terça-feira, 12 de março de 2019

CERTAS COISAS


Às vezes é necessário, para entender certas peculiaridades da política brasileira atual, voltar ao passado. 
Dizem que Napoleão Bonaparte, em certa ocasião, escolheu para a chefia de seu Estado-Maior um cavalheiro notório, de péssima reputação. O marechal Ney, comandante da Velha Guarda, homem correto, honrado, um dos militares de mais prestígio junto a Napoleão, protestou. Napoleão explicou-lhe: 

"Eu sei que ele é um canalha, mas há certas coisas que são necessárias e que só um canalha faz".

(Brickmann)

Viver é Perigoso

2 comentários:

Anônimo disse...

E terminou do jeito que terminou.
Napoleão perdeu a guerra e a França ficou arrasada.
Quando vendemos a alma para o capeta, nunca ganhamos...
Colega de 87

Edson Riera disse...

Colega de 87 -

Sem dúvida.

Zelador