quinta-feira, 1 de março de 2018

A CONFIRMAR


Conversando ontem com um amigo, entrou em pauta a intenção da Prefeitura Municipal de Itajubá de firmar contrato com empresa para prestação de serviços de manutenção da rede de distribuição elétrica, pelo prazo de 25 anos. Aconteceu inclusive uma Audiência Pública para tratar do assunto.

Carente de confirmação, foi adiantado que a Prefeitura de Pouso Alegre não concordou com a sugestão de proposta para firmar contrato parecido e também com longo prazo de duração. O poder público local  teria imposto o prazo máximo de 6 meses de duração para o contrato, logicamente, com possibilidade de renovação.

Em tempo, a mesma empresa contratada hoje por Pouso Alegre é a que presta serviço para Itajubá.

Caso proceda a informação, convém saber as razões. Ficaria mais confortável.

Viver é Perigoso

4 comentários:

marcos.caravalho disse...

"Convém saber as razões".

25 anos é uma eternidade. Trocam donos de empresas, empresas encerram suas atividades (muitas vezes com um beiço gilmaresco na praça), administradores caem no ostracismo, a ocupação da cidade segue por caminhos hoje não vislumbrados, o "volume do serviço aumenta -
pretexto para os exxxpertos aditivos, os materiais mudam - ou saem de linha (custos extras!!) ou são substituídos por novos, cuja tecnologia demanda mais grana e mais capacidade da peãozada - aditivo para a verba de treinamento, etc. A coisa, em 25 anos (me recuso a pensar em prorrogação pelo mesmo prazo), tem mais possibilidades que geladeira de sorvetes da Kibon - mimos prá todos os paladares.

O conveniente seria - caso esse "contrato" fosse assinado - que fosse garantido por uma carta de crédito irrevogável, irretratável e executável de pronto quando qualquer parágrafo do Contrato fosse desconsiderado (performance bond, dizem nossos irmãozinhos do norte do Rio Grande). Naturalmente seguindo o civilizado exemplo de aviso prévio para que a conduta não conforme fosse corrigida em determinado prazo (não mais que 30 dias IMPRORROGÁVEIS).

No mais, mais uma vez, temos que nos curvar a administração de Pouso Alegre - sempre rápida e rasteira.

Terminando: sou contra!!

Edson Riera disse...

Marcos Antonio,

Grato pela aula de administração e cuidados com as coisas públicas.

O Blog é lido (confirmado pelos próprios leitores) por pessoas da Administração da cidade e por certo entenderão as preocupações.

Quanto ao Prefeito, meu primo, Rodrigo, em conversa recente, afirmou que nunca lê o viver é perigoso e esporadicamente ouve algum comentário sobre.

Viver é Perigoso

Abraço,

Zé lador

Anônimo disse...

Essa proposta seria como aplicar os cuidados que o mundo privado (empresas)faz com seus contratos.Coisa impensável no modelo atual de administrar da terrinha. Outra coisa. Parece que a grana tá mais curta ainda lá pelos lados do pinheirinho. Atraso de pagamentos já é uma realidade. De salários não deve demorar. Raspando o fundo do tacho.

Edson Riera disse...

Fundo do Tacho -

Pois é... por que seríamos diferentes dos outros ?

Zelador