quinta-feira, 5 de abril de 2018

SOMOS ENGENHEIROS


Art LVII da Constituição : "Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória"

Tal qual o teorema de Pitágoras : Num triângulo retângulo plano o quadrado da Hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos Catetos, todos leem mas alguns não o entendem.

A análise é assim:

1 - Houve julgamento ? - Sim dois julgamentos

o triângulo é retângulo plano ? sim, é plano e o ângulo entre os Catetos é reto (90º)

2 - Transitou (ou passou) de um julgamento para outro ? - sim, transitou da Primeira Instância para a Segunda Instância.

Calculou o quadrado da Hipotenusa ? sim calculou

3 - Houve sentença condenatória ? - Sim, foi condenado em ambas, Primeira e Segunda Instância.

Calculou o quadrado dos Catetos e somou os resultados ? - Sim, calculou ambos e somou os resultados ?

4 - Pode ser considerado culpado ? - sim, de acordo com o Art. LVII da Constituição.

Comparou os resultados - sim, o quadrado da Hipotenusa é igual à soma do quadrado dos Catetos !

Viram como é simples ? Pena que nem todos os Ministros estudaram matemática.

Viver é Perigoso

8 comentários:

Anônimo disse...

"Trânsito em julgado é uma expressão usada para uma decisão ou acórdão judicial da qual não se pode mais recorrer, seja porque já passou por todos os recursos possíveis, seja porque o prazo para recorrer terminou ou por acordo homologado por sentença entre as partes."
Até onde entendi, não passou por todos os recursos possíveis?
Para não gerar polêmica e confundir opinião pessoal e análise do caso: Eu sou favorável à prisão na primeira instância...Recorre depois, na segunda, terceira, quarta, Deus, diabo, mãe de santo and so on...
Colega de 87

Anônimo disse...

Zelador

See you in september !

Edson Riera disse...

Colega de 87 -

Sempre ouvi isso: Com dinheiro ninguém vai para a cadeia e se for, sai rápido. O lamentável de tudo isso é a politização do STF.

Zelador

ANSELMO disse...

O processo do Lula está longe de transitar em julgado.
Por isso ele brada inocência.

O sistema jurídico é muito parecido com sistemas de informação.
Nenhuma regra é absoluta e nenhum sistema é invulnerável.
O que vale pra maioria não vale pra todos.
Tudo é convenção então o certo de hoje pode ser o errado de amanhã.
Pra piorar...
Há centenas de milhares de hackers, só que aqui eles se nomeiam advogados.
Nenhum antivírus funciona direito.
Tem outro agravante: o ser humano é bem mais complexo do que um computador.

Difícil confiar num ramo do conhecimento que até hoje não conseguiu explicar seu nome?
(direito é lei, ordem, o correto, o justo, lado contrário ao esquerdo, norma, poder, organização, etc).
Tá ruim, mas é o mió que tá teno.
Abs

Edson Riera disse...

Anselmo -

Estamos devidamente lascados.

Abraço

Zelador

Roberto Lamoglia disse...


Meus parabéns Edson. Bela analogia.
Engenheiro também é para estas coisas.
Um abraço, Roberto.

PS: Bastante interessantes os comentários do Anselmo e do Colega 87.
Para mim, neste País onde as leis e a própria Constituição são feitas para
atender interesses dos políticos de plantão, Transito em Julgado só acontece
no Cemitério.

Edson Riera disse...

Roberto Lamoglia -

Um abraço ao primeiro leitor do blog.

Falando francamente, o "teorema" foi recebido de um grande amigo e professor Dr. Amadeu Aleixo Machado, engenheiro do ITA, atualmente em Itapetininga.

Edson

Anônimo disse...

Outra analogia interessante... Não falando da justiça, mas como a política está em tudo!

HPR (Honesto, Político e Rico)

Análogo à escolha BBB (bom, bonito e barato)

Faça as combinações (só duas escolhas são possíveis!)

Colega de 87