terça-feira, 15 de janeiro de 2019

NOSSA SANTA CASA


Sobre nossa Santa Casa:

Em 2 de maio de 1887, por iniciativa do Sr. Arlindo Vieira Goulart, foi fundada a Sociedade Beneficente Itajubense. 

A Sociedade funcionou num prédio existente na esquina das atuais Rua Cel Rennó e Comendador Schumann, na Praça Dona Amélia Braga. Instalaram-se ali, custeadas pela caridade pública, as primeiras enfermarias, destinadas todas a doentes pobres e, um modesto serviço de ambulatório.
Funcionou também uma sua dependência num prédio existente no final da atual Avenida Cesário Alvim, na subida da atual Santa Casa.

Em 10 de outubro de 1900, após cumprir imensos benefícios, a Sociedade foi remodelada e ampliada, recebendo a designação de Santa Casa de Misericórdia.

Com recursos deixados em testamento pelo Dr. Domiciano da Costa Moreira e com auxílio de verba vinda de subscrição popular, foi adquirido pela Santa Casa o prédio da esquina da atual Dr. Pereira Cabral e Comendador Schumann, na mesma Praça Dona Amélia Braga.

A pedra fundamental do prédio da Santa Casa, como conhecemos, foi lançada em 28 de novembro de 1920. A planta foi elaborada pelo francês, Eduardo Piquet e a construção foi administrada pelo Sr. Moisés Luigi. A inauguração ocorreu em 24 de outubro de 1925.

Em 8 de setembro de 1941, foi lançada a pedra fundamental da Maternidade Xavier Lisboa, tendo sido inaugurada em 25 de dezembro de 1944. 

A iniciativa da sua construção foi do Dr. Gaspar Lisboa e muito contribuíram para a sua construção, o Dr. Venceslau Braz, Cel Alcides Faria, Dr. José Lima Medeiros, Hugo Jannotti, Antonio Simão Mauad, Maurício Kaisermann, Dr. José de Azevedo e muitos outros cidadãos.

Contou também com a ajuda do Governo Federal (50 mil cruzeiros), da Prefeitura (5 mil cruzeiros) e da LBA - Legião Brasileira de Assistência (25 mil cruzeiros).

Registro do escritor Armelim Guimarães.

Blog: Antes que digam coisas sem conhecimento, fui membro da irmandade e ajudei diretamente como membro da provedoria por dois anos. Período difícil, quando para cá vieram os Camilianos e reformado os Estatutos.
Lá estive por uns dias na UTI. Lá vi meu pai e minha segunda mãe com vida pela última vez. Lá visitei minha mãe um pouco antes dela partir. Na Maternidade nasceram nossas duas filhas.

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: