quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

O REI DOS TIROS NOS PÉS


A ação do Sr. Prefeito Municipal de eliminar a subvenção municipal (dinheiro do povo), já reduzida para R$ 160.000,00/mês destinada à nossa Santa Casa, que acarretou o encerramento do atendimento do Pronto Socorro, vem a ser um dos maiores absurdos ocorridos nesses 200 anos de Itajubá. Um tiro no pé !

A declaração do Sr. Prefeito, numa das rádios oficiais, sobre a razão de tal proceder, foi outro tiro no outro pé.

E esses ferimentos não se tratam em pronto-socorro.

Para sermos justos, o valor retirado da Santa Casa não será, pelo menos de imediato, ser direcionado para pagamento de shows de sertanejos. Como afirmou a autoridade, será repassado para o Hospital de Itajubá (ex-Escola), totalizando R$ 400.000,00/mês (dinheiro do povo).

Disse o Sr. Prefeito que ouviu, em toda a sua vida, lamentos sobre as dificuldades da Santa Casa. Esqueceu de falar sobre as dificuldades do Hospital, que teve que vender a nossa Escola de Medicina e carrega uma dívida nas costas, segundo o último balanço, de mais de R$ 100 milhões.

É a situação da saúde no Brasil. 

Sabemos lá a razão, mas desde antes de tomar posse no seu primeiro mandato (busque no blog), os administradores da cidade já arrumavam um jeito de afastar a Mahle da gestão da nossa Santa Casa. E tiveram sucesso.
Em 2013, o então influente secretário Adilson Primo, já falava nas rádios e jornais sobre o interesse da Administração em unificar o atendimento, logicamente, matando um dos maiores patrimônios da cidade.

Podemos falar sobre o assunto. Há uns 30 anos fomos levados para a Irmandade da Santa Casa pelo Senhor Benedito Pereira dos Santos. Na mesma reunião, foram admitidos os amigos Carlos Alberto Faria e o Engenheiro Junior (ex-Cabelauto). Assumi o compromisso e acompanhei por dois anos a Provedora Helena Pereira dos Santos. Voluntariamente, é claro. Muitos outros cidadãos estiveram juntos na Administração, atravessando sérias dificuldades.

Lá estive no Pronto Socorro e por uns dias na UTI. Pela graça de Deus, consegui sair. Lá vi meu Pai, Mãe e Segunda Mãe partirem. Lá vi minhas duas filhas chegarem.

Sei da história de heroicos cidadãos, médicos enfermeiro(a)s e religiosos, que dedicaram parte de seus viveres à nossa Casa Santa.

A nossa Santa Casa não merece passar por isso, com certeza, por birra, capricho e política.

Repense Sr. Prefeito. Deixe de lado as orientações dos seus conselheiros, que não têm a mínima ideia do que a Santa Casa significa para os itajubenses.

Apontem um único itajubense ou itajubense de coração, que apoie tal atitude. Ah! opinião de "aventureiros do Mississipi", como diz o meu amigo Carlinhos Lamoglia, não vale.

Viver é Perigoso 

7 comentários:

Anônimo disse...

Zelador, o parque municipal tem melhorado muito a saúde da população. Por esta razão, em breve não teremos mais necessidade de pronto socorro em Itajubá. É a vida em Itajubá nestes últimos 6 anos.

Anônimo disse...

Mais uma do rei para confirmar Itajubá como a cidade da LATINHA e da LAVINHA:
- LATINHA AFL
- LATINHA Artigos Religiosos Wilma
- LATINHA Frivasa
- LATINHA Higident (com 1300 funcionários)
- LATINHA prefeitura que atendia o publico 8 horas por dia


- e agora, LATINHA Pronto Socorro na Santa Casa
- LAVINHA Siemens
- LAVINHA aeroporto
- LAVINHA novo trevo do Jardim das Colinas
- LAVINHA Laboratório de Alta Tensão da FIEMG
- LAVINHA várias fábricas para gerar milhares de empregos
É zelador, estamos lascados!!!

Edson Riera disse...

Estamos Lascados -

A FMI não é mais nossa.

Zelador

Anônimo disse...

Usando comparações de saúde: quando a decisão é tomada ouvindo o fígado e não o cérebro dá nisso. Com a palavra os companheiros do Conselho Municipal da Saúde. Ainda existe? Se reuni? Ou está como os demais? Vereadores temos? Só alguns.

Anônimo disse...

Zelador isso tudo tem único objetivo. Privatizar (o prédio) a Santa Casa, mas para isso, primeiro, têm que sucateá-la ao máximo.
A ideia é antiga.

Edson Riera disse...

Conselho Municipal da Saúde -

Não sei se existe algum conselho (qualquer um) atuando na cidade. O Prefeito não é de aceitar sequer uma observação. Vê como inimigos, amigos que querem o melhor e como amigos aqueles que, de uma forma ou de outra, estão extraindo alguma vantagem. Ou sonham com alguma.

Zelador

Edson Riera disse...

Privatizar -

Não acredito.

Zeladpr