipais lembrei-me do inesquecível Millôr: "As pessoas que falam muito, mentem sempre, porque acabam esgotando seu estoque de verdades."
Millôr Fernandes