quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

TOMOU O BARCO



"A morte não é o fim, mas o começo de uma nova dimensão de vida - a vida eterna. Pela sua ressurreição de entre os mortos, Jesus demonstrou que existe vida após a morte."

Nem os olhos viram,
nem ouvidos ouviram
nem jamais penetrou em coração humano
o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.

1 Coríntios 2.9

William Franklin Graham Jr, simplesmente, Billy Graham, considerado pelo Instituto Gallup, um dos 10 homens mais admirados do século XX, tomou o barco hoje, aos 99 anos, nos EUA.
Nasceu no dia 7 de novembro de 1918 numa fazenda perto de Charlotte, na Carolina do Norte. Aos 25 anos, graduou-se em Antropologia no Wheaton College, nos arredores de Chicago. Foi lá, enquanto estudante, que decidiu aceitar a Bíblia como "a infalível palavra de Deus", transformando-se num fenômeno de mídia e popularidade, chegando a ser conselheiro espiritual de muitos presidentes americanos.

Reuniu em suas Cruzadas Evangélicas um público de mais de 200 milhões de pessoas em 185 países e sua audiência em rádio e televisão superou os 2,2 bilhões de pessoas.

Costuma-se dizer que só três pessoas conseguiram fazer calar o estádio do Maracanã: o jogador uruguaio Chiggia, autor do gol na final em que o Uruguai derrotou o Brasil na Copa do Mundo de 1950, o cantor Frank Sinatra e o papa João Paulo II. 

Mas Billy Graham conseguiu fazer 219.427 pessoas orarem em silencio dentro do maior estádio de futebol do mundo. Foi no dia 6 de outubro de 1974, numa de suas pregações na cruzada que durou quatro dias e conseguiu reunir um total de 615 mil pessoas. 

Não foi a primeira visita que Graham fez ao Brasil – ele já estivera aqui em 1960, no Rio de Janeiro, e em 1963, em São Paulo. Também pregou no estádio do Morumbi, na capital paulista, em fevereiro de 1979.

É a vida...

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: