domingo, 25 de março de 2018

E AINDA SEGUEM SOLTOS


Digna de prêmio a reportagem sobre Maduro/Odebrecht e BNDES publica hoje no Estadão. Tudo documentado, de como o presidente Maduro, da Venezuela, liberou mais de US$ 4 bilhões para obras da Odebrecht em projetos financiados em parte com dinheiro do BNDES.

O pagamento foi ordenado dias após a eleição de Maduro em 2013, cuja campanha a construtora admitiu ter financiado com caixa 2. Segundo  investigação, a liberação de recursos fazia parte de um acerto entre Maduro e a construtora. Em troca de US$ 35 milhões para a campanha, o presidente daria "prioridade" para que recursos extraorçamentários bancassem obras da Odebrechet.

O ex-diretor da Odebrech já depôs sobre isso na sua delação premiada, bem como o casal de publicitários Mônica Moura e João Santana. 

Impressionante e não surpreendente, a relação Maduro, Odebrecht, Mônica Monteiro (mulher de Franklin Martins), José Dirceu, PT, Lula e Dilma, quase sempre via BNDES. 

Miséria na Venezuela, que continua contando com a delirante aprovação do PT, e perspectiva de monumental "cano" no BNDES, que logicamente, será assumido pelo Tesouro Nacional. Ou seja, pelo povo brasileiro. 

Ainda não vimos e não sabemos de quase nada.

Viver é Perigoso

DISSERAM :



“Escrever é fácil. Você começa com letra maiúscula e termina com ponto final. No meio você coloca ideias.” – 

Pablo Neruda

Viver é Perigoso

PORQUE HOJE É DOMINGO



Viver é Perigoso

O MAGNATA DO VOTO


Jacinto Góes é a maior fortuna da região e a pessoa vê como ele é simples, que ele nunca saiu daqui a não ser a passeios ou a negócios, mas mora aqui mesmo, é um homem que fala pouco, vive para os netos, tem aquele dinheiro todo mas quem gasta não é ele, é o pessoal dele.

Jacinto Góes ficou rico com a política. Antes da política, ele era trabalhador de fazenda, chegou a capataz eu acho, sabia ler inclusive, mas era só, e todo mundo se lembra dele andando de pé no chão, indo vender beiju na feira. Mas então, de repente esse homem me começa ganhar dinheiro com a política, a ganhar dinheiro e mais dinheiro, e hoje é isso aí que todo mundo sabe que ele é, dinheiro que não tem mais onde enfiar. E assim que ele se viu melhor de vida, foi largando a política, porque ele não é político, não suporta a política, é um homem muito direito.

Não é que eu tenha nada contra a política, eu acho que a política traz o progresso, é ou não é ? A política é com o governo ou contra o governo e todo aqui, assim ou assado, sempre fez força para estar com o governo, porque o governo traz mais vantagem, ninguém é besta assim.

De todas as profissões, a melhor é o governo, porque é tão boa profissão que até mesmo quem não exerce mas está perto recebe bençãos. É assim que você vê que a pessoa vai eleita ou nomeada e com pouquinho já está comprando casa, terreno, fazenda e a parentela vai também se colocando, quer dizer, traz um grande progresso para a pessoa. Aqui nós vemos pouco o governo, vamos sabendo das coisas por ouvir dizer, mas o que dá para ouvir e ver a gente raciocina.

Se a política é coisa provada que é boa, somente o abestalhado espera que eles deixem qualquer um entrar sem muito preparo e resistência.
É natural. Então a pessoa sua para se enricar e todo mundo vai querer e aí desmoraliza tudo como é que fica ? E vai ter para todo mundo ? É essas e outras coisas que o homem tem que perguntar, antes de sair dizendo besteira. Para entrar no governo e na política tem que ter condições e a verdade é que não se pode deixar qualquer gentinha entrar, a verdade é essa.

Estou cansado de ver o sujeito brigar com a família, casar com mulher feia, mentir na confissão, comer bosta com cara de quem gosta e assim por diante, por causa da política.

É como eu sempre digo e repito: a única coisa que dá futuro é a política.

Trecho do conto "O Magnata do Voto", do João Ubaldo Ribeiro - Do livro "Já Podeis da Pátria Filho"

Viver é Perigoso

CHEGAMOS LÁ

Viver é Perigoso