segunda-feira, 3 de setembro de 2018

OUVINDO A VOZ ROUCA DAS RUAS


Aprovado hoje pela Câmara Municipal, em primeiro turno, o Projeto 080 que reduz o número de vereadores de 17 para 11.

13 vereadores votaram favoravelmente. Explicavelmente. de forma líquida e clara, os vereadores Silvestre, Zé Pequeno e Mônica, votaram contra a redução para onze, com o "argumento" que preferiam nove. 
A enrolação foi derrotada. 

Não dava mais para seguir nessa discussão, uma vez que o povo está esgotado com o tema.

Registre-se que se tratou de uma votação em primeiro turno, sendo necessário uma outra após 10 dias. Conhecendo bem a terrinha, nada ainda está garantido.

Sabe-se lá...

Viver é Perigoso  

SOB A LUZ DE VELAS


Eu não sou o "nós" de ninguém.

J. M. Coetzee

Viver é Perigoso

COISA DE CINEMA


Os fenômenos da natureza não questionam decisões administrativas e nem compõem blocos independentes. Simplesmente acontecem.
Prejuízo nenhum é bem vindo.

É a vida...

Viver é Perigoso  

 ESPERA DOS BÁRBAROS


É que os bárbaros chegam hoje.

Por que tanta apatia no senado?
Os senadores não legislam mais?

É que os bárbaros chegam hoje.
Que leis hão de fazer os senadores?
Os bárbaros que chegam as farão.

Por que o imperador se ergueu tão cedo
e de coroa solene se assentou
em seu trono, à porta magna da cidade?

É que os bárbaros chegam hoje.
O nosso imperador conta saudar
o chefe deles. Tem pronto para dar-lhe
um pergaminho no qual estão escritos
muitos nomes e títulos.

Por que hoje os dois cônsules e os pretores
usam togas de púrpura, bordadas,
e pulseiras com grandes ametistas
e anéis com tais brilhantes e esmeraldas?
Por que hoje empunham bastões tão preciosos
de ouro e prata finamente cravejados?

É que os bárbaros chegam hoje,
tais coisas os deslumbram.

Por que não vêm os dignos oradores
derramar o seu verbo como sempre?

É que os bárbaros chegam hoje
e aborrecem arengas, eloqüências.

Por que subitamente esta inquietude?
(Que seriedade nas fisionomias!)
Por que tão rápido as ruas se esvaziam
e todos voltam para casa preocupados?

Porque é já noite, os bárbaros não vêm
e gente recém-chegada das fronteiras
diz que não há mais bárbaros.

Sem bárbaros o que será de nós?
Ah! eles eram uma solução.

Constantino Kaváfis - Tradução de José Paulo Paes 

Viver é Perigoso

ARREDONDARAM !


Circulando de carro por São Paulo no final de semana, de tempos em tempos, a programação do rádio é interrompida por uma tétrica, rouca e conhecida voz cavernosa:

É TREZE !

Erraram, arredondando, na propaganda eleitoral.  O correto seria:  DOZE E UM MÊS !

Viver é Perigoso

POIS É...

Viver é Perigoso

PREMEDITANDO O BREQUE


Plano de Trabalho
Ministério da Integração Social
Portal dos Convênios
Proposta: 051118/2015
Reforma do Mercado Municipal de Itajubá
Área abrangida: 4.333 m2

Fase 1 - Cobertura:          R$ 231.685,76
Fase 2 - Estrutura:           R$ 167.859, 94
Fase 3 - Inst. Elétr:          R$ 326.233,74
Fase 4 - Inst. Hid/san.      R$   64.379,41
Fase 5 - Pinturas              R$   46.031,05
Fase 6 - Serviços Finais  R$     2.704,00
Fase 7 - Serviços Prelim R$     1.762,88
Fase 8 - Vedações           R$ 259.343,22

Total                                R$ 1.100.000,00

Dados de 2015.  Sendo R$ 1.000.000,00 originados do Ministério da Integração Social e R$ 100.000,00, como contra-partida da Prefeitura Municipal de Itajubá.

