quinta-feira, 29 de março de 2018

DÁ-LHE BARROSO !


Viver é Perigoso

VENTOS DE GUERRA


Deu no site do Itajubá Notícias

Na semana passada, segundo informações do jornal 'Notícia do Dia', o prefeito de Joinville, Udo Dohler e executivos da empresa Siva Power se reuniram para possíveis acertos empresariais. 

"Joinville está disputando uma fábrica que terá investimento de R$ 228 milhões. A empresa está disputando a localização do empreendimento com Itajubá/MG", diz a nota assinada por Luiz Veríssimo, no dia 28.

Localizada na Calle Del Sol (“Rua do sol”) na cidade de Santa Clara (Califórnia), a empresa trabalha com painéis solares de alta tecnologia e já decidiu construir sua primeira fábrica no Brasil, com criação de 300 vagas de empregos.

A nota diz ainda que "enquanto Joinville tem reconhecida mão de obra especializada, escola internacional, campo de golfe, aeroporto, várias praias no entorno e proximidade com os portos de Itapoá, São Francisco, Itajaí e Navegantes, o município concorrente não tem nenhum destes atrativos. O único que Itajubá (MG) oferece é estar a duas horas de carro de Campos do Jordão (SP). 
Com pouco mais de 80 mil habitantes, a cidade fica próxima da divisa com São Paulo, mas bem distante do Porto de Santos.

Fator decisivo A decisão deve ficar nas análises sobre subsídios e vantagens que os governos mineiro e catarinense irão oferecer.

Blog: Que se cuidem os Deputado Ulysses, Odair  e Governador Pimentel. Na certa os estilingues municipais já está carregados com mamonas, os elásticos de pneus esticados no limite e claro, eleitoralmente apontados para eles.

É a vida...

Viver é Perigoso 

SANTA SEXTA


Em priscas eras, já se dizia na Boa Vista, é claro, que rieira lembra frigideira.  Pronunciavam sempre com um "i" sobrando, como muitos ainda o fazem.
Razão: a paixão da família pela pescaria, comprovada pelo Rancho de Pesca Jaoca, idealizado pelo Avô Jayme Riera, às margens, do então piscoso Rio Sapucaí, pela bandas do Capote. 
Lembram-se do Bar Caçador e os famosos lambaris fritos do Carlos Riera ?
A bem da verdade, a família nunca se destacou pela apreciação dos peixinhos nadando livremente. Os linguarudos afirmam que até diante de um aquário ornamental, a turma vislumbrava uma bela fritada.
O instinto pescador atravessa gerações.
Apenas coincidência, mas mesmo de longe, dou conta da surpreendente notícia da liberação da pesca no Parque Municipal, das 7 ás 17 horas, na Sexta-Feira Santa, ou como diziam os mais antigos, Sexta Feira Maior.
Será permitida a quantidade máxima de 2 quilos por pessoa. Meu pai, o saudoso e grande pescador Zé Riera, iria fazer a festa: levaria na sua conhecida Kombi os onze filhos e poderia levar para casa 24 kgs de peixe.
Aliás, não tenho conhecimento sobre qual o tipo de peixe que dá pelas bandas do Pinheirinho. Traíra parece que tem. 
Só lembrando: Na família, em hipótese alguma era permitida a atividade pesqueira na Sexta-Feira Santa. Dia reservado. No máximo, era encarado um bacalhau ao forno, com o peixe sendo comprado no dia anterior no Armazém do Sô Bertino.
Dica: Leve uma varinha fininha e comprida de bambu, um rolinho de linha de nylon Grillon 0,20, alguns anzóis mustad, dos miudinhos, uma casquinha de estanho tirado do bico de uma garrafa de vinho (como chumbada), um quilo de farelo de milho para atrair os cardumes e um bolinho de angu feito com farinha de milho branco. Também um picuá  para manter os peixes capturados fresquinhos.

E apreciem a natureza.

Viver é Perigoso