quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

DISSERAM :



Não vemos as coisas como elas são. Nós as vemos como somos.

Anais Nin

Viver é Perigoso

SÓ BLUES



Viver é Perigoso

MINISTRA DO TRABALHO



A Deputada Cristiane Brasil será a nova ministra do Trabalho. Do Rio de Janeiro, a Ministra é filha do detonador do mensalão, ex-deputado, Roberto Jefferson.

Registro: Cristiane Brasil tem entre seus assessores, há tempos, competentes amigos aqui da terrinha. Isso é bom.  

Viver é Perigoso

É ERRADO ESTAR CERTO


Estar certo fundamenta-se em conhecimento e experiência, e isso é quase sempre provável.

O conhecimento vem do passado, portanto é seguro. Também está fora de moda. É o contrário de originalidade.

A experiência é construída a partir de soluções para situações e problemas antigos. As velhas situações quase sempre são diferentes daquelas da atualidade, e precisarão ser adaptadas para se encaixar (provavelmente mal) em problemas novos. E também é bastante provável que, tendo experiência, você a use.

Essa é uma atitude preguiçosa.

A experiência é o contrário da criatividade.

Se você pode provar que está certo, é porque está engessado. Não consegue acompanhar seu tempo ou as outras pessoas.

Estar certo também é ser chato. Sua mente está fechada. Você não está aberto a novas ideias. Está preso em sua razão, o que é arrogante. Arrogância é uma ferramenta valiosa, mas só quando usada com muita parcimônia.

O pior é que estar certo tem um tom de moralismo. Ser outra coisa soa fraco ou falível, algo que quem está certo odiaria.

Logo, é errado estar certo, porque quem está certo está arraigado no passado, tem uma mentalidade rígida, é chato e petulante.

Não há conversa possível com essas pessoas.

Paul Arden

Viver é Perigoso  

RECOLHAM LOGO O ELEMENTO



Só lembrando:

Zé Dirceu, o "herói do povo brasileiro", foi detido em 1968, quando do Congresso da UNE em Ibiúna, junto com dezenas de outros estudantes.

Foi solto numa troca com sequestro e se ajeitou em Cuba. Recebeu "treinamento", ajuda financeira e voltou para o Brasil. Valentemente se refugiou no interior do Paraná, onde casou-se e virou dono de boutique. Dez anos após, quando tudo ficou calmo, deixou a família e a vida empresarial e apareceu em São Paulo.

Daí prá frente a história é conhecida. Já condenado por corrupção, caminha e dança pagode pelos salões de Brasília, com tornozeleira eletrônica de último modelo, aguardando recolhimento definitivo.

É a vida...

Viver é Perigoso   

CONSEQUÊNCIA DOS ASSALTOS


Os incompetentes, sem responsabilidade, para não dizer desonestos, que andam percorrendo o País, com zumbis, acabarão esgoelando em praças públicas que a culpa pelo estratosférica condenação é da Polícia Federal, do Ministério Público e dos Juízes.

A Petrobrás pagará aos investidores US$ 2,95 bilhões em três parcelas, que começarão a ser desembolsadas após a aprovação preliminar do juiz Jed Rakoff, da Corte Federal de Nova York, onde corre a ação coletiva.

A empresa informou nesta quarta que chegou a um acordo para encerrar ação coletiva movida por investidores americanos por perdas provocadas após descoberta do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato.

Foi o quinto maior acordo envolvendo ação coletiva por perda com ações da história, atrás dos casos Enron (US$ 7,22 bilhões), Worldcom (US$ 6,13 bilhões), Tyco International (US$ 3,2 bilhões) e Cendant Corporation (US$ 3,18 bilhões).

O processo contra a estatal foi iniciado em dezembro de 2014 por acionistas descontentes com a perda de valor das ações após a descoberta do esquema de corrupção. Desde então, a Petrobras fechou uma série de acordos individuais com investidores institucionais.

O pagamento dos US$ 2,95 bilhões (cerca de R$ 10 bilhões) terá impacto no resultado da companhia no quarto trimestre de 2017, diz o comunicado. O valor equivale ao dobro do lucro acumulado pela empresa nos três primeiros trimestres do ano passado.

A estatal diz que o acordo "não constitui reconhecimento de culpa ou de prática de atos irregulares, reforçando sua estratégia de defesa, de colocar-se como vítima do esquema de corrupção comandado por ex-executivos e partidos políticos.

"Na condição de vítima, a Petrobras já recuperou R$ 1,475 bilhão no Brasil e continuará buscando todas as medidas legais contra as empresas e indivíduos responsáveis".

Investidores brasileiros, incluindo grandes fundos de pensão estatais, também abriram processo semelhante no Brasil na câmara de arbitragem da Bolsa de São Paulo, para tentar recuperar perdas com o investimento em ações da empresa. O processo corre sob sigilo.

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Jackson Pollock - Bird -  Foundation. Museum of Modern Art, New York 
Viver é Perigoso

CONTAGEM REGRESSIVA


Viver é Perigoso