segunda-feira, 18 de junho de 2018

TOMOU O BARCO


... Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
estas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade

Regilena Carvalho nasceu em Pedralva em 9 de janeiro de 1947, a quinta filha do Dr. Bertolino Mendes de Carvalho e da Professora Maria Aparecida Silva de Carvalho. Criou-se em Itajubá. Dr. Bertolino foi político do PTB. Homem sério.

A Regilena tomou o barco na semana passada no Rio de Janeiro.

Casou-se com Jaime Petit da Silva em 24 de setembro de 1968, o ano que não terminou, segundo o escritor Zuenir Ventura. O AI-5 (ato institucional nº 5) foi publicado no dia 13 de dezembro de 1968.
Jaime foi preso no Congresso de Ibiúna em 12 de outubro de 1968. Um mês após o casamento.

Regilena foi visitá-lo com a mãe no Presídio Tiradentes em São Paulo.

Jaime, nascido em Piratininga-SP, veio morar com o irmão Lúcio, dois anos mais velho, em Itajubá, onde estudaram engenharia. Isso aconteceu a partir de 1962. Jaime se mantinha dando aula de matemática e física nos colégios de Itajubá e Brazópolis. Jaime foi dirigente do Diretório Acadêmico e integrante do PC do B.

Chamado para responder processo no 4º Batalhão de Engenharia e Combate, Jaime não compareceu. Foi condenado à revelia. Em julho de 1969 estavam em Goiania, com Jaime trabalhando com eletricidade rural e Lena, como secretária e auxiliar de hospital.

Em abril de 1971 estavam no Araguaia. A operação contava com 69 guerrilheiros. Entre eles, Lúcio Petit, sua esposa Lúcia Regina, a irmã Maria Lúcia, Jaime e a esposa Regilena.

Dos 69 guerrilheiros, 59 foram mortos, parte deles depois de presos. Entre eles, 12 mulheres. Lúcio, Jaime e Maria Lúcia, ficaram definitivamente nas margens dos Araguaia. 

Disse Regilena:

" O Jaime me amava loucamente e eu era louca por ele. Como é que a gente ia ficar longe ? Essa questão nem se colocou. Eu acreditei na proposta pelo entusiasmo dele, que aquilo era muito grande. Não tinha argumentos contrários do ponto de vista político ou teórico. Para mim aquilo ali era uma lei, o caminho correto, e acabou. Acreditei no caminho da luta armada. Isso era muito claro. Um rapaz que não podia estudar, não podia participar de um congresso, não podia falar o que pensava. Que diabo de vida era aquela, com tudo proibido ? É evidente que o fato de ele ser meu marido pesou muito, foi fundamental. Um outro homem talvez não tivesse a influência que ele teve. Então eu fui. Com um enorme entusiasmo. A Maria Lúcia (cunhada) já tinha ido. O Lúcio e a Lúcia Regina também. Então eu fui. O entusiasmo prevalecia sobre as dúvidas"

Dados do livro "As mulheres que foram à luta armada", do Luiz Maklouf Carvalho - lido em abril de 2004.

Viver é Perigoso


AQUI JAZZ !



Viver é Perigoso

TORCENDO EM CURITIBA

Viver é Perigoso

QUE TIRO FOI ESSE ?


Deve ter sido uma brincadeira de algum amigo. Fui apresentado ao Grupo Povo de Santa Rita do Sapucaí - Facebook. Numa rápida olhada, até que é legal. Muita gente participando.

Agora, o "a cidade é nossa o lixo é seu" assustou. Todos estão lembrados que foi o Deputado santarritense, Bilaquinho Pinto que convenceu o seu aliado Prefeito de Itajubá a receber no aterro sanitário da nossa cidade o lixo de Santa Rita de Sapucaí e outras cidades vizinhas.

Mas, tudo bem...como dizem na terrinha, vamos em frente.

Viver é Perigoso 

POIS É...


Lendo na página 2 do Estadão, coluna escrita pelo jornalista Pedro Cavalcanti:

Ao recolher material para o seu livro "Memórias em Linha Reta", o ex-governador de São Paulo André Franco Montoro teve a ideia de consultar a edição do Estadão com a data de seu nascimento: 14 de julho de 1916.
A essência do noticiário nacional soa curiosamente familiar. Havia uma denúncia contra o governo do presidente Wenceslau Braz por permitir que funcionários públicos e sua famílias usassem carros oficiais em afazeres domésticos...

É a vida...

Viver é Perigoso

CLARIN DA BOA VISTA - ESPORTES


Alguns por mais tempo e outros por menos tempo, até agora, assisti todos os jogos da Copa. Sempre no canal SportTV. Questão de opinião:

Melhor seleção até o momento : Espanha

Viver é Perigoso


POSIÇÕES FIRMES


E por falar em Ciro Gomes, ele foi do PDS, que ficou no lugar da velha ARENA. Foi do PMDB, passou pelo PSDB, andou pelo PPS, fez estágio no PSB, não esquentou cadeira no PROS e agora está no PDT.
Ainda existem uns trinta partidos para ele fechar o currículo.

