segunda-feira, 19 de março de 2018

É DISCO QUE EU GOSTO



Viver é Perigoso

MANIA DE GRANDEZA


Ouvido hoje na Sede Campestre do Clube Itajubense, onde fui acompanhar os netos, Davi e a Sofia :

- Camarada, assisti hoje de manhã alguns noticiários na TV e deparei com a correria normal em São Paulo e demais capitais do País. Num buta feriadão desses e aquele pessoal se matando.

Viver é Perigoso

ONDE TUDO COMEÇOU

Foto Saulo Caridade
Coisa mais estranha desejar feliz aniversário para uma cidade. Mas o pessoal do Facebook aproveitou para, novamente, descer a lenha no Sr. Vigário da N.S da Soledade, voltando naquela velha história de será feriado ou não será feriado. Falta de assunto, sem dúvida.

A terrinha está completando 199 primaveras (êpa!) e isso deve ser bom. Inegavelmente, já vivemos momentos melhores, considerando o cenário regional.

Interessante é que o município de Cunha, ali mesmo entre a Rodovia Dutra e o Mar, também comemorou seu aniversário hoje. Acreditem : Era para ser o 160º aniversário. Tudo acertado até ser levada em consideração um profunda pesquisa história realizada. Num salto só, ao invés de 160 anos está sendo comemorado hoje os seus, bem vividos, 264 anos.

Numa tacada só lhe foram acrescidos 134 anos.

Todos sabem que a Boa Vista, é claro, já existia muito antes da realização da primeira missa em Itajubá. É fato. 

Fico pensando se a Câmara Municipal resolvesse acrescentar ao 199 anos da terrinha, os outros cento e tantos da Boa Vista. Iria ter vetos, derrubadas de vetos e o escambau a quatro.

Viver é Perigoso 

POIS É...

Viver é Perigoso

PRIMEIROS BISPOS NO BRASIL


Está numa coluna da revista Veja. Pesquisando, os nomes e datas se confirmam. O primeiro bispo do Brasil foi dom Pero Fernandes Sardinha, que chegou a Salvador em 1551, vindo de Portugal. Passou para a história com Bispo Sardinha e por ter sido devorado por índios Caetés, em um ritual de antropofagia, no litoral do nordeste brasileiro, em 1556.

Foi substituído por dom Pedro Leitão, conhecido com Bispo Leitão, sendo o segundo bispo de São Salvador da Bahia de Todos os Santos.

Bispo Leitão, esteve na fundação da cidade de São Sebastião (Rio de Janeiro), com Mem de Sá e Estácio de Sá, onde fundou a Igreja de São Sebastião, no Morro do Castelo.

Escreveu o colunista da Veja, que por precaução, tendo visto o ocorrido com o Bispo Sardinha, o Bispo Leitão manteve prudente distância dos índios Caetés.

É a vida...

Viver é Perigoso