quarta-feira, 27 de março de 2019

NÃO PEGOU !

No fim de 2007, quando a Amazon lançou a primeira geração do Kindle, seu leitor de livros digitais, não faltaram especialistas para vaticinar que os livros impressos estão com os dias contados. 
Como boa parte das previsões na área de negócios, o prognóstico estava 100% errado. Não só as obras impressas continuam firmes e fortes como os e-books se tornaram um fracasso retumbante. 
No mercado brasileiro, eles respondem por apenas 1% das vendas – número não muito diferente do observado em mercados maiores e mais maduros, como o europeu e o americano. 
Segundo Vitor Tavares, livreiro há 35 anos e presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), duas razões principais explicam o fiasco: o preço dos e-books, muito próximo do valor dos impressos, e a falta de interesse pela leitura dos brasileiros. Mas o fenômeno é global. Tavares conta que voltou há pouco da Feira do Livro de Londres. Lá, diz ele, não escutou uma única vez alguém falar sobre livros digitais.

Amauri Segalla

Blog: Há tempos ganhei um Kindle da Rachel. Mas, sinceramente ? nada com um livro impresso.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: