quinta-feira, 31 de maio de 2018

SÓ BLUES



Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA


Pablo Picasso - Man and Woman with Bouquet - 1970.

Viver é Perigoso

DEU NO CLARIN !


Saiu o resultado: Gilmar sofre de incontinência legal

Clarin da Boa Vista

Viver é Perigoso

QUEROSENE


Nos anos 60, na Boa Vista, é claro, um dos maiores insultos proferidos era chamar o sujeito de "querosene".

Sinônimo de pessoa chata, insuportável e que provocava a debandada geral dos frequentadores do Bar Caçador, da sapataria do Procópio e das barbearias do Melinho e do Anibal.

Depois das raríssimas citações as senhoras genitoras, a mais grave ofensa era o uso do "querosene".

Na Boa Vista não existem mais, Parece que se deslocaram todos para a área central da cidade.

Certamente, esse tipo de "combustível" nunca faltou no mercado.

Viver é Perigoso

quarta-feira, 30 de maio de 2018

COMPANHEIRAS NA CALAMIDADE

Cidades que decretaram calamidade pública em Minas Gerais
Araçuaí; Itajubá; Piranga; Arcos; Itaú de Minas; Recreio; Borda da Mata; Jesuânia; São Domingos das Dores; Caraí; Lavras; São Francisco da Glória; Carmo da Mata; Mathias Lobato; São Sebastião do Paraíso; Coronel Xavier Chaves; Monte Carmelo; Vermelho Novo; Frei Inocêncio; Natércia; Ipaba; Paraopeba
Blog: Entenderam agora ?
Viver é Perigoso

GEORGE, O BEATLE



Viver é Perigoso

CARTAS TROCADAS ENTRE AMIGOS


Itajubá, 30 de maio de 2018

Caro Edson

O grande expoente do Anarquismo foi, em minha opinião, Mikhail Bakunin,teórico politico russo e nascido dois anos antes de Thoreau . Estaria completando 204
anos exatamente amanhã, 30 de maio. Nasceu em 1814 e faleceu em 1876. 

Era considerado, agitador, internacionalista, libertário e anti-autoritário. Influenciado pelo pensamento de Hegel e também por Karl Marx, Pierre Joseph Proudhon dentre outros. 

Autor de frases famosas, dentre elas a seguinte:

" Eu reverto a frase de Voltaire e digo isso: ' Se Deus realmente existisse seria necessário aboli-lo" 
.
Como podemos ver, o homem não erra nada fácil. 

Um abraço, Roberto Lamoglia

Itajubá, 30 de maio de 2018

Caro Roberto

Realmente o Mikhail Bakunin foi um senhor anarquista e participou diretamente dos grandes a apaixonante debates do século 19. Era declaradamente ateu. 

Foi um anarquista, digamos assim, coletivo.

Desde rapaz, na Boa Vista, é claro, voltei mais para a o Henry David Thoreau, que acreditava e tinha temor de Deus. E mais, tinha como tutor o Ralph Waldo Emerson, a quem sempre admirei desde que conheci seus escritos.

Sobre Thoreau, quando sua tia Louisa perguntou a ele em suas últimas semanas se ele havia feito as pazes com Deus, Thoreau respondeu: "Eu não sabia que já havíamos brigado".

Foi uma época riquíssima de ideias.

Ralph Waldo Emerson 1803/1882
Mikhail Bakunin 1814/1876 
Henry David Thoreau 1817/1862

Um grande abraço. É uma alegria trocar ideias com você.

Edson

NOSSA ÚLTIMA ESPERANÇA

Viver é Perigoso

terça-feira, 29 de maio de 2018

DISSERAM:


“Desisto. Jamais chegaremos à civilização, pelo menos no que me resta de vida.”

Clóvis Rossi 

(comentário Observador de Cena)

Viver é Perigoso

COMIGO NINGUÉM PODE !


