quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

CANTINHO DA SALA

Apenas repetindo o que todo o mundo já sabe. Alfredo Volpi nasceu na Itália em 1896. Com um ano de idade veio para o Brasil com seus pais. Viveu em São Paulo até 1990, quando tomou o barco.

Sua primeira exposição individual foi acontecer somente em 1944, quando tinha 48 anos. Todas as suas obras foram vendidas.
 
Casou-se em 1942 com Benedita da Conceição, uma garçonete cujo apelido era Judite, seu amor da vida inteira.  Viveram juntos até a morte dela, em 1972, e tiveram uma filha, Eugênia Maria — e adotaram outros dezenove.

Na semana passada (8/2) foi aberta no Museu Nacional de Mônaco, pela princesa Caroline, a primeira retrospectiva de Volpi na Europa.

Sem estudos e tido por muitos como pintor de bandeirinhas de festas juninas, Volpi foi elevado com a retrospectiva de Mônaco, que irá seguir para outros países da Europa, ao mesmo patamar de suas grandes referências, Matisse e Morandi.

Ainda sobre Volpi, amanhã, dia 16/2, uma amostra comercial será aberta na Galeria S2 da Sotheby´s, em Londres.

Um dos pintores mais importantes do modernismo brasileiro

Viver é Perigoso

COM TANTOS TOMBOS


Sempre um enorme prazer conversar com o Reverendo Ephrain Santos Oliveira. Um pregador poeta que concedeu a honra de uma vista na tarde de hoje. Deixou-nos um poema de Fayad Jamis, poeta cubano, numa versão livre do amigo, e também homem de letras, Ephrain.

Com tantos tombos que a vida te deu

Com tantos tombos que deu a vida, e ainda segues dando à vida sonhos.
És um louco que jamais se cansa de abrir janelas e acender luzeiros.
Com tantos tombos que te deu a noite, tanta crueldade, frio e tanto medo, és um louco de mirada triste, que só sabe amar com todo o peito, fabricar papagaios e poemas e outra lorotas que se levam ao vento.
És um simples homem alucinado entre ruas, oficinas e lembranças.
És um pobre louco de esperanças que sente como nasce um mundo novo.
Com tantos tombos que te deu a vida e não te cansas de dizer: te quero.

Viver é Perigoso 

ZÉ MANÉ !

Viver é Perigoso

POIS É...


Deu no jornal O Estado de Minas :

Em meio às discussões que podem levar ao fim do pagamento do auxílio-moradia a autoridades do Judiciário, do Legislativo e do Ministério Público, juízes e desembargadores de Minas Gerais tentam receber o benefício retroativo a antes de agosto de 2014 – época em que a verba para morar começou a ser paga pelo Tribunal de Justiça mineiro – com juros e correção monetária. 

Um documento de seis páginas com vários argumentos jurídicos para justificar a cobrança do retroativo foi encaminhado pela Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis) ao presidente do TJ de Minas, Herbert Carneiro, em 16 de janeiro. Três dias depois, o requerimento foi repassado ao ministro João Otávio de Noronha, corregedor nacional de Justiça. 

A justificativa da Amagis – referendada pelo Tribunal de Justiça – é de que a verba está prevista desde 1979, na Lei Orgânica da Magistratura Nacional (LC 35/79), e deveria ter sido paga independentemente de regulamentação estadual, o que só ocorreu em 2014.

Na ponta do lápis, cada um dos 1.038 magistrados teria direito a pelo menos R$ 83.176,87, um custo total de R$ 86,33 milhões para os cofres do TJ. 

Atualmente, o penduricalho equivale a R$ 4.377,73, e levando-se em conta que só podem ser cobrados os últimos cinco anos (pela regra da prescrição), cada magistrado teria direito a 19 parcelas retroativas (de janeiro de 2013 a julho de 2014).

Blog: Por que não reajustam os salários incorporando, de forma justificável e dentro dos índices oficiais, os penduricalhos ? Receberão salários bons, condizentes com o cargo, como todos os funcionários públicos brasileiros, sem anexos isentos de impostos.

Viver é Perigoso 

SEM CARA DE PRESIDENTE


A pessoa para almejar algum cargo tem que ter no mínimo, uma cara que combine com a posição. Até o Lula tinha cara de um líder de esquerda de uma República sul-americana. 
Já o Doutor Geraldo Alkmin que me desculpe. Não tem cara de presidente.

Viver é Perigoso