Viver é Perigoso

domingo, 17 de junho de 2018

SOBRE BARCOS...


A morte é para os novos um naufrágio e para os velhos um porto de embarque.

Baltasar Gracián y Morales

Viver é Perigoso 

PORQUE HOJE É DOMINGO



Viver é Perigoso

E A SIVA POWER, HEIN ?

Assinatura do procolo de intenções dia 29/09/16, às vésperas da última eleição municipal
E  a implantação na terrinha da Siva Power, fabricante americano de painéis solares ? Investimento de US$ 200 milhões anunciado oficialmente já por diversas vezes.

Na guerra comercial decretada pelo Presidente Trump, foram impostas tarifas de salvaguarda e quotas sobre a importação de US$ 8,5 bilhões em painéis solares.

Seis das dez maiores empresas fabricantes desse item no mundo são chinesas. Especialistas dão conta que, face a estratégias internas do governo chinês, os preços dos painéis chineses devem cair em pelo menos um terço.

Como dizem na Boa Vista, é claro, agir localmente e raciocinar globalmente.

Vamos aguardar.

Viver é Perigoso  

MACARONI DA MAMA

Viver é Perigoso

CARTA QUE ESCREVI

A carta abaixo foi publicada no jornal "O Sul de Minas" no final de 1998, portanto há 20 anos e continua valendo. Feliz é aquele pode dizer: Publiquem o que escrevi ou repitam o que falei. 
Mudar de opinião é normal e bem fundamentada é um ato de coragem. Não copiem FHC que disse: esqueçam o que escrevi, bem como Lula: Esqueçam o que eu disse.

Itajubá, 16 de dezembro de 1998

Regilena Carvalho,

Um enorme sentimento de não ter feito o que devia, assolou-me na tarde do último sábado quando lia o nosso "O Sul de Minas".

Não bastasse o texto simples e cortante, as fotos do Lúcio e do Jayme nos chamaram à responsabilidade e questionaram o nosso comportamento no difícil 1968.

Parcialmente alienados pelo ano do vestibular, ainda assim estaríamos mentindo se disséssemos não saber o que se passava. Tinhamos informações sobre a luta armada e vagamente sobre os porões da ditadura.

Naquele período negro da nossa história, muitos outros agiram de forma diferente. Alguns pegaram as armas, outros se manifestaram timidamente nas tribunas e outros como nós, acanhadamente nas mesas dos bares, bancos de jardim e na segurança das repúblicas.

Mas certamente, ninguém com tanta coragem e tanto desprendimento como os Petit, dotados de espírito rebelde, constante ânsia pela liberdade e sede de justiça social pelos quais também gostaríamos de ter sido possuídos.

Viver é Perigoso

sábado, 16 de junho de 2018

sexta-feira, 15 de junho de 2018

NOSSA GERAÇÃO


Antigamente uma geração era definida a cada 25 anos. Atualmente os especialistas apontam que uma nova geração surge a cada 10 anos apenas. 
Nas empresas, isso implica em pessoas de diferentes idades e costumes vivendo em um mesmo ambiente de trabalho, trocando experiências e gerenciando conflitos em períodos cada vez menores.

Tivemos a chamada de Geração Perdida (1883-1900), que lutou durante a adolescência na Primeira Guerra Mundial e viveu a vida adulta durante os Roaring Twenties (Loucos Anos 20, de efervescência cultural até a Grande Depressão.

Geração grandiosa é uma expressão cunhada pelo jornalista e escritor Tom Brokaw em seu livro The Greatest Generation, para se referir à geração formada pelos indivíduos que cresceram durante a Grande Depressão nos Estados Unidos e depois participaram dos combates da Segunda Guerra Mundial, bem como por aqueles que, permanecendo no país, participaram do esforço de guerra.

São da Geração Baby Boomers os nascidos entre 1943 e 1964.

Os "baby boomers", você sabe, foram as crianças nascidas logo a seguir à Segunda Guerra, quando milhões de soldados voltaram para seus países e começaram a casar e a procriar em massa. Os que tinham ficado em casa, de ouvido na BBC, fizeram o mesmo, talvez por uma sensação de alívio diante do apocalipse que não aconteceu, mas poderia ter acontecido -e, então, mais do que nunca, pela súbita existência da bomba atômica.

Curioso é que, em vez de partir para a esbórnia em face do possível fim do mundo, os jovens do pós-Guerra adotaram a singela atitude de casar e "constituir família". Pode ser que, depois de anos em trincheiras, reais ou metafóricas, o lar lhes parecesse um casulo protetor. Daí tantos casamentos e, em meses, milhões de novos cidadãozinhos no mundo.

Sou, nascido em 1947, um legítimo "baby boomer". Meu pai, às vésperas do seu casamento com minha mãe foi convocado pelo exército. Como nasceu em Pouso Alegre e lá prestou serviço militar no Batalhão de Artilharia, foi prestar serviço na Artilharia de Costa, no litoral do nordeste.

Voltou no final da guerra em 1945, casou e colaborou com a elevação do número de habitantes da Boa Vista, é claro. 

A grande maioria dos meus amigos, inclusive os da internet, são Boomers.

Na idade adulta presenciamos a Guerra do Vietnan, também fomos os primeiros a crescer com a televisão. Na infância, adolescência e vida adulta jovem presenciamos a Guerra Fria, o que influenciou fortemente a visão política desta geração.

Os Boomers também são identificados como inventores da era “paz e amor”, pois tinham aversão aos conflitos armados. Preferiam a música, as artes e todas as outras formas de cultura como instrumentos para evolução humana do que as guerras. Foi a geração que criaram o movimento hippie.

Segundo o escritor Ruy Castro, também um boomer, em vários departamentos, não fizemos feio. Ativos desde os anos 60, implantamos o sexo sem culpa, a consciência ecológica, os direitos das mulheres, das minorias e dos animais, revolucionamos a tecnologia, avançamos espetacularmente a medicina e as comunicações etc. Em compensação, tornamos as cidades impraticáveis, disseminamos as drogas, destruímos o cinema e a música popular, triplicamos a pobreza, intoxicamos o planeta com publicidade, carros e agrotóxicos, compramos e vendemos armas, políticos e tudo que pudesse ser negociado -enfim, vamos deixar também uma bela lambança.. 

Nossos netos são a Geração X e Y e os bisnetos são a Geração Z.

Viver é Perigoso




VERGONHA

Viver é Perigoso

PROCURADO


A Central de Mandados de Belo Horizonte ainda não localizou o governador de Minas, Fernando Pimentel, procurado desde o dia 7. A última tentativa foi ontem. A assessoria diz que ele só volta do interior dia 18.
Com a manobra, o governador conseguiu adiar os depoimentos de 34 testemunhas na ação penal em que é réu, que começariam ontem. Cinco pessoas ouvidas pelo gabinete do relator da Operação Acrônimo na última terça-feira vão ter de depor novamente. 
Pimentel é acusado de receber R$ 15 milhões de propina da Odebrecht.

Blog: Deve estar escondido no interior de outro Estado. Em Minas Gerais, certamente já teria sido "entregue" por algum funcionário público com osala´rio atrasado.

Viver é Perigoso 

quinta-feira, 14 de junho de 2018

NÃO ESCAPA UM


"O MDB está no poder, destruiu o projeto PT, destruiu o projeto do PSDB e precisa ser destruído desta feita. Sempre lembrando aqui que 'destruir' aqui é pelo mecanismo democrático, que é simples: basta cortar a torneira da roubalheira que eles entram em extinção. "

Ciro (destrambelhado) Gomes

Viver é Perigoso

IMPERDOÁVEL


Causa indignação o parcelamento dos salários dos funcionários do Estado. Causa revolta o atraso no pagamento das parcelas. Causa vergonha que venha a acontecer com o vencimento dos professores.
Faz lembrar a velha história da mocinha que mandou um telegrama para o pai:

PAI VG FAVOR AUMENTAR A MESADA PT PASSEI NO CONCURSO DE PROFESSORA DO ESTADO DE MINAS GERAIS PT BEIJOS

Viver é Perigoso 

NOSSA ESCOLA DE MEDICINA - BURRO SENTIMENTAL


Somos um burros sentimentais. Segundo o próprio site da NRE Educacional, empresa com sede na cidade de Nova Lima - MG, aconteceu a incorporação da Faculdade de Medicina de Itajubá ao grupo NRE.

A Holding NRE Educacional foi criada em 2016 em parceria com o Fundo Bozzano Simonsen. 

Alguns mais empolgados chegam a mencionar que estamos assistindo o nascimento de uma nova Faculdade de Medicina. Que não é mais a Escola de Medicina de Itajubá, sem dúvida. Estamos diante da Escola de Medicina da NRE.

Os números e as informações davam conta da irreversibilidade da situação.

É a vida.

Entendemos o momento, mas não consigo não admitir que fracassamos.

O texto a seguir, para os padrões da internet, é longo. Fica registrada, mais uma vez, a epopéia descrita no livro “História da Medicina – Curiosidades & Fatos” de autoria do Dr. Lybio Martire Junior, Editora Astúrias, 2004.

