quarta-feira, 9 de maio de 2018

NOTÍCIAS BOAS


Sei lá. Mas aqueles que estão chegando agora, face a publicidade que vem sendo dada, ficam com a impressão que as anunciadas construções do cinema e do novo Fórum sejam obras da atual Administração. Tudo bem que os terrenos foram doados pelo município. No caso do Fórum, perfeitamente compreensível, por se tratar de um investimento público. No caso do cinema, muito já foi falado e é assunto encerrado, desde que a Prefeitura não venha a assumir os custos de terraplanagem do terreno. Aí já seria demais.

Por outro lado, aparentemente, o setor de comunicações da Prefeitura mudou de canal quando anunciaram a participação do Governo Mineiro na construção do Laboratório de Alta-Extra Tensão do Senai. Tivesse a intervenção favorável do Senhor Deputado Guru, estaríamos assistindo carreatas,  foguetórios e a concessão de mais títulos de cidadãos honorários. 

Talvez tenha escapado do pessoal um oba-oba em cima da inauguração de uma grande loja na Rua Nova, com o nome de Evolução, ou algo parecido. Claro, como mais uma nova grande conquista.

Tempos bicudos.

Viver é Perigoso

 

6 comentários:

Anônimo disse...

Zezinho! Excelente a matéria no Itajuba Notícias sobre este tema , muito bom ver as autoridades da terrinha unidas , alegres e felizes com este magnífico presente para a terrinha! Muito melhor que penitenciária, jogo de camisa e bolas para futebol! É por aí . (Meio desconfiado )

marcos antonio de carvalho disse...

UOA cidade já tem 3 Laboratorios de AT.
Mais um meia-boca, mas que dá um caldo.
Agora, mais um; o quarto!!!

Os proprietários desses 3 podem muito bem e facilmente entrar em acordo para atender o futuro usuário e ainda ganhar uma grana (quem seriam esses??? misterio que nem o Sombra, aquele que tudo vê e tudo sabe, sabe).
Não me falem em "pexxxquissa" que eu retiro o abestalhado da sala munido de uma passagem só de ida para Pacaraima (Paracaima??).
Inutilidade um.

Para funcionar bem, o LAB AT tem que ser fornecido, montado, testado e certificado por empresa(s) de primeira linha MUNDIAL. Pouquíssimas, hoje em dia (pro meu mal gosto, só duas - morei nessa aldeia, conheço os cabôco...).
Qualquer dessas com custos/preços CARÍSSIMOS.

Prazos e agendas (prazo para fabricação/fornecimento de equipamentos, pesquisas de viabilidade -> locação para pontos de aterramento dos suportes da malha, fundamental!! - pessoal especializado para montagem, comissionamento, prazo das obras, absolutamente indefinidas, jogados prás calendas). Inutilidade dois.

Dinheiro de parquinho, campo de aviação, cinema não pagam quase nada desse custo.
Mais: o governo seja estadual, federal, sistema S, "sociedade civil", "arco da sociedade pesquisadora- eletrotécnica" et caterva estão todos quebrados e não vão ter grana prá isso.
Mais um esqueleto em pé, só no tijolo (construtora, normalmente líder do consórcio, recebe primeiro)
Inutilidade três.

Esse mamute branco, escondido sob genialidades semântico-progressistas, vai dançar ciranda-cirandinha, mãozinhas dadas, com o campo de aviação, anel rodoviário, trevo da Piedade, reforma do mercadão e por aí vai...

Síntese das inutilidades: Aquele minueto mal ajambrado da "licença para abertura da concorrência da construção do trevo da Piedade".
Licença!!??
Para abertura da concorrência!!??
Para "construção" do trevo!!??
Ora, me deixe, diria um amigo baiano...

Prá mim, com a devida licença, tem carne debaixo desse angú.

Edson Riera disse...

Meio Desconfiado -

Não vi o jornal mas imagino.

Zelador

Edson Riera disse...

Caro Marcos -

Você tem bagagem, comportamento de vida e visão de futuro para expressar preocupação. Pelo que vimos até hoje e seguindo a mesma toada corremos sério risco.

Parte do pessoal diretamente envolvido no projeto lê o "Viver é Perigoso" e que reflitam, cuidem e lutem para que não tenhamos um projeto interrompido.

Um abraço

Edson

marcos antonio de carvalho disse...


Com o devido respeito da cotrovérsia, "excelente matéria no Jornal Sul de Minas" é capitulo de ficção: mais difícil que carregar porco em canoa.

Anônimo disse...

Parte do pessoal diretamente envolvido no projeto lê o "Viver é Perigoso" e que reflitam, cuidem e lutem para que não tenhamos um projeto interrompido.


Não se esqueçam do AEROPORTO. Este filme é velho.