sexta-feira, 31 de maio de 2019

POR ESTAS BANDAS ? JAMAIS !


Todos sabem que Arcos - MG é uma cidade é privilegiada por estar situada numa das regiões com as maiores reservas de calcário do mundo. É reconhecida com o título de Capital do Calcário, tendo próximo de 40.000 habitantes.

Como referência, a cidade está situada na região de Formiga.

O prefeito é o Sr. Denilson Teixeira - do ex pmdb e atual mdb.

O presidente da Câmara Municipal é o médico Luiz Henrique Sabino Messias - do PSB (Vereador em primeiro mandato)

Na última segunda-feira foi colocado em votação os projetos de lei para redução dos subsídios dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários municipais.

Como sempre acontece, várias emendas foram apresentadas, discutidas e votadas. Por 7x6 votos, com o voto de Minerva do Dr. Luiz Henrique, presidente da Câmara, foram aprovadas as reduções nos salários a partir de janeiro de 2021.

Vereadores - de R$ 6.149,00 para R$ 1.299,00

Prefeito - de R$ 24.000,00 para R$ 12.000,00

Vice-Prefeito - de R$ 6.400,00 para R$ 5.100,00

Secretários Municipais - de R$ 7.900,00 para R$ 6.300,00

Para o Presidente da Câmara a redução é necessária para gerar economia para os cofres públicos e lembrar que carreira política não é uma profissão.

Os salários do prefeito, vice e secretários municipais ainda dependem de sanção do Executivo Municipal.

Blog: Ação impossível de acontecer em Itajubá. Jamais com o atual Executivo e seus doze apóstolos do legislativo. Como sempre, se algum herói vereador independente apresentar proposta parecida, ele e os seus quatro companheiros serão trucidados nos bastidores.

Pura besteira: a redução só poderá acontecer na próxima gestão e os ganhos estão garantidos até lá. Como exceto os independentes, praticamente nenhum outro vereador, prefeito, possivelmente o vice e secretários, seguirão nos postos ora ocupados, poderiam, sem prejuízo darem uma de "desprendidos cidadãos" 

Viver é Perigoso

5 comentários:

Anônimo disse...

Estimado Zé Lador! Para alguns político o que menos interessa é o salário. Tem uns que até usam essa pequeno valor para fazer caridade.

Edson Riera disse...

Caridade -

Uns poucos, sim.

Zelador

Anônimo disse...

Resta saber quantos deixariam de ser candidatos se houvesse redução drástica ou mesmo inexistência de salários e/ou subsídios. Também uns poucos. observador contumaz

Edson Riera disse...

Observador Contumaz

Diárias de viagens (para curso ????) ainda seriam um atrativo.

Zelador

Edson Riera disse...