quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

ENERGIA ELÉTRICA - QUASE UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA

Foto Ilustrativa
No dia 12 de janeiro de 1907, em Itajubá, às 18:00 horas, no Edifício do Mercado Municipal, que existiu na Praça Adolfo Olinto, foi inaugurada oficialmente a instalação da força e luz elétricas e da iluminação da cidade.

Presentes, centenas de pessoas, entre as quais, todos os vereadores, o Juíz de Direito Luiz Rennó, os deputados federais, Wenceslau Braz, Christiano Brasil e Francisco Bueno de Paiva, e o estadual Comendador Frederico Schumann, coronéis, promotores, padres, Dr. Teodomiro Santiago, Dr. Antonio Maximiano Xavier Lisboa, Sr. Fructuoso Ramos de Lima, jornalistas, diretores de escolas, a benfeitora Dona Amélia Braga e quase toda a população. Presente a corporação musical, Euterpe Itajubense".

Talvez, o maior herói dessa conquista tenha sido o Sr. José Manso Pereira Cabral, conhecido com Zé Cabral, na época, presidente da câmara e a agente executivo municipal, cujas funções correspondiam ao do prefeito.

Zé Cabral, conseguiu convencer o itajubense, Dr. João de Faria, associado da Companhia Paulista de Eletricidade, em Limeira-SP.  Foi exigido  que a cidade de Itajubá comprasse 50 contos de réis de ações da Companhia Paulista de Eletricidade.

Dona Amélia Braga entrou com 20 contos, Dr. Xavier Lisboa, com 5 contos e os Irmãos Dias, dono de uma firma comercial, com 25 contos.
Como os Irmãos Dias não dispunham do capital, o mesmo lhes foi emprestado pelos senhores Manoel Rodrigues dos Santos (15 contos), Horácio Ferreira Lopes (5 contos) e João Carneiro Santiago Junior (5 contos).

Foi iniciada a construção da usina na Serra dos Toledos. A área foi cedida pelo Sr. Francisco Lobato Uchôas, proprietário das terras onde foi construída a Usina.

Os trabalhos foram dirigidos pelo Engenheiro alemão, Emílio Klinger, auxiliado diretamente pelos irmãos Franz e Adolf Tribst, naturais de Berlim. Posteriormente, participou das instalações, o Sr. Joaquim da Silva, chamado de Joaquim da Luz, e o Sr. Ernesto Pavani, mais dedicados aos serviços de instalações elétricas domiciliares. 

O Escritório da Luz, como era chamado, foi instalado na Rua Cel Francisco Braz, entre as casas do Dr. João Azevedo e Ítalo Dotto.

No jardim, hoje Praça Theodomiro Santiago (tinha a metade do tamanho de hoje), foram instalados 6 postes com lâmpadas de 200 velas (200 watts), da marca Nerst.

Informações colhidas do brilhante livro "José Ernani de Lima", pelo Eng. Carlos Alberto da Silva. Ambos, estudaram na nossa Escola, sendo o Dr. Ernani, aluno da primeira turma (1917).

É a vida...

Viver é Perigoso  

3 comentários:

Anônimo disse...

Outros tempos de homens públicos de verdade. observador contumaz

Edson Riera disse...

Observador Contumaz -

Bem diferente. Mas pobre do povo que não conhece a sua história. Todos os avanços da terrinha, inclusive a nossa Santa Casa e mais recentemente o Hospital Escola e FMI, foram calcados sobre a benemerência, visão, desprendimento e ética dos cidadãos.

Isso não existe mais. Terra do eu, mais eu e mais eu. E ainda ficam com raiva.

Zelador

Edson Riera disse...

Ingrato -

Ainda não conheço o Parque Municipal, mas pelas fotos e comentários ficou muito bom. Parabenizo pelo empreendimento, embora questione algumas providências. A Operação Soledade, pelo que deu na imprensa, foi consequência da série de denúncias da TI e Ministério Público. Aliás, não sei se foi encerrada ou pararam para tomar um fôlego.

Zelador