segunda-feira, 9 de abril de 2018

É A VIDA...


Dias tristes aquelas segunda-feiras de antigamente, quando desmontados na madrugada partiam nos trens da Rede Mineira de Viação, os circos que ficavam instalados na Praça da Estação (terreno onde está localizada hoje a Estação Rodoviária).

Leões tristes, elefantes enrugados, zebras sujas e macacos irritados. Seguiam devidamente enjaulados.

Os artistas de trajes civis revelavam-se diferentes. Trapezista com barriguinha, mágico baixinho e anão não tanto. Bailarina com espinhas e domador de óculos de grau.

O circo instalado por alguns dias em São Bernardo do Campo também foi desmontado. Para alguns poucos, esta segunda está sendo triste. Para a maioria, acredito eu, um alívio.

Não aconteceu o esperado "gran finale". Tudo terminou, ou foi interrompido, com o mais surrealista acontecimento político/religioso/musical visto nos últimos tempos. Teve de tudo.

Triste constatação em rede nacional: A carroceria de caminhão mais cheia e mais vazia da nossa política. Praticamente toda a esquerda agressiva brasileira na boleia. 

Zero de esperanças.

Alguns poucos, daqui há alguns anos, ao serem forçados a rever os vídeos do episódio, simplesmente murmurarão na solidão das suas salas:

O que que eu estava fazendo ali ?

Viver é Perigoso     

Um comentário:

marcos antonio de carvalho disse...


Licença.
Beleza de texto e um achado o paralelo.
Viva o Zélador!!!


nota: puxa saco é a vó!