"Em 1966, com o hospital já praticamente pronto, embora ainda não em funcionamento, Rosemburgo Romano aproveitando o momento, bem como, a história e tradição de Itajubá no ensino, lançou a idéia da criação de uma Faculdade de Medicina, a qual foi, na época, vista, por muitos, como visionária, como um sonho impossível.
A idéia germinou e pessoas das mais variadas profissões, além de médicos, foram contatadas para somarem esforços.
Rosemburgo acompanhado de Sebastião Osvaldo da Silva e do farmacêutico, mais tarde médico, Expedito Magalhães Ribeiro, foram à casa do Prof. Dr. Eurípedes Garcia em São Paulo, que havia sido professor em Uberaba e era médico do Hospital das Clínicas e da Beneficência Portuguesa, para elaborar o estatuto da futura Faculdade.
O Prof. Eurípedes Garcia conseguiu estatutos de várias faculdades como Uberaba, Escola Paulista, Campinas e USP para servirem de modelo.
Muitos médicos de São Paulo tornaram-se amigos e apoiaram a idéia da interiorização da medicina incentivando-a, como Dr. Dante Pazzanese, Dr. Adib Jatene entre outros.
Nessa época foi novamente procurado o apoio do Sr. Laudo Natel, então governador de São Paulo que novamente solícito mostrou toda a boa vontade em ajudar. Sua influência seria fator vital no processo de autorização da faculdade.
Embora só existindo no papel a Faculdade, Rosemburgo intitulou-se diretor e nomeou Sebastião Osvaldo da Silva secretário geral. Foi feita grande divulgação da Escola pelos meios de comunicação, contando com a inestimável ajuda do jornalista Sebastião Inocêncio Pereira, redator e diretor do jornal “O Sul de Minas”. A divulgação atingiu os meios de comunicação não só de Minas, mas, também de São Paulo, do Rio de Janeiro e de outros estados, chamando a atenção para novo vestibular que em breve seria realizado.
Era necessário também, por normas governamentais, para a criação de uma Faculdade isolada, que ela estivesse ligada a um órgão público, a uma fundação, a uma sociedade ou associação.
Foi constituída uma comissão integrada pelos senhores: Dr. Basílio Pinto Filho, Dr. Sebastião Rezende Monti, Sr. Sebastião Osvaldo da Silva e o farmacêutico Expedito Magalhães Ribeiro que, em abril de 1967, procuraram pela Fundação Theodomiro Santiago ligada à Faculdade de Engenharia, na pessoa de seu Presidente Pedro Mendes dos Santos a quem foi feito o apelo da incorporação da Faculdade de Medicina de Itajubá por essa Fundação. Havia ainda memoriais assinados por diretoras de treze escolas de 2º grau, pela Diretoria do Lions, por médicos, odontologistas e vários outros, em um grande movimento liderado por Rosemburgo Romano, conforme consta em ata.
Assim, em 23 de abril de 1967, a Fundação Theodomiro Santiago torna-se Mantenedora da Faculdade de Medicina de Itajubá, considerando que o patrocínio da criação da Faculdade de Medicina de Itajubá representaria inestimável serviço prestado ao Estado de Minas e ao país no campo do ensino de nível superior. Ficou designado o nome do Dr. Rosemburgo Romano como diretor da Faculdade na ata dessa reunião.
Em 1970 a Fundação Theodomiro Santiago deixaria de ser mantenedora e seria criada a Fundação Universidade Regional de Itajubá (FURI), em 27 de agosto de 1970, pelo diretor Dr. Rosemburgo Romano, passando a ser a nova mantenedora. Em 1972 foi extinta a FURI e criada a Associação de Integração Social de Itajubá (AISI), como nova mantenedora da Faculdade, na gestão do Dr. Ítalo Mandolesi Filho como diretor, tendo como administrador o Sr. João Aldano da Silva, que organizou toda a parte administrativa da instituição. A Associação de Integração Social de Itajubá (AISI) permanece como Mantenedora da Faculdade até o presente tendo-se tornado entidade de utilidade pública pela lei No 6.734 de onze de dezembro de 1975, assinada pelo então governador Dr. Aureliano Chaves de Mendonça.
Voltando ao ano de 1967, já com todos os papéis prontos, uma comitiva de cerca de 40 pessoas, entre os quais: Rosemburgo Romano, José Ribeiro Filho, Dr. Walter Cabral (Juiz de Direito), Sebastião Osvaldo da Silva, Dep. Euclides Cintra, Dep. Luiz Fernando Faria de Azevedo, Dr. Amarílio Barreto Costa, Dep. Aureliano Chaves entre outros, dirigiu-se ao Conselho Federal de Educação no Rio de Janeiro para protocolar o projeto de criação da Faculdade.
O então prefeito de Itajubá Tigre Maia, neto do escritor Bastos Tigre, também integrante da comitiva e que deu grande apoio a todo processo de criação da Faculdade, preparou o campo para a entrevista com o diretor do Departamento de Educação, Sr. Epílogo Gonçalves de Campos.
Rosemburgo Romano e Sebastião Osvaldo da Silva conseguiram, após uma longa conversa, protocolar o projeto.
A partir daí, o caminho seria descobrir quem eram os conselheiros e travar contato com os responsáveis por avaliar o projeto para possível aprovação.
