quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

VIDA DURA DE OPOSIÇÃO


Salvo raríssimas exceções, os petistas/esquerdistas bateram em retirada na rede social. Começaram a aplaudir entusiasticamente o governo há dezesseis anos quando ainda não existia essa movimentação toda na internet.

Esquentaram e desgastaram as palmas das mãos.

Tirando o episódio do impeachment da Dilma, ocasião em que resmungaram um pouco, só agora estão iniciando a prática da oposição. Ainda sem jeito pela falta de experiência, o que tem levado alguns deles a postagens mais agressivas.

Outros, mais preparados e experientes, têm pego de leve, cutucando com ironia e numa torcida intima para que os governos eleitos, estadual e federal, deem com os burros nágua.

Lenta e gradualmente andam até se esquecendo do Lula. Sentem-se órfãos e sem nenhum nome para acompanhar. O Haddad foi um acidente.

Na certa, para todos aqueles que gostam das coisas corretas, a vigilância exercida pela esquerda é uma boa. Estão atentos  ao comportamento das equipes governistas. Consultam o passado, acompanham o presente e se colocam na expectativa quanto ao futuro.

Como viveram esses longos dezesseis anos comungando a cartilha dos olhos fechados para com os  desvios dos recursos públicos, levarão um tempo para distinguir o certo do errado.

Com o tempo se sentirão mais confortáveis na oposição.

Viver é Perigoso

 

LIVRO, PRESENTE DE AMIGO


Joana, Pedro e hoje a Rachel. Grato pelos livros.

Viver é Perigoso

HÁ O QUE TEMER

Viver é Perigoso

É NÓIS NA FITA !


A Copasa e a Cooperação Financeira Alemã, por meio do Banco Alemão de Desenvolvimento – KfW, vão assinar hoje (13/12), um contrato de operação de crédito no valor de 80 milhões de euros, com contrapartida de 20%, correspondente a 16 milhões de euros da Copasa. O montante total, 96 milhões de euros, se destina à universalização da coleta e tratamento do esgoto nas áreas de abrangência da estatal mineira. 

Neste âmbito, 25 cidades serão beneficiadas. Entre elas, Itajubá e claro, Pouso Alegre.

Viver é Perigoso

FEZ ESCURO


Já lá vão 50 anos. Noite de medo e preocupação.

Às 20h30 de 13 de dezembro de 1968, Alberto Curi, locutor da Agência Nacional, leu em rede de rádio e TV o comunicado do governo anunciando o  Ato Institucional nº 5.

Estudando no meu quartinho para o vestibular de engenharia e como sempre com o rádio portátil Mitsubishi ligado. Acrescenta-se: Rádinho comprado pelo meu pai do Sr. Zé Correinha, que sempre aparecia com novidades na terrinha.

O vestibular aconteceria no início de janeiro/1969. Praticamente, todos os direitos, de repente, foram suprimidos pelos militares no poder. O que era uma intervenção militar configurou-se numa ditadura.

No período não faltaram obras públicas e empregos. Sobrou ufanismo e faltou o principal: liberdade de expressão.

Passou e não voltará jamais.

Viver é Perigoso