Recentemente, a PMI concluiu licitação e assinou contrato com uma empresa para a execução da reforma no valor de R$1.212.012,00.

Informações publicadas na semana passada pela imprensa local, menciona um custo próximo de R$ 2 milhões na reforma do mercado, ficando R$ 223.000,00 de responsabilidade da Prefeitura e cerca de R$ 800.000,00 de responsabilidade dos permissionários do mercado.

Conforme a declaração do Prefeito, registrada acima, as pessoas todo o direito de imaginar que o recurso dos permissionários estão substituindo o que viria do governo federal.

Pensando bem, ou mal, não seria de todo ruim para os permissionários, que assumindo e rateando entre eles os custos da reforma, por direito, passariam a ser proprietários do espaço, não sujeitos a futuras negociações de concessão, etc.

É o que parece. Só esclarecer é pronto. Todos querem que aconteça e da forma normal, ou seja, transparente.

Viver é Perigoso   

QUESTÃO DE MERCADO


Deu no "Blog Viver é Perigoso" em 15 de abril de 2016. No caso o "mensageiro" foi o próprio Prefeito Municipal.

"Conforme comentado anteriormente no "Viver é Perigoso"e confirmado hoje (15/4/2016) no site do Itajubá Notícias: 

"Na manhã desta quinta-feira (14), o prefeito, Rodrigo Riera, afirmou, em entrevista a uma rádio da cidade, que não haverá mais a reforma do Mercado Municipal de Itajubá, pois a verba de R$ 1 milhão que seria destinada a obra foi cancelada.
Segundo o prefeito, o cancelamento do recurso se deve ao fato do deputado federal Dimas Fabiano, que foi quem conseguiu a verba, ter declarado publicamente que votará a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff."

Até aí nenhuma surpresa. É prática normal de todos os governos. Lógico que a falta de grana ajudou e muito o corte da verba.
Sugestão de plano B para a Prefeitura da terrinha. Façam um apelo para o Deputado, também parceiro, Aelton Freitas, que segundo informações, continua apoiando a permanência da Dilma. Ou via o deputado petista, Odair Cunha, também parceiro, que embora afastado da Câmara Federal, deve ter influência na administração petista.
Terá que ser rápido.

Viver é Perigoso

É A VIDA...

Viver é Perigoso

PASSOU COMO UM METEORO


Em 1764, nas proximidades do Riacho Bendegó, no Interior da Bahia, o menino Domingos da Mota Botelho, achou num pasto o maior meteorito descoberto no Brasil, pesando 5,36 toneladas.

O Bendegó é o maior meteorito brasileiro conhecido até o momento. Se encontra na sala de meteoritos do Museu Nacional do Rio de Janeiro.

No dia 7 de setembro de 1887, quando era comemorado o aniversário da Independência, iniciou-se o trabalho de remoção do meteorito, com uma solenidade cívica às margens do riacho Bendegó. Mandou-se construir uma carreta que, engenhosamente, poderia andar sobre trilhos, ou sobre rodas, dependendo das condições encontradas no trajeto.

O meteorito chegou a ficar em exposição em Salvador durante 5 dias e continuou sua viagem num vapor. Só chegou no Rio de Janeiro no dia 15 de junho do ano seguinte, sendo recebido pela Princesa Isabel e entregue ao Arsenal de Marinha da Corte, onde foi estudado. Concluído o trabalho, o meteorito foi transportado em 1888 para o Museu Nacional, nessa época situado no Campo de Santana.

Conheci o Bendegó no início dos anos 60. O gigante ficava exposto logo na entrada do Museu Nacional na Quinta da Boa Vista. Fiquei encantado com a sua épica história, da Bahia até chegar no Rio de Janeiro, que durou 123 anos.

Pela sua constituição e pelo calor que atravessou ao chegar ao Brasil, certamente o Bendegó, irá sobreviver ao descaso dos homens públicos brasileiros que levou ao incêndio do Museu Nacional.

Uma vergonha.

Viver é Perigoso