A amizade de Rosemburgo com Dona Iolanda, esposa do Presidente Costa e Silva e da família Bustamante com ambos, bem como e especialmente, a influência e o apoio do Governador Laudo Natel, seriam decisivos.
O presidente Costa e Silva, após transferir um conselheiro, nomeou Peregrino Junior como conselheiro substituto, ficando este como responsável pela aprovação do projeto. Após vários outros contatos, nos quais pesou a participação e a influência política de Laudo Natel, foi dada a aprovação.
No gabinete de Peregrino Junior, quando de sua anuência, estavam presentes: Rosemburgo Romano, o prefeito Tigre Maia e o Sr. Sebastião Osvaldo da Silva.
O Conselho Federal de Educação, em 01 de abril de 1968, autorizou o funcionamento da Faculdade de Medicina de Itajubá, sendo esta a data oficial de sua criação.
Foi convocado o primeiro vestibular.
A Faculdade começou a funcionar no prédio do Hospital das Clínicas, onde as aulas eram ministradas. Assim nascia a quinta Faculdade de Minas Gerais.
O corpo docente foi constituído, a convite de Rosemburgo Romano, por professores renomados com o intuito de oferecer o melhor em ensino e também dar nome à escola que se iniciava.
Integraram o quadro de professores: Prof. Samuel Pessoa, Prof. Luigi Boigliolo, Prof. Adib Jatene, Prof. Edmundo Chapadeiro, Prof. Lauro Solero, Prof. Oswaldo Castro, Prof. Waldemar de Carvalho, Prof. Tasso Ramos de Carvalho, entre muitos outros luminares da medicina brasileira.
Não havia, entretanto, ainda, o prédio da Faculdade e aqui cabe uma curiosidade: na época da aprovação, veio a Itajubá uma comissão do Conselho Federal de Educação do Rio de Janeiro, para fiscalizar o patrimônio físico da Faculdade.
Rosemburgo conseguiu que fosse feita a cessão do prédio de propriedade do médico radiologista Dr. José Lourenço de Oliveira, localizado à rua Dr. Pereira Cabral, no centro, e do edifício do “Instituto Padre Nicolau” no bairro Avenida, para a Escola, entretanto, a Faculdade nunca funcionou nesses locais.
No hospital, na parte inferior isolada, hoje próxima ao estacionamento, funcionaria a anatomia no princípio. O patrimônio apresentado impressionou a comissão.
O terreno onde hoje é o campus da faculdade, foi doado pela Sra. Sinhá Moreira e pelo Sr. Luis Carlos Carneiro, de Santa Rita do Sapucaí que eram donos de grande loteamento no local e este último, dono da agência de veículos onde hoje é a Itavel.
A doação foi efetivada constando de dois lotes de 5.000 m² cada, entremeados por uma rua.
A rua da Faculdade, R. Cel Renó Junior, foi aberta a mando da própria direção da Faculdade com auxílio do Dr. Pedro Fonseca Paiva chefe do DER e foi também, realizado, pela direção, um aterro de um metro e meio em toda a área.
Na planta do loteamento havia ainda um espaço reservado para uma praça ao término da rua da Faculdade (R. Coronel Renó Junior) cuja doação seria solicitada ao prefeito Tigre Maia. O Prefeito concedeu a doação do terreno que viria tornar-se a praça de esportes do diretório acadêmico, que leva o nome do Prof. Ítalo Mandolesi Filho, segundo diretor da Faculdade que empenhou-se em sua construção. A praça de esportes abriga hoje o complexo esportivo do diretório acadêmico e sua discoteca “Albatroz”.
O Diretório Acadêmico foi fundado pelos alunos da primeira turma em junho de 1968 e estes em votação resolveram dar o nome ao diretório de “Rosemburgo Romano”, entretanto, este reuniu os alunos e declinou da honra agradecendo, preferindo que fosse dado o nome de Laudo Natel como agradecimento a todo apoio recebido do então Governador de São Paulo, possibilitando a autorização da Faculdade.
O diretório acadêmico passou a ser denominado: “Diretório Acadêmico Laudo Natel” (DALANA), conforme consta na ata de sua fundação.
Em 1986, entretanto, haveria um movimento estudantil liderado pelos membros do diretório da época pleiteando a eleição de diretor pelo voto direto dos corpos docente e discente. A desejada eleição deveria ocorrer no dia 08 de outubro daquele ano, mas jamais foi realizada, ainda porque, contrariaria os estatutos. Aquele grupo de alunos, idealistas, mas, certamente desconhecendo a história da instituição, o nome de seus benfeitores e o ideal dos alunos da primeira turma, mudaria o nome do diretório para 08 de outubro, uma data em que, na verdade, nada se concretizou.
Às vezes, o excesso de idealismo de alguns menospreza as razões do ideal de outros que os antecederam, sem as quais, eventualmente, poderiam sequer existir os motivos dos ideais presentes. O prédio da Faculdade foi inaugurado em 1970.
Em outubro de 1970, Dr. Rosemburgo Romano deixou a diretoria e com ele sairia também o secretário geral Dr. Sebastião Osvaldo da Silva. Nesse ano assumiria a direção o Prof. Dr. Ítalo Mandolesi Filho que, entre outros feitos administrativos, como a construção da Praça de Esportes do Diretório Acadêmico que leva seu nome, colocou o hospital em funcionamento definitivo e obteve o reconhecimento da Faculdade em 1974."

