sábado, 3 de março de 2018

JORNALISMO, UM BALANÇO


"Muitos leitores, aturdidos com a extensão do lodaçal que se vislumbra nos escândalos reiteradamente denunciados pela imprensa, cobram um balanço do desempenho técnico e ético do jornalismo.

Todos são capazes de intuir que a informação tem sido a pedra de toque do processo de moralização dos nossos costumes políticos. Alguns consideram que a imprensa estaria extrapolando seu papel e assumindo funções reservadas à polícia e ao poder judiciário.
Outros, ao contrário, preocupados com lamentáveis precedentes de impunidade, gostariam de ver repórteres transformados em juízes ou travestidos de policiais...

Sem jornais a democracia não funciona. O jornalismo não é antinada. Mas também não é neutro. É um espaço de contraponto. Seu compromisso não está vinculado aos ventos passageiros da política e dos partidos. Sua agenda é, ou deveria ser, determinada por valores perenes: liberdade, dignidade humana, respeito às minorias, promoção da livre-iniciativa, abertura ao contraditório.

O jornalismo sustenta a democracia não com engajamentos espúrios, mas com a força informativa da reportagem e com o farol de uma opinião firme, mas equilibrada e magnânima. A reportagem é, sem dúvida, o coração da mídia... "

Carlos Alberto Di Franco - OESP

Viver é Perigoso

4 comentários:

Anônimo disse...

Zelador por falar em jornais está semana foi mesmo interessante ; para um paz e amor para o outro querrra e dor; e nois o povo continuamos levando ferro sem saber o q na verdade está acontecendo ! Diz aí , que acontecesse na terrinha ?

Edson Riera disse...

Na terrinha -

Sinceramente ? Da terrinha ouço rumores. Na Boa Vista seguimos a vida.

Zelador

Anônimo disse...

Onde há rumores há horrores! Cruz em credo camarada , to até vendo a merda q vai dar . Aliás na terrinha de tempos em tempos tem q acontecer alguma coisa feia né .

Edson Riera disse...

Coisa Feia -

O perigo é acontecer uma tempestade perfeita. Em ano de eleição acontece.

Zelador