terça-feira, 26 de junho de 2018

ACREDITE SE QUISER !



Mais uma bofetada na cara do Brasil. Daquelas de estalar.

O José Dirceu foi condenado a 30 anos de prisão e 9 meses de prisão por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Operação Lava Jato, ele já havia começado a cumprir a pena neste ano.

Por 3 votos a 1, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal decidiu nesta terça-feira soltar o ex-ministro José Dirceu.

A proposta de libertar José Dirceu partiu do ministro Dias Toffoli, ex-funcionário do próprio José Dirceu e do PT. Logicamente foi seguido pelos estranhos Gilmar (Rabo Preso) Mendes e Ricardo (Afilhado da Dna Marisa) Lewandowski. 

O único a votar contra foi Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF. Celso de Mello estava ausente na sessão e não participou do julgamento.

Como dizia o grande Sérgio Porto :  

"Ou restaure-se a moralidade ou locupletemo-nos todos!"

Viver é Perigoso 

10 comentários:

Anônimo disse...

E o Sergio Porto tinha razão: A partir do momento que o Temer está solto e presidindo o país, o Aécio está solto, Jucá está solto, Moreira Franco está solto,Padilha está solto, Maluf em casa, Collor está solto, Serra está solto, Marun está solto, etc. etc. etc.
Por que deixar os outros presos?
Colega de 87

Edson Riera disse...

Colega de 87 -

Todos os citados, inclusive o governador Pimentel, mais cedo ou mais tarde responderão à justiça pelos seus atos.

Quanto aos já condenados em segunda instância, caso do José Dirceu, a soltura é um desrespeito. Aliás, o citado elemento já foi condenado antes no famigerado mensalão. Os ministros cometeram um absurdo, uma vez que esse procedimento de prisão após a condenação em 2ª instância já foi discutido.
O Gilmar vota para tirar os seus, segundo os seus interesses. Os outros dois têm compromissos com o partido. Assim penso eu.
Amanhã vão liberar o Cabral, o Azevedo, o Cunha e toda a antiga diretoria do pt que se encontra recolhida.

Zelador

Anônimo disse...

Desconfio que a soltura do Dirceu é o prelúdio da soltura do Lula. Casos diferentes mas posturas políticas no tribunal iguais. observador da cena

Anônimo disse...

Zézinho

Constituição é constituição . Simples assim .
Se não gostam , que mudem .
E quanto ao seu amigo chargista , não vai publicar nada sobre o amigo dele do Paraná .
Dá-lhe Richa , se segura no PSDB que nada lhe acontecerá .

Edson Riera disse...

Observador de cena -

Está escrito.

Zelador

Edson Riera disse...

Richa no Paraná -

A Constituição garante que o réu tenha possibilidade de defesa em todas as instância existentes. Mas conforme já votado no Supremo, após o julgamento na segunda instância ele deverá ser recolhido, continuando porém, se tiver grana, contratando advogados para recursos, apelações, chicanas, etc.
Tudo acontecendo, com o elemento preso. Seja quem for.
Quanto ao Sponholz, não tem nenhum político de estimação.

Zelador

Anônimo disse...

O voto mais importante dessa eleição é o de senador. Eles que eventualmente podem "impinchar" um ministro do supremo. O problema do voto de nós mineiros são os nomes que estão sendo colocados como pré candidatos.

Edson Riera disse...

Pré-Candidatos -

Estamos devidamente lascados.

Zelador

Anônimo disse...

Zézinho

1 ) O supremo não tem competência para alterar a constituição .
2) "Após o julgamento na segunda instância ele deverá ser recolhido"
O que foi votado no Supremo é que ele poderá , bem diferente do seu deverá .

Edson Riera disse...

Deverá -

Grato.

Zelador