Esperamos que a FMI reencontre o rumo do sucesso e esperamos também, que a história de luta de sua fundação jamais seja esquecida.

Viver é Perigoso 

VAI QUE É TUA CÁRMEN LÚCIA !

Viver é Perigoso

quarta-feira, 13 de junho de 2018

PROCURA-SE UM CACARECO - 2018


Rinoceronte Cacareco fez sucesso no zoológico e foi o candidato mais votado para vereador em 1959. A campanha jocosa pela eleição do animal demonstrou a frustração dos paulistanos com os políticos nas eleições para a Câmara Municipal daquele ano. Ele teve mais votos do que qualquer outro candidato. Na foto, Cacareco no Zoológico de São Paulo em 1958.

Foto: Acervo/ Estadão

Viver é Perigoso

SÓ BEATLES



Viver é Perigoso

O CAPO E A COPA

Viver é Perigoso

terça-feira, 12 de junho de 2018

SOBRE A VIDA

"A vida não é um ensaio. Muitos vivem como se a vida fosse um ensaio. Muitos entram em cena e fazem as coisas sem excelência, pensando que poderão repetir aquele ato. Ledo engano. A vida não se repete. A vida não espera. O que você precisa fazer, deve fazer agora, porque é mais tarde do que você imagina."

Pastor Hernandes Dias Lopes

Um café da tarde inesquecível com o Pastor Hernandes, em Sorocaba, na casa da Joana e do Junior. Um abençoado pregador da Palavra de Deus.

Viver é Perigoso

DEIXANDO O TIME


Todos na cidade conhecem o advogado e especialista em finanças, Peter Luiz Pereira Rennó. Simplesmente o Peter Rennó. 
Profissional competente, sério e leal.
Um amigo de longa data.
Está deixando por iniciativa própria o importante cargo de Secretário Municipal de Finanças. A importante secretaria estava sob sua responsabilidade desde a primeiro mandato do atual governo. 
Mudanças acontecem sempre em equipes de governo, mas não deixa ser preocupante a saída, em período tão próximo, de duas pessoas como o Peter, nas Finanças, e o Alfredo Honório, de cargos de tanta responsabilidade.
Para o lugar foi nomeado o Sr. Juliano Galdino Teixeira, que estava na Secretaria de Planejamento.
Não temos conhecimento sobre as razões dos afastamentos, mas certamente, cansaram-se.
Bom retorno a planície Caro Peter.

Viver é Perigoso    

LIVRO, PRESENTE DA AMIGO


Nossos amigos merecem um livro. O amor pelo trabalho merece um livro. Os que partem e nos deixam para trás merecem um livro. E num livro também cabem nossa cidade, nossos ídolos, nossas manias e até bobagens que, vai-se ver, dizem respeito a muita gente. Num livro cabe toda uma vida.

"A arte de querer bem" é a forma que Ruy Castro encontrou para homenagear o que faz apaixonado pela vida. Mas não espere dele um olhar contemplativo. Ruy não transita pela superfície das coisas. Ele não ama por amar.:
Transforma o amor em livros.

A Arte de Querer Bem

Viver é Perigoso

OCOS !

Viver é Perigoso

segunda-feira, 11 de junho de 2018

JUDEU ERRANTE


Não estou fazendo a defesa de Dilma e sou daqueles que não consideram o impeachment um golpe contra a legalidade constitucional, mas não por isso deixo de sentir certa inquietude ao ver a ex-presidenta vagando como um judeu errante sem que os seus colegas de partido encontrem um lugar para colocá-la. Para que serviu então tanto barulho, tantas lágrimas, tantos anátemas e tanta dramaticidade com sua saída, cujo fruto foi, em boa parte, a quebra da confiança do país na política?

Sabe-se que a política não abunda em fidelidades e que, como diz o ditado, “rei morto, rei posto”. Essa dura realidade humana não perdoa nem mesmo as figuras que um dia foram exaltadas com paixão. E aquela solidão de que Dilma sofre hoje, cuja saída do cargo criou grande parte do terremoto político em que hoje o país está envolvido, poderia amanhã ser sentida por Lula em sua carne. Um velho amigo jornalista espanhol me diz: “Juan, a política é assim, cruel. Não se iluda. Sobe aquele que melhor sabe empurrar e o que melhor sabe cavalgar por cima dos caídos”.

Juan Arias - El País

Viver é Perigoso

PESQUISA

Viver é Perigoso

QUE MUDANÇA É ESSA ?


Pesquisas têm dado conta que o povo quer mudanças na política. Alguns chegam a afirmar que o povo exige mudanças.

Pois bem: Talvez a grande maioria dos brasileiros ande acreditando na mudança de comportamento, de caráter, do jeito de ser de veteranos que estão engravatados desde do governo Collor e alguns desde o governo militar.

Aí estão citados na pesquisa, para cargos no Executivo, Ciro, Marina, Alkimim, Pimentel, Anastasia, Calheiros, o próprio Collor, Garotinho, Paes e até o próprio presidiário Lula. 

Para o legislativo se apresentam as mesmas e antigas figurinhas carimbadas. Mais do mesmíssimo.

Como diziam na Boa Vista, é claro, "burro velho não pega marcha". No caso, a idade não significa quase nada, mas velhos na maneira de sobreviver na política onde prevalece a conversa fiada, o jogo de interesses, o profissionalismo, a troca de favores e de emendas. Políticos lustrosos, gordos e perfumados.