Viver é Perigoso

DESOBEDIÊNCIA CIVIL

"...Deve o cidadão desistir da sua consciência, mesmo por um único instante ou em última instância, e se dobrar ao legislador? Por que então estará cada homem dotado de uma consciência? Na minha opinião devemos ser em primeiro lugar homens, e só então súditos. Não é desejável cultivar o respeito às leis no mesmo nível do respeito aos direitos. A única obrigação que tenho direito de assumir é fazer a qual­quer momento aquilo que julgo certo. Costuma-se dizer, e com toda a razão, que uma corporação não tem consciência; mas uma corporação de homens conscienciosos é uma corporação com consciência. A lei nunca fez os homens sequer um pouco mais justos; e o respeito reverente pela lei tem levado até mesmo os bem-intencionados a agir quotidianamente como mensageiros da injustiça..." - Thoreau

Pois bem, todo mundo já ouviu falar de Henry Thoreau, formador de opiniões, americano, nascido em Massachusetts, em 1817.
Influenciou, através da sua filosofia da desobediência civil, o pensamento político e ações de grandes personalidades, como Tolstoi, Gandhi, Martin Luther King, Proust, Hemingway, Shaw e Yets.
Um anarquista individualista.
Thoreau decidiu não pagar impostos porque achava errado dar dinheiro aos EUA, um país escravagista e em guerra com o México. Thoreau foi preso e solto no dia seguinte. Sua tia pagou a fiança.
Após a noite na cadeia, Thoreau escreveu um texto incontido e ferino, que se tornou a bíblia dos libertários: "A Desobediência Civil"
A "Desobediência Civil", nas mãos de Gandhi, serviu para derrubar um império e inspirou Martin Luther.

Guardando as devidas e normais proporções, influenciou muitos jovens brasileiros nos anos 60 e entre eles, um estudante de Passa Quatro. No início dos anos 60, o estudante e ativista Aldo G. por sua vez, emprestou a um rapaz da Boa Vista, é claro, um desgastado exemplar do pequenino e potente livro. Insistiu na sua leitura e posterior discussão. Daí surgiu outro influenciado, também, um anarquista.

"Mais que amor, dinheiro e fama, dai-me a verdade. Sentei-me a uma mesa em que a comida era fina, os vinhos abundantes e o serviço impecável, mas faltavam sinceridade e verdade e fui-me embora do recinto inóspito, sentindo fome. A hospitalidade era fria como os sorvetes." - Thoreau

Viver é Perigoso

PRÁ PENSAR





"Todas as grandes mudanças são precedidas pelo caos."

Deepak Chopra

"Taí, quem apostou no caos não vai perder dinheiro."

Millôr

Viver é Perigoso

SEGUE FUNCIONANDO

Viver é Perigoso

segunda-feira, 28 de maio de 2018

CALAMIDADE - O SURTO


Na reunião de hoje da Câmara Municipal, o independente Vereador Marcelo Krauss, teve a ousadia de propor uma providência esperada por 99% da população. Em requerimento verbal pediu que o Secretário de Governo fosse convidado (não convocado) para dar explicação sobre o estado de calamidade decretado pelo Prefeito.

Pânico calamitoso nas hostes governistas. Saíram em defesa do Executivo e consideraram quase uma ofensa, num momento desses, buscar informações sobre um decreto vindo do alto.

Não há meio de entenderem que a Câmara é constituída por representantes do povo

Seria cômico se não fosse trágico.

Viver é Perigoso  

BARBEIRO

Viver é Perigoso

ÊPA ! PREOCUPANTE AS PROVIDÊNCIAS QUE PODEM SER ADOTADAS.


Acredite se quiser, mas a Prefeitura Municipal de Itajubá impôs, através do Decreto 6994/2018, de 28 de maio de 2018, o "estado de Calamidade Pública".

Jamais imaginei que viveria para presenciar um Decreto de Calamidade Pública na minha cidade.

O estado de calamidade pública é decretado por governantes em situações reconhecidamente anormais, decorrentes de desastres (naturais ou provocados) e que causam danos graves à comunidade, inclusive ameaçando a vida dessa população. É preciso haver pelo menos dois entre três tipos de danos para se caracterizar a calamidade: danos humanos. materiais ou ambientais.

A Constituição permite que em casos de calamidade pública o governante tome os chamados empréstimos compulsórios. 
Além disso, o governante pode passar a parcelar as dívidas, atrasar a execução de gastos obrigatórios e antecipar o recebimento de receitas. 
O município afetado também pode ficar dispensado de realizar licitação em obras e serviços enquanto durar a calamidade. 
Finalmente, a população atingida pode sacar parte do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

O Governo Federal normalmente ajuda em situações de emergência com itens de ajuda humanitária, envio da Defesa Civil ou até das Forças Armadas, além de recursos financeiros.

