sexta-feira, 20 de abril de 2018

MAIS DA NOSSA ESCOLA


Deu no site viladeutopia de Itabira (resumo)

A crise instalada no campus da Unifei em Itabira se agravou na quarta-feira (18) com a publicação de um memorando do reitor da Universidade Federal de Itajubá, professor Dagoberto Almeida Alves, nomeando o professor José Eugênio Lopes de Almeida para a diretoria-geral do campus local. Para a vice-diretoria foi nomeado o seu companheiro de chapa, professor Élcio Franklin Arruda.

A nomeação do professor José Eugênio Lopes, que estava como diretor interino, atropela e desconsidera os resultados de uma consulta realizada para a escolha do diretor-geral, cargo que ficou vago em dezembro do ano passado com as renúncias do ex-diretor Dair José de Oliveira, e também do ex-diretor-adjunto Márcio Tsuyoshi Yasuda.

Segundo informações, é a primeira vez que a reitoria nomeia a diretoria do campus sem considerar o resultado da consulta popular.

Dizem os alunos : "Não foi um ato democrático e só confirma o caráter ditatorial que vem assumindo a reitoria com relação ao campus de Itabira".

Os desentendimentos entre alunos, professores e funcionários de Itabira com a reitoria de Itajubá tiveram início desde que a reitoria proibiu a realização de uma consulta sobre a proposta de dividir o campus local em unidades acadêmicas.

Foi o que resultou na renúncia dos professores Dair José de Oliveira e Márcio Tsuyoshi Yasuda, ex-diretor e ex-diretor-adjunto.

Declararam as lideranças do movimento :

"Saiu também uma portaria proibindo manifestações no campus. Mas devemos desobedecer e iremos ocupar a diretoria, para tentar reverter essa nomeação que vai contra a vontade popular. Vamos fazer uma manifestação pacífica para que a reitoria e a cidade de Itabira fiquem sabendo de nosso descontentamento e do autoritarismo crescente em nossa universidade".

Ontem (quinta-feira),um grupo de estudantes, autodenominado coletivo universitário Democratiza Unifei, organizou e foi realizado um protesto. 

“A nossa manifestação foi motivada pela nomeação do diretor e do vice que não foram os mais votados pela comunidade acadêmica, mas isso foi só a gota d’água. O pano de fundo é a falta de democracia na Unifei." 

Segundo desconfiam os universitários, a demora de mais um mês para o reitor nomear o novo diretor, que deveria tomar posse ainda ontem, se deu para que se desse tempo de aprovar o novo regimento disciplinar do corpo discente da Unifei. 

"Eles sabiam que haveria descontentamento por não ser respeitada a vontade da maioria e proibiram manifestações dentro do campo.. Querem nos intimidar com advertências e até mesmo com ameaça de jubilamento (desligamento compulsório do aluno da universidade.”

De acordo com os estudantes, o novo regimento disciplinar recém-aprovado contêm também cláusulas que proíbem, inclusive, os estudantes de manifestarem suas opiniões em redes sociais sobre o que está ocorrendo no campus da Unifei em Itabira. 

Procurada pela reportagem, por meio da assessoria do campus de Itabira, a reitoria respondeu que não iria se manifestar agora, o que será feito em um momento mais oportuno.

Blog: Sei não...

Viver é Perigoso

7 comentários:

Anônimo disse...

Zelador,

É o q sempre digo, continua uma "escolinha" que um dia precisa virar uma UNIVERSIDADE, e se Deus quiser administrada com competência , claro, sem a petezada que enraizou de tal forma q dá até nojo.
Pobre Itajubar.

Edson Riera disse...

Pobre Itajubar -

Não conheço direito o pessoal que hoje está na frente da nossa Escola. Mas pelos acontecimentos, declarações, etc, denota-se uma falta de jeito para equacionar problemas.

Zelador

Anônimo disse...

Zelador,

Nem vale a pena conhecer, alias na terrinha hoje em termos de administração esquece! É CDL, AC, Simmei,OAB, PM,PMI,CM, e etc e tal, tá uma merda federal viu; que fase heim, nada ta bom; uma incompetentencia e descaso acima do nivel.

Edson Riera disse...

Descaso -

Sei não... mas não convivo há muito com os dirigentes das entidades municipais. Não sei de suas habilidades/capacidade/desprendimento e visão social para reaver a harmonia necessária para alavancar o desenvolvimento.

Veremos.

Zelador

marcos.caravalho disse...


O nível atual da formação e produção acadêmica da UNIFEI não permitiria, jamais, sair lançando sementes de fihotes por aí.

Mesmo que esses requisitos fossem "summa cum laude", criar filial já seria uma barbeiragem tanto de cá como de lá. Inda mais pela turma que concebeu e executou o "nefando ato" (licença, Stanislaw).

Isso sempre foi politicalha da grossa. Gente querendo desfilar combinando smoking com botina.

Universidade "com filial", só pouquíssimas se considerados Brasil, universo e arredores.
O resto é resto; suspeito resto...

Anônimo disse...

O Campus da Itabira, pelo que lembro, sempre foi concebido para, entre outras coisas, buscar recursos. Da Vale e da Prefeitura de lá. No caso dos recursos da Vale tinha-se a convicção (não sei se escrita e assinada) de cada real aplicado lá seria aplicado também aqui. Como aparentemente isso não se realizou, penso hoje que temos que tirar o melhor do que foi feito. Chega de desavenças. Antevejo Itabira se tornar independente num futuro próximo. Parece a melhor solução. Cidadão Preocupado.

Edson Riera disse...

Cidadão Preocupado -

Penso que os recursos da Vale, via Prefeitura de Itabira, visam preparar a cidade para quando do esgotamento da exploração de minério. O campus da nossa Escola faz parte do projeto, sendo fundamental o projeto de desenvolvimento através criação de empresas de base tecnológica. A população esperava esse procedimento. O Reitor (eleito depois das decisões) já declarou que esse projeto é uma utopia e não passou de invencionice (mais ou menos essas palavras).
Não é de hoje que a Reitoria está em choque com o campus de Itabira.

Ou falam a mesma língua ou acontecerá o divórcio com todas as consequências e dificuldades.

Muita vaidade em questão.

Zelador