segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

EM OUTROS TEMPOS

Bilbao, como todos sabem, está no País Basco. É costume de lá, alguns amigos se reunirem e montar um pequeno local para encontros de negócios e conversar. Uma cozinha e um bar. Os cozinheiros e garçons são os próprios. Um tipo Clube dos 20 que já existiu em Itajubá.

Numa tarde/noite em Bilbao, um dos amigos me convidou para encarar um bacalhau Pil-Pil. Lá fui, assisti a elaboração do espetacular prato, tomando um vinho Altar, da vinícola de um deles. Éramos, se me lembro bem, em oito pessoas.

Sentado em um sofá, conversei longa e agradavelmente com o convidado especial para o jantar.  Nada mais, nada menos, que o então embaixador do Brasil na Espanha, de passagem por Bilbao.

Embaixador José Viegas Filho. Um cavalheiro e com uma vivência extraordinária. Um homem, por toda a sua vida, de esquerda. Formado pelo Instituto Rio Branco. Foi embaixador na Dinamarca, na Russia, no Chile, no Peru e Ministro da Defesa no governo Lula, entre 2003 e 2004, quando pediu demissão.

Foi nomeado embaixador na Espanha em 2005.

Como curioso, acompanhava de perto seus pronunciamentos e admirava. Era um esquerdista lúcido, gentil e educado.

Era casado (não sei se ainda o é), com uma bonita peruana, Sra. Erika Stockholm. Registrei isso na conversa, ele sorriu e agradeceu. Falou sobre o PT, sobre o Brasil, sobre a Rússia e sobre Cuba. Os amigos todos atentos.

Tudo muito simples. O prato pronto e todos se serviam diretamente na enorme e funda frigideira. Aprendi um bocado sobre a esquerda e sobre os bascos.

Porque abordar o tema ? Ouviremos falar do Ministro Viegas dentro de pouco tempo. 

1 kg de bacalhau dessalgado, sem espinhas e cortado em pedaços / 500ml de azeite de oliva / 3 dentes de alho ou a gosto / 1 pimenta dedo-de-moça ou a gosto / Salsa fresca a gosto

1 – Seque bem os pedaços. Em panela ou frigideira larga e de fundo grosso, que mantenha o calor, aqueça 300ml de azeite com o alho laminado e a pimenta cortada, sem sementes, até quase dourar. Desligue o fogo e reserve alho e pimenta.

2 – Assim que o azeite estiver morno (você tem que conseguir colocar o dedo nele), coloque os pedaços da bacalhau com a pele para cima, sem empilhar. Ligue o fogo no mínimo e comece a girar a panela agitando o azeite com o bacalhau.

3 – Com cuidado para o azeite não esquentar demais (tire a panela da boca do fogão), mantenha o movimento. Começarão a aparecer bolinhas brancas flutuando no azeite, que aumentarão até deixar o líquido embranquecido.

4 – Continue o processo até perceber que um molho opaco está se formando. Retire o bacalhau.

5 – Com o verso de um coador, garfo, ou ‘fuet’, bata suavemente de modo constante, fora do fogo, como se estivesse fazendo um vinagrete ou maionese, acabando de emulsionar e engrossar o molho.

6 – Sirva o bacalhau com o molho, o alho e a pimenta reservados. Enfeite com salsa.

Viver é Perigoso

2 comentários:

marcos antonio de carvalho disse...


Retransmita a receita para meu e-mail, por favor.
Não sei copiar do blog.
Gracias

Edson Riera disse...

Marcos -

Já vai.

Zé lador