quinta-feira, 12 de julho de 2018

TEMOS QUE SOBREVIVER, ENTENDE ?


Trata-se de uma pessoa correta e estimada por grande parte da população como empresário trabalhador. Eleito vereador nas ocasião em se dispôs a concorrer. Foi eleito inclusive no penúltimo pleito, renunciando ao mandato às vésperas da posse. 

Escrevo sobre o Vereador José Roberto Floriano, o Zé Pequeno, que assinou ontem, pela sua empresa, o Contrato Nº 048/2018 com a Prefeitura Municipal de Itajubá, no valor de R$ 649.333,97, para prestação de serviços de recomposição de pavimentação em bloquetes, paralepípedos e assentamento de meio-fios.

Tudo legal, com o Contrato obedecendo aos termos da Justificativa para abertura de Processo Licitatório nº 69/2018, na modalidade TOMADA DE PREÇOS nº 05/2018, com fundamento na Lei Federal nº. 8.666/1993 – Lei de Licitações.

Independente da seriedade conhecida do Vereador Zé Pequeno, fica difícil imaginar, partindo ou contando com a sua concordância, de algum questionamento ao Executivo, partindo da premissa que a principal função do legislativo municipal seria a de exercer a fiscalização.

Mais adiante, como os órgão da comunicação escrita e falada da cidade, praticamente todos eles com contratos para divulgação, etc, dos atos do município, podem sequer pensar  em divulgar algo ou emitir posição que venha a contrariar o vigilante contratante ?

É difícil sobreviver na área sem a participação garantida de contratos públicos. 

A situação vem a exigir do cidadão uma atenção especial e uma análise criteriosa, quando de notícias e posicionamentos.

É a vida...

Viver é Perigoso  

2 comentários:

Anônimo disse...

Tem angu nesse caroço Zelador, e todos sabem disso.
Diz a letra morta e enterrada da lei que agentes públicos não podem manter contratos com a administração pública no seu município.
Poderão dizer que o NOME DO VEREADOR NÃO CONSTA DO CONTRATO SOCIAL DA EMPRESA mas todos sabem, até a Mulher do Bronze, quem é o dono já que diariamente o mesmo dá expediente na sede de sua empresa lá na frente do INSS e ainda conta, lá na empresa, com o auxilio de seu assessor de gabinete pago pela população e que deveria esta na câmera trabalhando. Parabéns ao pacato e calado edil que de mané não tem nem o nome.

Anônimo disse...

Esse moço já teve que renunciar ao mandato uma outra vez.(2009/2012). Exatamente por ter contrato com a PMI. Tentou voltar atrás e retirar a carta renúncia na justiça eleitoral.Deu com os burros n'água. Na época Santi assumiu no lugar dele. Espertamente agora, pelo que consta, retirou seu nome da empresa. Mais uma para o MP investigar.Por falar nisso quem quiser ver quantas denúncias a atual administração tem no MP e só entrar no site.