Viver é Perigoso

CALAMIDADE PÚBLICA EM ITAJUBÁ !


DECRETO Nº. 6994/2018, DE 28 DE MAIO DE 2018. 

Decreta situação de calamidade pública ocasionada pelo desabastecimento geral e contém outras providências.

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ITAJUBÁ, no uso de suas atribuições legais, conferidas pela Lei Orgânica Municipal e repousado na legislação suplementar pertinente, CONSIDERANDO que o país atravessa um período marcado pela paralisação geral da categoria dos caminhoneiros; 
CONSIDERANDO que o fato tem concebido o desabastecimento geral, principalmente com referência a locomoção das pessoas, combustíveis, alimentação, bebidas, dentre outros tantos, quando afeta os órgãos da administração pública municipal em razão da limitação de entrega de mercadorias e o próprio desenvolvimento dos trabalhos necessários e indispensáveis para o atendimento público; 
CONSIDERANDO que a manutenção do funcionamento da frota de veículos do município, depende do regular abastecimento para atender àqueles serviços públicos essenciais, e CONSIDERANDO, por derradeiro, que o impasse é fato notório de amplo conhecimento, salta aos olhos, bem como a flagrante dependência da administração municipal a uma solução de continuidade, 
DECRETA: 
Art. 1º. Fica decretada situação de Calamidade Pública, em virtude do desabastecimento geral ocasionado pela falta de combustíveis decorrentes da paralisação dos caminhoneiros ocorrida no âmbito nacional, e o consequente impedimento de ir e vir não apenas da frota municipal, bem como dos cidadãos. 
Art. 2º. Fica decretado ponto facultativo em todas as repartições públicas municipais nos dias 29.05.2018 e 30.05.2018 (terça-feira e quarta-feira), ressalvados os casos de urgência e emergência que deverão organizar escala mínima de plantão, visando a não descontinuidade dos serviços essenciais, dentre os quais se destacam os relacionados a saúde, defesa social e obras. 
Parágrafo Único. Os motoristas dos veículos municipais ficam dispensados da aferição do ponto e permanecerão em estado de disponibilidade, para uma eventual necessidade. 
Art. 3º. O combustível eventualmente disponível em estoque do município deverá ser priorizado para o TFD (Tratamento Fora de Domicílio) dos pacientes que possivelmente necessitarem da realização de procedimentos médicos em outros municípios. 
Art. 4º. Fica suspenso o calendário escolar da rede municipal, o que deverá perdurar até que seja normalizado o abastecimento da frota municipal cuja a compensação será em data posterior. 
Art. 5º. Fica autorizada a realização de requisição administrativa ou quaisquer outras medidas expropriatórias que se fizerem necessárias para o efetivo atendimento à situação de calamidade. 
Art. 6º. Com base no inciso IV do artigo 24 da Lei nº. 8.666/1993, sem prejuízo das restrições da Lei de Responsabilidade Fiscal – LC nº 101/2000 -, ficam dispensados de licitação os contratos de aquisição de bens e serviços, necessários às atividades de enfrentamento da situação de calamidade. 
Art. 7º. O presente decreto produzirá efeitos e vigorará até que ocorra a necessária e indispensável regularização do abastecimento geral e do fornecimento de combustível aos veículos automotores da frota municipal, quando será retomada a situação de normalidade. Art. 8º. Este decreto entra em vigor na data de sua publicação. 
Itajubá, 28 de maio de 2018, 199° ano da fundação e 169° da elevação à Município. 
Prefeito Municipal de Itajubá

Viver é Perigoso

domingo, 27 de maio de 2018

sábado, 26 de maio de 2018

É DISCO QUE EU GOSTO



Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Wassily Kandinsky - Romantic landscape, 1911.
Viver é Perigoso

JÁ ESTÁ BOM


Quinta-feira, quando da cerimônia de posse da nova diretoria da Fiemg, em Belo Horozonte, em seu discurso, o Presidente Temer anunciou a nomeação do ex-presidente da Fiemg, Olavo Machado, cujo mandato se encerrava naquele instante, para o cargo de assessor especial para assuntos ligados a inovação e tecnologia. 

