quarta-feira, 12 de setembro de 2018

CANTINHO DA SALA

Jean-Michel Basquiat 
Viver é Perigoso

DATA VÊNIA


Sinceramente ? a grande preocupação dos brasileiros não deveria ser a esquerda, direita ou centro. A "Tempestade Perfeita", parece se formar é no Supremo Tribunal Federal, STF, para os mais chegados. 
Fogueira de vaidades, relacionamentos e compromissos, longe de serem considerados republicanos. 
Toffoli presidindo à partir de amanhã, seguindo com parceria cerrada com Lewandowski e o mutante Gilmar, sei não...  
Pior é que não podemos fazer nada, isto é, dentro da Constituição.

Viver é Perigoso

COMPENSAÇÃO


O Juiz Marcelo Bretas condenou o ex-governador Sérgio Cabral a 47 anos e quatro meses de prisão, por propinas relativas a obras do PAC Favelas. Cabral, preso desde novembro/2016, acumula agora 170 anos e oito meses de prisão.

Hoje, Marcelo Bretas atendeu a pedido de Sérgio Cabral e vai permitir que Adriana Ancelmo faça visitas íntimas ao ex-governador.

É a vida...

Viver é Perigoso 

MOÇA BONITA


Nos dias de hoje as cerimônias de casamentos são realizadas, quase sempre, aos sábados. Quando muito, antecipam para a sexta-feira.

Num 12 de setembro (1892), numa segunda-feira brava, o Dr. Wenceslau Braz e a Dona Maria Carneiro, casaram-se em Itajubá. Já lá vão 126 anos. Tiveram 7 filhos. Para quem está chegando agora, a Dona Maria Carneiro era irmã do Dr. Theodomiro Santiago.

Antigamente, na segunda-feira, os padeiros tiravam folga. Não havia pão novo na cidade. Foi o dia que meus Pais, José Riera e Dina, ele padeiro e ela telefonista, aproveitaram para amarrar os panos.  

Num 12 de setembro (1973), numa quarta-feira brava, o Edson Riera e a Sonia Maria Noronha, casaram-se em Itajubá. Já lá vão 45 anos. Tiveram 3 filhos.

Como dizem na Boa Vista, é claro, o tempo vua.

Viver é Perigoso

NÃO ESTÁ FÁCIL

Viver é Perigoso

OUTROS TEMPOS


Fomos para Manaus no início de 1978. Era um desafio. Falei com a Sonia e ela topou de cara. Não foi tranquilo montar a partir do zero o escritório da Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica  na Zona Franca.

Não fomos bem vindos. Incomodava muito na época falar em programa de nacionalização de componentes. Ainda existia no Sul do País uma interessante industria de componentes eletro-eletrônicos- mecânicos. 

Luta difícil com ameaças amainadas por grandes amigos. Alguns remanescentes de antigos tempos em Itajubá. Jalser Cordeiro, Jorge Daou, Fernando Bonfim e outros conseguidos lá, como o grande Chico Preto.
Ah ! Paulo Leão e os pastores Caio Fábio pai e o filho. Muito aprendizado. Pescarias no Rio Negro, Solimões e Amazonas.

Superado em parte o desafio partimos para outra. Em 1980, instalação de uma fábrica de mecanismos de toca-discos. Uma joint-venture entre uma empresa brasileira, Douglas S.A e a Inglesa BSR Ltda, talvez a maior fabricante de toca-discos, juntamente com a também inglesa, Garrard.   

Trinta e dois anos de idade e diretor responsável. Na produção, um difícil escocês, Alastair Mcvoy. Uns três anos de muita luta.

Ainda temos em casa um toca-discos e claro, dezenas e dezenas de LP´s. Lamentavelmente, não é um BSR, mas um Technics SL-1900, que acoplado com um Receiver Sansuy, provoca um som muito gostoso.

Muito bom olhar para trás e ver coisas.

Viver é Perigoso