quinta-feira, 15 de novembro de 2018

O "X" DO PROBLEMA


Um País razoavelmente desenvolvido tem que prover a sua necessidade de profissionais.
Se Cuba não tivesse descoberto o negócio de formar médicos e exportar seus préstimos, mantendo como âncora a família do profissional refém, como o Brasil estaria se virando ?

Deixando de lado discussões sobre ideologias, etc, embora não sendo surpresa, causa preocupação a nota publicada pelo site "O Antagonista":

"Um estudo da USP mostrou que 93,4% dos médicos formados em cidades pequenas migraram para centros maiores.
O autor do levantamento disse para a Folha de S. Paulo que isso dificulta a troca dos médicos cubanos.
“É preciso saber se haverá políticas de incentivo à permanência dos médicos nesses lugares, o que hoje não existe”.
Sequestrar seus familiares, como faz Cuba, está fora de questão."

100% das duas médicas formadas em minha família próxima atuam em grandes centros.

Viver é Perigoso  

Nenhum comentário: