domingo, 23 de dezembro de 2018

TOMOU O BARCO


Tchau Jô !

Uma moça bonita,aliás, ela preferia e quase exigia, o menina bonita.Corajosa, escritora, poeta, mãe, esposa. amiga, com característica especial de desconcertar pessoas. Todos os seus escritos, suas falas, seus posicionamentos nos levavam a estender os nossos pensamentos.

Provocava insegurança, obrigava à reflexão e conquistava admiração.

Num recanto conservador fez a diferença. Ousou inclusive na apresentação da sua luta derradeira. Até o fim. Com classe. Com naturalidade

Mudou a nossa maneira de encarar o mal atroz e a caminhada final aqui por estas bandas.

Só nos resta, amigos de quase 50 anos, balbuciar baixinho W.H. Auden: 

Que parem os relógios, que cale o telefone. Jogue-se ao cão um osso e que não ladre mais. Que emudeça o piano.
Ela era o meu norte, meu sul, meu leste e oeste. Meus dias úteis, meus finais de semana, meu meio dia, minha noite, minha fala e meu canto.
Eu pensava que que o amor era eterno; estava errado.
As estrelas não são mais necessárias; apague-as uma por uma. Guarde a lua, desmonte o sol.
Despeje o mar e livre-se da floresta, pois nada mais poderá ser como antes.

Viver é Perigoso


Nenhum comentário: