domingo, 30 de dezembro de 2018

NOVOS TEMPOS


Deu no jornal que até 2030, mais de 80% do comércio mundial será feito pela via eletrônica. Somente em 2018, o e-commerce global deve ter crescido 14% e movimentado US$ 2,8 bilhões.
No Brasil, as compras online ainda não respondem por 5% do volume de vendas no varejo, devem faturar próximo de R$ 70 bilhões.

Um nome novo surgiu. Omnichannel, integração entre lojas físicas e eletrônicas. A loja física passa a ser quase um show-room, onde o interessado experimenta o produto e consegue informações adicionais.

Impressionante é que pesquisas indicam, que no Brasil, somente 1,65% do que vai para o carrinho virtual, que aparece em toda a página de venda da internet, se transforma em compra efetiva. A luta passa a ser fisgar o cliente.

O transporte das mercadorias no Brasil ainda tem um custo muito alto. Corresponde a 58% das despesas com logística das lojas online. Também no nosso País, dados mostram que mais de um terço dos lares ainda não dispõe de conexão com a internet.

Itajubá está bem no setor. No final dos anos 90, quando lá já vão 18 anos, um jovem engenheiro pregava e lutava pelo e-commerce na Cabelauto, empresa de cabos e fios elétricos, onde atuava no departamento comercial. Hoje, o precursor por estas bandas, é Presidente da Aciei - Associação Comercial e Industrial de Itajubá, o Carlos Roberto Domingues Alves, o Cáca.

Veremos.

Viver é Perigoso 

Nenhum comentário: