quinta-feira, 27 de setembro de 2018

POR DETRÁS DOS BASTIDORES


Segue a disputa pelo contrato de prestação de serviços jurídicos para a Prefeitura Municipal de Itajubá. Mais precisamente, Pregão Presencial 079/2018.

Lembrando, que desde priscas eras, quando iniciou-se o primeiro mandato da atual administração municipal, a empresa Moura & Siqueira Advogados é dona do contrato, que registre-se, já foi aditado por quatro vezes.

No atual Pregão Presencial, conforme publicado, foi desclassificada a empresa concorrente Carvalho Pereira Fortini Advogados. A empresa entrou com recurso recorrendo da decisão da PMI.

A Moura & Siqueira Advogados foi ouvida e rebateu. A PMI analisou e decidiu o questão conforme publicado hoje no Diário Oficial do Município, concluindo:

"Desta forma, é de não se conhecer o recurso, uma vez operada a decadência. Por essas razões, não se conhece do recurso interposto pela licitante."

Como engenheiro, leigo nesses termos, coloco-me a imaginar que a experiente Moura & Siqueira deve ter ficado com contrato. Pelo vênia aos amigos advogados leitores do Viver é Perigoso.

Em tempo, a empresa, além de seu contrato com o município, tem expressiva presença nos tribunais assessorando juridicamente personalidades e partidos políticos na cidade.

Viver é Perigoso

NÃO ESCAPA UM


Quando de sua delação à justiça, Mônica Moura, sócia e mulher do marqueteiro João Santana acusou (ou confessou), que dos R$ 30 milhões combinados para fazer a campanha (2012) no 1º turno do Fernando Haddad para a prefeitura de São Paulo, R$ 10 milhões seriam pagos por fora pela Odebrecht.

Participaram da reunião que definiu o acerto, Além dela, Antonio Palocci, João Vaccari (ambos na prisão) e Francisco Macena, representante e ex-secretário do Fernando Haddad.

Na colaboração, Mônica afirmou que tanto Macena quanto Haddad sabiam dos pagamentos em caixa 2. 

Francisco Macena e Fernando Haddad são alvos de inquérito da Polícia Federal sobre o caso.

Pois bem, o mesmo Francisco Macena foi nomeado pelo Haddad como administrador financeiro de sua atual campanha. 

Blog: Experiência e confiança. Apenas mais do mesmo.

Viver é Perigoso

NOSSA ESCOLA

Divulgado ontem o ranking da publicação britânica THE - Times Higher Education que lista as mil melhores universidades do mundo. As notícias não foram boas.

Seis universidades brasileiras saíram dos ranking das mil melhores. São elas:

A nossa Unifei - Universidade Federal de Itajubá, as universidades federais do Ceará, do Rio Grande do Norte, de Pernambuco e as universidades estaduais do Rio de Janeiro e de Ponta Grossa.

A Universidade de São Paulo - USP, continua como a primeira no País, no grupo que está entre 251 e 300 melhores universidades.

A avaliação da THE, utiliza como critérios para a classificação dados como o número de citações em pesquisa, o nível de internacionalização da instituição, o grau de titulação dos professores e a transferência de conhecimento para a sociedade, entre outros aspectos.

Viver é Perigoso 

REALIDADE MINEIRA


Em Betim e Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e Uberaba e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, o cadastramento para votar nesta eleição era obrigatório e quem perdeu o prazo, que era de pouco mais de um ano, teve o título cancelado. A cidade que mais perdeu eleitores foi Contagem, com 85.534 pessoas impedidas de votar. Em Betim, foram cancelados os títulos de 43.539 eleitores. Nas cidades do Triângulo, foram 27.081 em Uberaba e 57.018 em Uberlândia.

Hoje em Dia

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Vincent Van Gogh - No portão da eternidade - 1890.
Viver é Perigoso

OUTROS TEMPOS


Não pode ser candidato. Se for, não pode ser eleito. Se eleito, não pode tomar posse. Se tomar posse, não pode governar.

Carlos Lacerda (referindo-se a Getúlio Vargas)

Viver é Perigoso

MORTANDELA


Os profissionais dos movimentos de rua podem estar certos.

Não com relação as causas dos movimentos, mas no tocante a mortandela. Isso mesmo e repetindo: mortandela.

A Folha localizou um link da Wikipedia confirmando a existência de mortandela, que vem a ser uma carne curada e defumada da região Trentino-Alto Ádige, no norte da Itália. Ela não pode ser chamada de embutido porque não vem ensacada em tripa ou outra membrana.

Como se pode perceber pela foto, ele se parece com uma almôndega achatada ou um salame. É feita com carnes de porco como a copa e o pernil – mais raramente, entram pulmão e coração.

Os habitantes do Trentino comem a mortandela na sopa de cevada ou com chucrute. Explica-se: a região é fronteiriça com a Áustria. A cultura germânica se mistura com os costumes italianos mais conhecidos.

Apesar de serem dois alimentos à base de carne de porco, a montandela e a mortadela não têm parentesco entre si. Até as palavras têm origens distintas. “Mortadela” vem de murta, uma planta que era usada para temperar o embutido. Já “mortandela” deriva de mortaio –morteiro ou pilão–, instrumento usado para triturar a carne.

Viver é Perigoso

MINISTRO, DÁ LOGO O NOME DOS QUATRO

Viver é Perigoso

PANORAMA VISTO DE CIMA


Os brasileiros, Renato Zangaro, 60 anos, e sua filha, Ayesha Zangaro, 23 anos, chegaram ao cume do Everest, a montanha mais alta do mundo, no último mês de maio. 

Desde 1995, quando Waldemar Niclevicz foi o primeiro brasileiro a alcançar o cume, 23 pessoas do país fizeram o mesmo. O diferencial da família Zangaro está nos recordes quebrados pelos dois: enquanto o pai se tornou o brasileiro mais velho, a filha foi a brasileira mais nova a pôr os pés no topo do mundo.

Dentro do projeto de escalar os 7 cumes - montanha mais altas de cada continente, já conseguiram: 

Em 2011 - Kilimanjaro - (5.895 m), na Tanzânia, 
Em 2012 - Aconcágua -  (6.962 m), na Argentina 
Em 2013 - Elbrus (5.642 m) -  na Rússia
Em 2014 - Carstensz (4884 m ) -  na Oceania
Em 2015 - Denali (6.190 m ) -  no Alaska

Para completar o projeto dos sete cumes, falta para eles apenas o Vinson (4.892 m), na Antártida.  A ideia é fazer em 2019. 

Viver é Perigoso