terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

A DESGRAÇA CHAMADA REELEIÇÃO


Creio que todos concluíram que que uma das saídas, talvez a principal delas, é a renovação ampla e irrestrita do Congresso Nacional.

Difícil, ou melhor, quase impossível. 

Segundo os jornais, o PP e o PR decidiram dar, de R$ 2,5 e R$ 2,2 milhões para cada deputado da sigla que irá disputar a reeleição. O PSD, que pretendia dar R$ 1,0 milhão para cada um dos seus deputados disputar a eleição, corre o risco de perder parte substancial da sua bancada. O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, no entanto, confirmou que reservou para cada deputado do partido cerca de R$ 2 milhões da fatia do fundo eleitoral a que o seu partido terá direito. Para não ficar para trás, o MDB bateu o martelo esta semana e divulgou seus valores: vai repassar, para cada deputado com mandato, R$ 1,5 milhão para a campanha. Os senadores que disputarem a reeleição terão R$ 2 milhões".

Os deputados e senadores poderão negociar seus passes, trocando de camisa, sem risco de perder o mandato, com a abertura da temporada de compra e venda,também chamada de janela partidária, que deve durar 30 dias, iniciando-se no próximo dia 7 de março.

O clima em Brasília está para grandes negócios.

 A principal moeda de troca usada pelos partidos tem sido o dinheiro público que bancará as campanhas. Além do fundo eleitoral, estimado em R$ 1,7 bilhão, mais R$ 888 milhões do Fundo Partidário poderão ser distribuídos aos candidatos.

Como um candidato novo pode concorrer ? Jamais.

A campanha funciona mais ou menos assim: O deputado buscando a sua reeleição, "contrata" um cabo eleitoral da cidade, normalmente, um político exercendo cargo e com avaliação razoavelmente positiva na praça. Acerta com ele o apoio, com a distribuição de propaganda no município, o que inclui entrevistas, citações, bolas, medalhas para torneios de futebol, remédios, adiantamento de exames médicos, pagamentos de contas de água e luz e pessoas balançando bandeiras nos cruzamentos movimentados.
  
O mercado estima o custo de um voto entre R$ 20 e R$ 50 reais. A meta de 5.000 votos, custará ao candidato a bagatela de R$ 250 mil.

E quem pagará ?  Nós.

É a vida...

Viver é Perigoso 

3 comentários:

Anônimo disse...

O problema camarada não são os políticos , o problema é o povo q vota! O nível é muito baixo! Não adianta....,

Edson Riera disse...

Não Adianta -

Quando será que a mídia irá promover uma homenagem e pedido de desculpa em rede nacional, ao grande observador das coisas do Brasil, o filósofo Edson Arantes do Nascimento, também conhecido como Pelé, que afirmou há mais de 30 anos que o brasileiro não sabia votar.

Zelador

Anônimo disse...

30 anos que o brasileiro não sabia votar.

Ainda vale, e vou te dizer...."Nunca antes na historia deste Pais" vão querer dar educação para o povo aprender a votar.