´Blog: Já está bom, mas ser nomeado assessor do Temer nessa altura do campeonato, sei não...

Viver é Perigoso

PAGANDO O PA(C)TO !

Viver é Perigoso

sexta-feira, 25 de maio de 2018

OUTROS TEMPOS



Viver é Perigoso

FLAUTISTA DE HAMELIN


Sr. Zé Cláudio, da Boa Vista, é claro, vem criando a família toda com o seu Mercedes Benz- Tanque. Há séculos "puxa" gasolina de São José dos Campos para Itajubá. É Também um conhecido gozador.

Nesta sexta-feira seca (de gasolina) ele extrapolou. Talvez entediado por já estar 3 dias parado em casa.

Logo depois do almoço, pegou o seu caminhão, fez as manobras e entrou na cidade pela rodovia BR-459. 

Ao passar em frente ao Senai começou a buzinar. Antes de chegar na esquina da antiga Padaria Soberana já tinha uns dez carros seguindo atrás. Continuou buzinando. Na Rua Maria Carneiro, já era seguido por uns vinte automóveis. Todos buscando descobrir qual o Posto felizardo que receberia a mercadoria.

Entrou pelo Sambódromo e a carreata já era considerada igual a do Aécio Neves na última eleição presidencial, bem antes dele ser pego com a boca na botija. Saiu pelo Morro Chic, sempre buzinando e a procissão aumentando.

Foi para o Centro da cidade onde aconteceu um principio de encrenca nas proximidades da Rua Francisco Masseli, quando um conhecido médico vindo de Passa Quatro, tentou furar a fila da carreata.

Atravessou a cidade seguindo para as bandas do Posto Avalon ou seria o P4 ? Pelo celular, motoristas seguidores passavam informações aos amigos e parentes. A notícia correu até pelo Facebook.  E a procissão aumentando.

Passou direto pelos Postos e tomou rumo da Rodovia Itajubá-Dutra. E a turma seguindo e ele buzinando. O povo feliz e aliviado aplaudia a passagem da carreta.

Os primeiros motoristas da fila, orgulhosos, com os vidros abertos, acenavam vitoriosos para o povo.

Seguiu pela Rodovia e entrou pela ponte da Imbel. Aí o pessoal que o seguia começou a desconfiar e ficar apreensivo, uma vez que todos seguiam queimando combustível.

Voltou para a cidade pela Varginha e parou para tomar um sorvete de queijo com goiabada no Mauro. O final da fila ainda estava na Imbel.

Ele se encostou no estribo do seu caminhão tanque, tomando lentamente o seu sorvetão de quatro bolas, enquanto assistia os carros do MSG - Movimento dos Sem Gasolina, passarem sem jeito, com motoristas assoviando, disfarçando a vergonha por terem caído naquela.

Lembrou a história do Flautista de Hamelin.

É a vida...

Viver é Perigoso  

APOCALIPSE NOW !


Ouvido hoje no Alvoradão da Boa Vista, é claro:

- Óia, só vou levar em conta que a situação realmente estaria fora de controle, quando ver uma placa "Volta Dilma "

Viver é Perigoso

O SONHO DE UMA VIDA


País às vésperas de uma paralisação. Mídia 24 horas focada no assunto. Redes sociais voltadas para os acontecimentos. Mobilização rara de ser assistida.

Tudo que o PT imaginava que aconteceria com a prisão do Lula.

Pior, tudo acontecendo sem MST, MTST, etc, que devem ter tomado conhecimento da paralisação pelos jornais ou quando foram abastecer suas SUV´s. 

Estão em disparada na tentativa de pegar carona dos caminhoneiros.

Passaram a meros coadjuvantes.

É a vida...

Viver é Perigoso

DEIXA PARA A COMPETENTA

Viver é Perigoso

APENAS LIGEIRAS FARPAS

foto ilustrativa
Na noite de ontem, em Belo Horizonte, em evento que marcou a troca de posse da diretoria da Federação das Indústrias de Minas Gerais - Fiemg, aconteceu uma ligeira troca de farpas entre o Governador Pimentel e o Presidente Temer.

Discursou Pimentel:

"Há de convir que o aumento em mais de 50% dos combustíveis em 12 meses é absolutamente incompatível com o nível de preços geral da economia e da renda do trabalhador brasileiro. O discurso de reverter prejuízos causados a Petrobras não pode nem deve ser suporte para uma política de preços tão descolada da realidade como essa.Não é possível o Brasil seguir uma política de preços igual a uma grande potência mundial, como os Estados Unidos. Adotar a política americana no Brasil é como usar tanga no polo norte ou casaco de pele no Saara".

O Presidente Michel Temer discursou logo em seguida: 

"Temos que deixar claro que uma grande parte da formação de preço dos combustíveis são de impostos de responsabilidade dos Estados, no caso o ICMS. Então os Estados também têm responsabilidade nisso e poderiam contribuir na luta pela redução dos preços dos combustíveis".

E segue o jogo...

Viver é Perigoso

quinta-feira, 24 de maio de 2018

ESTAREMOS ATENTOS


Pelo Facebook, o André Gesualdi está comunicando o seu desligamento da Presidência da FIEMG Regional Sul. 

Mudanças que acontecem. Mas a saída do André Gesualdi da importante posição não deixa de ser desinteressante para a nossa cidade.

Há tempos, veladamente, temos registrado essa preocupação, uma vez que sua presença e forte atuação sempre foi uma garantia na defesa permanente da manutenção dos investimentos administrados pela Fiemg no município. 

Carente de confirmação, mas parece que o novo Presidente da Fiemg Regional Sul, será o Sr. Sebastião Rogério Teixeira, do Sindicato Sindicato Intermunicipal das Indústrias da Construção Civil da Região dos Lagos Sul Mineiros – Sinduscon Lagos, de Varginha.

É a vida...

Viver é Perigoso

AQUI JAZZ !



Viver é Perigoso

GOVERNO, LITERALMENTE DE QUATRO !


Claro, diante da Confederação Nacional do Transporte. Mais uma vez transferiram a conta para o povo.

Viver é Perigoso

PARENTE DURO DE ROER

Viver é Perigoso


FOTOGRAFIA DO MOMENTO


Opiniões diferentes sempre existirão. Cada pessoa tem sua leitura particular acerca do mundo, e, certamente, as inúmeras estruturas sociais não funcionariam se todos compartilhassem da mesma percepção. Lembrando que hoje, felizmente, pode-se discutir sobre qualquer assunto com liberdade – publicamente e em qualquer plataforma, inclusive a das ruas. 

O grande problema é que, para além da discussão e dos diferentes pontos de vista, a mensagem que vem chegando ao interlocutor está cada vez mais carregada de ódio e intolerância, indo exatamente na contramão do diálogo. 

Vivemos tempos em que as divergências estão por dividir forças que deveriam se fundir a favor do bem comum, a favor do avanço coletivo. Porque, ainda que as convicções se distanciem, não deveriam, de forma alguma, fazer ruir as pontes que nos levam ao entendimento. 

Por discordarem de ideias e conceitos, as pessoas estão se tornando oponentes. Com a tecnologia, isso ficou ainda mais visível. Notoriamente, amigos e famílias estão se convertendo em inimigos. Discordar virou sinônimo de execrar. 

No ambiente político, a situação torna-se ainda mais grave na medida em que muitos parecem ter abandonado o diálogo e optado pela postura do “nós contra eles”. 

Entendemos que a discordância está na alma da atividade política, proporcionando o debate, a busca pelo caminho possível, o exercício da arte do convencimento e da capacidade de ceder para avançar. Quantas conquistas foram obtidas assim, tendo pontos de vista diversos como motor?

Já a polarização pura e simples, a vontade de vencer o outro em vez de buscar o melhor caminho, tem o efeito contrário. Paralisa, estagna, impede que processos importantes avancem e tira do foco o principal objetivo que deveríamos ter: cuidar dos interesses da população. Importantes questões de interesse público, por força de desentendimentos e rixas, acabam se arrastando e, muitas vezes, ficando sem solução.

Não é possível que deixemos de fazer a coisa certa, de lutar o bom combate para simplesmente engajar em uma briga de torcidas infértil e custosa para todos, especialmente para aqueles que nos escolheram como representantes. 