Serão todos reeleitos e a partir do dia 1º de janeiro de 2019 já estarão em campo buscando a re-re-re-re-eleição em 2022.

Estamos definitivamente lascados.

Viver é Perigoso 

domingo, 10 de junho de 2018

ENCONTRO MARCADO


Hoje fui encontrar um amigo em São Paulo. Não mencionei e talvez ele nem ficou sabendo um dos principais motivos da conversa, muito boa por sinal.

Nos conhecemos em 1968 quando da preparação para o vestibular de engenharia. Ele cursando o 3º Científico no Colégio João XXIII e eu no Colégio Major João Pereira. Como dizem na Boa Vista, é claro, inteirando 50 anos de amizade.

Não foram 50 anos com cada um no seu cantinho. Caminhamos lado a lado na política e em posições contrárias, sempre com participações fortes e definidas. 
Jamais, mesmo por ocasião das contendas, faltou o respeito e a camaradagem. Nessas ocasiões, quando nos encontrávamos as conversas iam e vinham sobre todos os assuntos, exceto sobre política. Era como se essa ciência não existisse. 
Nunca aconteceu um comentário negativo sobre os seus, os deles e os nossos amigos.
Quem conhece bem as cidades do interior sabe que isso é quase impossível.

Choramos muitos nas perdas e rimos muito nas alegrias. Enfim, estamos seguindo avante com dignidade.

Namoramos e casamos com moças bonitas, nossos filhos nos dão alegrias e temos o mesmo número de netos. Cinco meninos e uma menina.

Saindo vitorioso de uma duríssima luta pela vida os seus olhos continuam a brilhar ao falar de sonhos e novos projetos. Ainda temos muito pela frente.

Um abraço Caro Paulo. Para os amigos chegados, simplesmente Mugango.

Viver é Perigoso   

O REI DE PARIS


Nadal. Definitivamente o rei do saibro. Completou 11 títulos em Paris. Já lá vão 17 Grand Slams, 79 títulos no total.

Viver é Perigoso

SERÁ QUE DANÇAMOS ?

Estamos cansados de levar chumbo na terrinha. Passa por aqui um político, um figurão da administração federal ligado a algum partido político (aliás todos são), um empresário estudando o mercado e buscando financiamento, anunciam alguma coisa e o pessoal local solta foguetes e são merecedores de destaque no Jornal.

Pronto. Esquecem de marcar as promessas em cima e dão como certo o ovo antes da galinha botar.

Preocupante a notícia publicada hoje no "O Estado de Minas", levando em conta o recente e enésimo anuncio da construção do viaduto do Jardins das Colinas na BR-459.  

"Após 10 dias de paralisação dos caminhoneiros, o presidente Temer anunciou em 27 de maio a redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias e a isenção de pagamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios. De acordo com o próprio governo, a medida custaria R$ 9,6 bilhões aos cofres públicos – montante que deixaria de ser arrecadado. 
Três dias depois, o Diário Oficial da União (DOU) trazia decreto que cancelava recursos em 39 obras viárias.

Alguma boa alma poderia consultar o DO para checar se dançamos nessa ? Aliás, não temos feito outra coisa nesses últimos tempos. 

Viver é Perigoso 

SÓ FALTAVA...


O vice-prefeito de Arcos, Halph Carvalho (PV), disse que os moradores da cidade que não estavam satisfeitos com a administração municipal poderiam se mudar de lá. Afirmou:
“os que acham que nada está sendo feito e que Arcos está regredindo, se não estão satisfeitos, podem mudar de cidade”.

Procurado, o prefeito Denilson Teixeira (MDB) confirmou que o vice fez a declaração. Mas pontuou que a fala de Half Carvalho foi direcionada para um público específico que critica Arcos nas redes sociais. 

“Ele disse isso para as pessoas que estavam falando mal da cidade, não para a população em geral. Temos uma série de investimentos nas áreas de segurança pública, saúde, educação, e algumas pessoas ainda continuam falando mal de Arcos”, afirmou o prefeito de Arcos. 

Em nota, a prefeitura municipal explicou que o município tem se mostrado progressista e que em menos de 20 anos inaugurou duas estações de tratamento de esgoto. 

Viver é Perigoso

sábado, 9 de junho de 2018

ABOBRINHA AMERICANA


“Nós somos como o cofrinho do qual todo mundo rouba”

Donald Trump

Viver é Perigoso

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

O TEMPO É IMPLACÁVEL


Lendo o noticiário de hoje somos levados a pensar sobre como o tempo passa rápido, principalmente para os outros. Outro dia mesmo, segurando timidamente nas mãos das namoradas, assistíamos às 16:15 horas de um domingo de 1963/64, no Cine Presidente, o sucesso "007 contra o Satânico Dr No "

Foi a estreia no cinema dos filmes baseados nas novelas de Ian Fleming. Lá estava Sean Connery como James Bond.

