sexta-feira, 12 de julho de 2019

PREMEDITANDO O BREQUE


O Presidente Bolsonaro criticou a  autonomia das universidades federais e disse que tem evitado nomear reitores que tenham relação com partidos de esquerda.

Comentou o presidente: "coisas absurdas têm acontecido dado a autonomia das universidades. Ali virou terras deles, eles que mandam" .

Considerando a vontade presidencial de nomear para o STF um ministro "terrivelmente" evangélico, comenta-se localmente as grandes chances do próximo magnífico reitor da nossa Escola (Unifei para os que estão chegando agora) ser um professor (terrivelmente?) evangélico, no caso, o vereador Molina, que reza (êpa) na mesma cartilha bolsonarista e também do prefeito municipal.

Comentar o que já aconteceu é um saco. O interessante é tentar premeditar o breque, o que pode ter dois resultados: ou abre ou fecha caminho.

Outro dia foi publicado no Facebook o lançamento da pré-candidatura do médico Dr. Bob para a prefeitura municipal. Tem todo o direito. Sempre envolvido na promoção de shows e eventos promocionais diversos e ex-candidado a deputado. Simpático.

Imagino que assumindo o compromisso de minimamente alterar o quadro de assessores, continuar investindo no parque e em festas, manter a Santa Casa de Misericórdia em segundo plano, comprometer-se em encaixar na administração municipal os candidatos a vereador aliados (não eleitos), seguir com o aterro de áreas alagáveis, não permitir acesso aos questionamentos feitos nas administrações anteriores, manter a mídia sob controle e claro, não dar tréguas  aos adversários, o Dr. Bob poderá contar até com o apoio do atual prefeito.

Com qualquer outro posicionamento sobre os itens mencionado, será um candidato de oposição. 

É a vida...

Viver é Perigoso     

6 comentários:

Marco Antonio Gonçalves disse...

Zelador,

não sei se Molina vai ser indicado para reitor, mas o fato é que ele não é nem um pouco querido (para não dizer coisa pior) dentro da universidade por docentes e alunos. Não acredito nessa possibilidade e se isso vier a acontecer, vai ser horrível para a Unifei. Molina perdeu o apoio oficial de sua base (algumas igrejas presbiterianas da cidade) e vai ter muita dificuldade para se reeleger.

Dr. Bob estava cotado para sair candidato pelo grupo do prefeito, mas se filiou ao PTB de Dr. Jorge. Acredito que deva sair do lado oposto ao prefeito. Até porque se RR não apoiar Christian será uma deslealdade sem tamanho. Mas também não sei se ele se importa com tais princípios. Ainda tem muita água para passar debaixo dessa ponte, mas é sempre bom fazer conjecturas.

Edson Riera disse...

Marco Antonio -

Ultimamente não tenho duvidado de quase nada na área da política. De longe, vejo o Molina e o Melo, com braços direito e esquerdo do prefeito. Aparentemente, o Christian não tem "pegada" para enfrentar uma campanha dura. O grupo do prefeito não sai de casa de manhã sem ler uma pesquisa. Os números dirão quem carregará nas costas o apoio do prefeito. Até o ano que vem ainda estará mais pesado.
Concordo com relação ao desgaste do Prof Molina. Mas não será impossível a pressão de uma força superior. Pensando em 10 vereadores, imagino que 3 deles, caso se interessem, terão grandes chances de reeleição. Para os outros, uma montanha de dificuldades e cobranças.

Você tem uma visão real da política local.

Abraço

Zelador

Anônimo disse...

Senhor Zela Dor! De Acordo com a lei eleitoral o Vice pode ser candidato? Se sim, a lei é falha pois, assim teríamos uma ditadura. O RR ficou 2 mandatos, o vice, agora, ficará 2, depois o RR volta para mais 2...
Outra coisa, não foi aprovada uma lei que acaba com a reeleição para os cargos executivos?
Quanto às próximas eleições para vereadores, teremos muitas surpresas, visto que será a primeira com o fim das coligações. Corremos o risco de apenas 2 ou 3 partidos ficarem com todas as vagas.

Anônimo disse...

Comentando as colocações acima: 1- Claro que vice pode ser candidato a prefeito evidentemente . Cargos diferentes. Só não pode assumir no período anterior as eleições; 2-Ficará 2 mandatos se ganhar e for reeleito; 3- passaram 2 emendas constitucionais proibindo a reeleição para cargos executivos( uma das heranças malditas de FHC). Uma na Câmara e Outra no Senado. Falta aprovar uma delas na outra casa. Lembrando que precisa de maioria de 3/5;4- realmente acabaram as coligações para cargos com eleição proporcional. Teremos muitas novidades e dificuldades pois no caso da terrinha teremos 11 vagas de vereadores. observador da cena

Anônimo disse...

Anônimo Zela Dor, pelo que eu entendi da nova lei eleitoral os partidos que não fizerem o coeficiente eleitoral não participam da primeira chamada de vereadores, mas na segunda chamada, para completar o quadro de 11 vereadores, eles participam. Isto fará com que mais de 2 ou 3 partidos participem da nova Câmara Municipal.

Anônimo disse...

Conheço o Professor Molina (da UNIFEI) e o Carlão (da Igreja Presbiteriana). Além disso, acompanho o Carlos Molina (vereador). Por isso me arrisco a apontar alguns erros (na minha opinião) da postagem e dos comentários.

"comenta-se localmente as grandes chances do próximo magnífico reitor da nossa Escola ser... o vereador Molina"
Não há a mínima chance, pelo motivo principal de que ele não pensa nisso (além de outros motivos). Fora que a vaga no legislativo parece ser a máxima pretensão dele na "política".

"ele não é nem um pouco querido dentro da universidade por docentes e alunos"
Pelo que pude perceber nos corredores da universidade, apenas a turma progressista barulhenta (que nunca seria simpatizante ao Molina) se revoltou com ele (mais por conta do "Escola Sem Partido" do que por qualquer outra coisa). A maioria da universidade ainda é, digamos "conservadora" e parece ter apoiado o Molina no episódio do "reitor nervosinho" e tals... Eu estava na reunião do CONSUNI quando ele esteve presente e ele se saiu muito bem, embora estivesse (naturalmente) um pouco nervoso... e muitos o elogiaram após esse episódio, que terminou com o assunto.

"Molina perdeu o apoio oficial de sua base (algumas igrejas presbiterianas da cidade)"
Essa parte não sei muito, mas pelo que fui informado: o pequeno grupo de apoio político (GAP, ou algo do tipo) se distanciou... não chegou a um clima de inimizades, mas houve ruptura... No entanto, a liderança das igrejas presbiterianas, de uma forma geral, permanece simpática ao Carlão e nem tanto ao Grupo (que parece ter se mostrado ineficiente na tarefa de acompanhar o mandato).

Sobre a briga pelo Executivo, soube de algumas possibilidades que estão sendo ventiladas:
- Christian & ??? (as pesquisas dirão).
- Dr Bob & Dr Jorge
- Zambrana & Krauss ou Santi
- Ulysses & Dr Ricardo
- Dr Ricardo & Krauss ou ???
- Santi & Krauss (ou o contrário)
- Leandra & algum louco
- algum empresário ???

Quanto aos 11 vereadores a tendência parece ser 3 partidos paparem todas as vagas... PMDB, PSDB e DEM seriam os mais cotados, seguidos pelo REDE (se o Dr Ricardo sair para vereador e não para prefeito)... outros partidos terão dificuldade (mas isso é só o que tenho ouvido de gente que parece entender - eu não entendo).