Quem se beneficia quando os lados não conversam? Ninguém. Considerar a opinião do outro não significa, absolutamente, desconsiderar suas próprias convicções. Ao contrário, pode fortalecê-las ou, ainda, complementar suas ideias sob um outro prisma. 

Este é o momento de parar, refletir e recuperar a democrática arte de avançar ao lado de quem discorda de nós. É um exercício que venho tentando fazer ao longo de minha trajetória e que se vê fundamental nos tempos atuais.

É tempo de perceber as diferenças como a possibilidade de construir um novo caminho (ou muitos) em vez de criar abismos. Conciliar para avançar coletivamente. E se a discordância aparentemente insuperável surgir, que tenhamos a tranquilidade para escutar, dialogar e buscar o nem sempre óbvio ponto comum para, com respeito e espírito democrático, tomar as decisões que beneficiarão quem realmente precisa.

Adalclever Lopes

Presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais

Viver é Perigoso

COBRANDO RESPONSABILIDADES


Flávio Roscoe toma posse hoje como novo presidente da Fiemg. Roscoe falou, na última terça-feira, na reunião plenária da Associação Comercial e Empresarial de Minas.

Na avaliação do novo presidente da Fiemg, falta às entidades lideranças mais ativas, principalmente no que se refere ao campo político, ambiente que, nos últimos anos vem se deteriorando no Brasil. Segundo ele, é importante que federações, associações, sindicatos e demais instituições se unem para preencher os vazios deixados pelos "políticos profissionais".

Disse: - é preciso dialogar e conhecer as necessidades da sociedade. Estou aqui para convidá-los para este engajamento.

Blog: Recentemente, o ex-presidente da ACIEI, Remy Andrade, fez a mesma pregação e se envolveu pessoalmente na tentativa de alertar os empresários de Itajubá para a necessidade de assumir posições na comunidade.
Foi atacado e empreendeu um combate quase que sozinho. 
Os dirigentes empresariais esquecem ou disfarçam que não sabem que o País começa nos municípios.

Não descobriram ainda que questionar, discutir e participar são princípios básicos da cidadania.

Viver é Perigoso 

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

TOMOU O BARCO


“Eu apalpo meu corpo, com minhas próprias mãos, e penso: Isto é o meu corpo! Ele não pode desaparecer! Isso não pode ser verdade!” O autor desta frase premonitória, Philip Roth, desapareceu na terça-feira, 22 de maio de 2018, num hospital de Nova York. Tinha 85 anos. Era, como muitos sabem, escritor; o maior escritor vivo dos Estados Unidos, até terça-feira passada, antes da hora final.

O livro onde deixou registrada aquela frase chama-se “O Animal Agonizante” (2001). É a história de uma moça que descobre estar com câncer, Consuela Castillo, namorada de seu professor (e narrador) David Kepesh: um velho de 65 anos apaixonado por uma garota de 24. Eis, então, o resumo de tudo, pelas lentes do amor: a ânsia por viver de um homem cheio de vida e receoso do fim, olhando para trás com um nó na garganta.

J.C. Guimarães

Viver é Perigoso

NOSSA ESCOLA - NOTA DE PESAR


Li hoje no site da nossa Escola, Unifei. Surpreso com a publicação. Concordando porém com todo o expresso. Aliás, bem oportuno. 

09 de maio de 2018

O caso do prédio que desabou no centro da cidade de São Paulo mostra que os verdadeiros invasores do patrimônio público são, de fato, não a massa de indigentes e desvalidos, mas o Estado, que, em todas as suas esferas, se esquiva de suas responsabilidades básicas e, por consequência, denigre a dignidade dos brasileiros mais desfavorecidos, pois que lhes são sistematicamente negadas as condições humanitárias mínimas de sobrevivência.

Graças ao atual modelo político vigente, parte significativa das legendas políticas das mais variadas tendências têm dado guarida a grupos que se alternam na prática da extorsão de nossas instituições e empresas públicas. Esse estado de coisas vai contra ao fato de que o Estado deveria ser, tão somente, o mantenedor das ações de cidadania por meio da educação e da saúde, assim como o executor de políticas sérias de segurança e justiça social.

O que se observa é, justamente, uma inversão desses valores constitucionais, com o Estado aliado à parte do partidos políticos e organizações variadas que, conjuntamente, nada mais são do que mercadores do sofrimento alheio. Situação abjeta quando observamos, por exemplo, segmentos privilegiados recebendo auxílio-moradia ao lado da omissão e do descaso na manutenção de verdadeiros depósitos de gente, nos guetos de muitas favelas e nos prédios abandonados. A trágica síntese de que o direito constitucional ao abrigo, à moradia é vilipendiado por aqueles que deveriam ser seus garantidores.

A queda do edifício do Largo do Paissandu é a “bola da vez”, e existem tantas outras que, daqui a pouco, cada uma delas vai ser obscurecida pela nova desgraça do momento.

O período eleitoral se aproxima e, mais uma vez, nossa instituição, assim como as demais, será obrigada a seguir regras de conduta sobre como deveremos nos conduzir nesse período. Pois fica aqui a reflexão de que talvez consigamos reduzir essa absurda insensatez coletiva que nos tem permitido substituir a razão pela emoção e pelo fanatismo se nos devotarmos à criteriosa seleção na escolha daqueles que nos governarão e legislarão.

Dagoberto Alves de Almeida

Reitor da Unifei

Viver é Perigoso

OS VISITANTES

Viver é Perigoso

quarta-feira, 23 de maio de 2018

ELA, NINA SIMONE



Viver é Perigoso

PANELA VÉIA FAZ COMIDA BOA ?


Sérgio Reis falou do peso da idade no "Programa do Porchat" desta terça-feira (22). O cantor, de 78 anos, enumerou os problemas de saúde que enfrentou nos últimos anos. 

"Ficar 'véio' é uma desgraça. Esse ano, eu já tive AVC hemorrágico voando, tive que operar o cérebro, operei tudo que você imagina. A última foi o fêmur. Tive que trocar a peça aqui", disse o músico apontado para o quadril. 

Diabético, ele também já passou por outros momentos delicado, como em março de 2012. "Caí do palco, trinquei nove vértebras, perfurei costelas".

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA



Viver é Perigoso

ICMS SOBRE A GASOLINA E O ÁLCOOL

Respectivamente, as alíquotas de icms que incidem sobre os preços da gasolina e do ácool. Sem mencionar as alíquotas dos tributos federais(PIS/PASEP, COFINS e CIDE). Minas Gerais está bem situada no icms sobre a gasolina, para felicidade do governo estadual e dos Srs. prefeitos. 

GO - 30%   25% 
MA -  28% 26%
MG -  31% 16% 
MS -  25% 25%
MT -  25% 25%
PA -  28% 26%
PB -  29% 23%
PE -  29% 23%
PI -  31% 19%
PR -  29% 18%
RJ - 34% 25%
RN -  29% 23%
RO -  26% 26%
RR -  25% 25%
RS -  30% 30%
SC - 25% 25%
SE -  29% 27%
SP -  25% 12%
TO -  29% 29%

Viver é Perigoso

DE VOLTA AO PASSADO PENSANDO NO FUTURO


Na terrinha, mesmo que lentamente, algumas coisas parecem que voltam a entrar nos eixos.
 
Notícias dão conta que foi assinado o Termo de Cessão para uso temporário das dependências do Complexo Histórico e Cultural da Unifei, no centro da cidade, pela Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá (Incit), uma das unidades que compõem o ecossistema de empreendedorismo do município.

Lá pelo final dos anos 90, o prédio histórico da nossa Escola, graças a entendimentos entre o Prefeito da época, Francisco Marques, o Reitor da Unifei, Professor José Carlos, o idealista Prof. Renato Nunes e o operante Luiz Salomon, a Incubadora de Empresas de Itajubá iniciou a sua caminhada nas mesmas instalações. 

Muita luta, sucessos e incompreensões nesses anos todos.

Mas enfim...prevalece o bom senso.

É a vida...

Viver é Perigoso

ENORMES FILAS NOS POSTOS DE GASOLINA


Ouvido hoje de um motorista aguardando na fila para abastecimento, na Boa Vista, é claro:

- Sou freguês antigo. Só abasteço o carro aqui no Posto Boa Vista.

- Desculpa, mas esta fila aqui é a do Posto da Avenida.

Viver é Perigoso

ÊPA !



Quem enricar com política é ladrão ! L-A-D-R-Ã-O !

Geraldo Alckmin

Viver é Perigoso



NOSSA ESCOLA - DEMOCRÁTICA OU IMPERIALISTA

Será ?
Questionamento feito em explicada postagem no "viladeutopia" pelo Professor João Lucas da Silva, da Escola Federal de Engenharia de Itajubá - Campus de Itabira.

" O cancelamento da consulta pública acerca da divisão da Unidade Acadêmica do Campus de Itabira e o preterimento da nomeação dos primeiros colocados são dois exemplos de ações que têm gerado um descontentamento generalizado da comunidade, suscitando inúmeras perguntas, tais como:

1 - Estaria o reitor invocando o “poder pessoal“?

2 - A reitoria teria um diagnóstico mais preciso sobre o que é melhor para o Campus de Itabira do que a própria comunidade deste?

3 - Se este for um argumento, como o reitor e seu vice conseguiriam entender tanto a realidade do Campus Avançado se eles quase não o visitam?

4 - Por que tanta demora em nomear os diretores após a consulta pública e ratificação do Conselho de Campus? Teria alguma relação com a aprovação da nova norma disciplinar discente que restringe a possibilidade de manifestação desta classe, apenas dois dias antes da nomeação?

5 - Qual é, afinal de contas, o grande problema em se ouvir a comunidade acadêmica de Itabira? Por que cancelar monocraticamente uma consulta pública (referente à divisão do campus em unidades acadêmicas) e desconsiderar o resultado da outra (sobre a escolha do diretor do campus)?

6 - É realmente inviável para a gestão da Universidade que a diretoria do Campus Avançado tenha uma visão diferente de administração? Visões diferentes não poderiam dialogar para obter resultados inclusive mais representativos e eficazes?

7 - Seguir cegamente normas é garantir a democracia na gestão? Estas normas são perfeitas e não deixam margem a ações autoritárias?

8 - Se o reitor e o vice-reitor estão sempre abertos ao diálogo, por que eles não vêm ao Campus de Itabira para isso?

9 - Por que não conversar com a imprensa itabirana? Por que os posicionamentos do reitor se apresentam sempre no site oficial da Instituição onde apenas o seu lado pode ser exposto?

10 - Qual é o real motivo de o reitor ter tanta resistência em conversar com os alunos de Itabira, mesmo por videoconferência? Por que não disponibilizar a gravação da última reunião para o DCE quando este a solicitou?


O mais irônico é que a argumentação da reitoria se baseia na justificativa do amparo legal da decisão. Esta, talvez, seja a única concordância entre ela e o movimento de quem questiona o que vem acontecendo: ambos os lados entendem a legalidade da nomeação.

Todavia, vivemos uma realidade onde a nomeação de cargos oficiais funciona como troca de lealdade política e pessoal, servindo para beneficiar os interesses, sobretudo de quem já tem poder – José de Alencar já denunciava essa prática em suas crônicas há quase cento e cinquenta anos! -. Que garantias existem de que este não é o caso? Qualquer semelhança com o atual cenário político nacional não é mera coincidência.

Manipulação dos trâmites legais para colocar no poder pessoas não escolhidas democraticamente: vimos isso na esfera federal e agora estamos observando o mesmo em nossa Instituição. Esta lógica clientelista só é quebrada com o respeito às ferramentas democráticas e participação ampla e direta da comunidade na escolha dos seus representantes e dos seus gestores públicos.

Passado um mês da nomeação, estas são apenas algumas perguntas que ainda ecoam sem respostas concretas na mente dos mais atentos. Infelizmente, muitos da comunidade acadêmica nem sequer se incomodam com os fatos: alguns por pura desatenção, outros por identificação com um modelo de gestão conservador, extremamente hierarquizado e paternalista, onde decisões são tomadas de uma maneira verticalizada, sem contestação – possivelmente, neste segundo grupo, encontram-se os diretores nomeados. 

Existe também uma preocupante parcela da comunidade acadêmica que não se manifesta temendo retaliação. Esta é uma triste realidade em se considerando o pluralismo de ideias que deveria ser uma constante nas Universidades Públicas. "


(Extraído do www.viladeutopia.com.br)

Viver é Perigoso