Pois tomou o barco ontem, a atriz britânica Eunice Gayson, que representou a primeira "Bond Girl" da história.

Sim pessoal, ela partiu com 90 anos de idade. Quando da filmagem ela estava com 32 anos, em 1962.

Ela está na cena em que surge uma das frases mais famosas de James Bond.

Os dois estão em um cassino, quando ela sugere que o agente secreto aumente sua aposta. Ele responde: "Admiro sua coragem, senhorita...".

"Trench, Sylvia Trench. Admiro sua sorte, senhor...", ela responde, abrindo a deixa.

"Bond. James Bond."

É a vida...

Viver é Perigoso

COZINHA CONFIDENCIAL


“À medida que você avança nesta vida e neste mundo, você muda ligeiramente as coisas, deixa marcas, por pequenas que sejam. E, em troca, a vida e as viagens deixam marcas em você. Na maioria das vezes, essas marcas, no seu corpo ou no seu coração, são bonitas. Mas frequentemente elas doem.”

Anthony Bourdain

Lá pelo início dos anos 2000, peregrinando por uma grande livraria em São Paulo, deparei-me com o então recém-lançado "Cozinha Confidencial". Comprei, li e já reli.
Foi escrito pelo carismático Chef Anthony Bourdain, que esta semana, antecipou e saltou para dentro do barco.
O famoso Chef americano, talvez o mais popular deles,escreveu: "A gastronomia é a ciência do sofrimento".

Bom de ler.

Viver é Perigoso




CASAL 13

Viver é Perigoso

sexta-feira, 8 de junho de 2018

JUÍZO MOÇADA !


"Não soube me conter diante de tanto poder e tanta força política e, de uma maneira vaidosa, querer fazer prefeitos nas cidades, vereadores e deputados. Houve, sim, dinheiro e muito dinheiro. A promiscuidade foi muito grande. Foi nessa promiscuidade que eu me perdi." 

Sérgio Cabral

Viver é Perigoso

DEVERÁ SER ENQUADRADA NO ART CESTO


Foi divulgado hoje que ministro do STF Celso de Mello liberou para julgamento uma ação penal aberta contra a senadora e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann . O caso deverá ser encaminhado para a Segunda Turma.
Segunda Turma:

Ministro Ricardo Lewandowski 
Ministro Edson Fachin
Ministro Celso de Mello 
Ministro Gilmar Mendes 
Ministro Dias Toffoli

Viver é Perigoso

VALEI-ME SÃO GILMAR !


Defensor dos corruptos ativos e passivos e em especial dos políticos sob suspeita de recebimento de propinas.
Infalível nas orações de habeas corpus.

Viver é Perigoso 

RIDÍCULO É POUCO


Ridículo, antigos políticos do interior que adotam "assessores" com única finalidade de atacar adversários.

Os "avanços" acontecem muitas vezes sem serem incentivados, obedecendo ao condicionamento do treinamento ou mesmo pelo simples instinto.

Coisa ultrapassada e sem nexo.

Indefinido se o ridículo  maior ficaria com o mandante ou com o executor.

Viver é Perigoso

DE VOLTA AO PASSADO


Nos antigos filmes americanos sobre o velho oeste, quando o meio de transporte eram as diligências, face as possibilidades de ataques de bandoleiros e índios, sempre viajava ao lado do condutor, um segurança armado.  

Aqui, governo desenganado e com perspectiva de ser decretada morte cerebral. 

No Sul de Minas, a bandidagem descarada começou no último domingo. Até aqui, foram registrados:

19 municípios atacados.
37 veículos atacados.
12 prédios atacados, sendo 11 de instituições de segurança pública.

Confira as cidades atingidas:

Alfenas: 3 ônibus queimados e ataque à base da PM
Brazópolis: tiros contra viatura da polícia
Cambuí: coquetel molotov jogado dentro de agência bancária
Cruzília: Tiros contra a delegacia
Guaxupé: 6 ônibus queimados na garagem de empresa
Itajubá: 2 ônibus queimados e 1 tentativa em outro ônibus
Lavras: ataque a base da PM
Machado: 1 ônibus queimado
Monte Santo de Minas: 2 ônibus queimados na garagem da prefeitura
Passa Quatro: 1 ônibus queimado
Passos: 3 ônibus, 1 viatura da polícia e uma caminhonete queimados. Tiros contra o presídio e bases da polícia. Pedra com fogo na Câmara Municipal. Ataque contra um caminhão de lixo e uma van dos Correios.
Poços de Caldas: Galpões de empresa e 2 ônibus queimados
Pouso Alegre: 3 ônibus queimados
Santa Rita do Sapucaí: caminhão da Copasa queimado
São Bento Abade: três ônibus escolares queimados
São Lourenço: Casa de um policial militar foi alvo de tiros; tentativa de queimar um ônibus
Três Corações: Tentativa de queimar um ônibus
Três Pontas: Fogo no carro de agente penitenciário
Varginha: 1 viatura do Sistema Prisional e 1 ônibus queimados; ataque de tiros em presídio

Estamos devidamente lascados.

Viver é Perigoso