segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

DATA VÊNIA


Vez por outra o governo cria medidas para incentivar o mercado. Reduz o imposto e facilita credito para aumentar a venda de automóveis, lança projetos de construção de casas para incentivar o mercado de materiais de construção e mão de obra. E assim vai.

Sem dúvida nenhuma, foi a Polícia Federal, o Ministério Público e destemidos e competentes Juízes, que alavancaram o mercado de trabalho para os advogados estrelados.

Recentemente a revista Veja trouxe uma reportagem sobre “Os novos ricos da Lava Jato – a história dos advogados que estão ganhando uma fortunas para defender empresários e políticos acusados de corrupção. 

São listados na reportagem valores supostamente cobrados por advogados renomados, como os criminalistas Alberto Zacharias Toron, Antônio Carlos de Almeida Castro – conhecido como Kakay -, José Luís Oliveira Lima e Antônio Claudio Mariz. A revista aponta alguns advogados do que chama de “Ordem dos Advogados Milionários do Brasil”, que chegariam a cobrar R$ 10 milhões de honorários, dentre eles Toron e Mariz.

Fico imaginando a euforia das bancas por ocasião das saudosas operações da Polícia Federal. Os telefones das empresas e de familiares dos recolhidos deveriam congestionar de tantos escritórios se colocando à disposição.

Acreditem: já existem bancas especializadas em delação premiada. Com o mercado de trabalho deu uma diminuída, algumas operações seriam bem-vindas.

Será que a Justiça e Receita Federal se preocuparam alguma vez em verificar a origem dos recursos para o pagamento de valores tão elevados ? 

Viver é Perigoso

Nenhum comentário: