domingo, 16 de dezembro de 2018

FECHANDO O ANO NO AZUL


Que a administração pública de Itajubá é a mais fechada à informações, não pode restar a menor dúvida. De uma forma outra, exceto por um tradicional, heroico e sobrevivente jornal da cidade, nenhuma ou raríssima observação/questionamento (às vezes escapa) se publica, nada se comenta e nada se esclarece.

Basta tomar conhecimento sobre as dezenas (ou seriam centenas) de pedidos de informações solicitados pelos Senhores Vereadores Independentes da Câmara Municipal ao Executivo. E mais, o números de ações em andamento no Ministério Público. Isso é fato e ponto.

Mas uma coisa assusta e anima: O jornal "Estadão" afirma hoje em manchete, que uma em cada três cidades no País fechará o ano no vermelho, de acordo com levantamento da Confederação Nacional dos Municípios.

Apesar de Itajubá, como Boituva-SP, tenha decidido, encerrar o ano mais cedo (aqui, como lá, apenas os serviços essenciais serão mantidos), na terrinha têm-se a impressão que as contas estão em dia e inclusive, obras não teriam sido paralisadas. 

Não se ouve reclamações por atraso de salários e atraso na quitação do 13º salário. Em raras entrevistas aos órgãos controlados, os administradores e os poucos assessores que têm acesso a mídia, confirmam, até entusiasticamente, que tudo vai bem.

Tudo bem, que se fecham em copas quando é abordada a questão geração de empregos. Passou a fase das famosas indústrias que estariam chegando na cidade (uma chinesa, outra americana e uma européia). O entusiasmo também já se esvaiu sobre a explosão de startups, painéis solares e laboratórios. 

Como que compensando, alguns secretários e o próprio chefe do executivo, derrapam ao chamar para a administração investimentos particulares, como abertura de supermercados e cinemas. Mas até entende-se.

Finalizando: Como costumeiramente parcos em elogios, não restará a alguns endereços "incabrestáveis" da internet, admitir e até, num esforço supremo, aplaudir a gestão econômica da cidade.

Até aqui, tudo indica, diferente do que se passa na grande maioria de municípios do Brasil, sobreviveremos com méritos.

Continua faltando apenas a necessário transparência.

Viver é Perigoso          

4 comentários:

Anônimo disse...

Ultima vez que falo desse assunto.

https://oglobo.globo.com/brasil/embolsar-parte-do-salario-de-assessores-pratica-comum-nas-casas-legislativas-23309058?fbclid=IwAR2Qaho34ja3saY3lX-2D2u7tWAEoc3754eE5IjVcZ0vrney9Qb0NVjhK1Y

Por aqui é a mesma coisa.

Anônimo disse...

Está certa a Administração em não bola para vocês: blog, jornaleco e vereadores “independentes”. Vocês não querem informações, vocês só querem algum motivo para criticar e remar contra. Se a cidade dependesse de vocês, estaríamos de volta ao começo do século passado. Então, fiquem aí remoendo suas raivinhas.

Anônimo disse...

Acho que não sobreviveremos com mérito. Obras não paralisadas? De que obras estamos falando? As corriqueiras do dia a dia? Que grande obra está sendo feita no 2º mandato?O que estamos vendo no comércio é que vai ser um natal pior do que nos anos da crise. Falta renda por causa do desemprego. Por falta de visão de futuro não temos uma política de desenvolvimento econômico. Continuamos andando pra trás.

Edson Riera disse...

Andando para trás -

Realmente. Nessa administração e na anterior, que foi gerenciada pelas mesmas pessoas, muitas empresas fecharam as portas (AFL) e outras estão às vésperas. Não me lembro de um único emprego ter sido criado. Os números oficiais que são constantemente publicados não mentem. O dia a dia vem sendo tocado.
Todo o esforço da administração foi dedicado ao parque municipal, o que não deixa de ser interessante, embora questione-se a prioridade e etc, etc, etc.

Sei não...

Viver é Perigoso