quarta-feira, 15 de novembro de 2017

BRASILEIRO NASCIDO NA POLÔNIA

Tomou o barco hoje no Rio de Janeiro o pintor, escultor, gravador e fotógrafo, Frans Krajcberg, brasileiro nascido na Polônia em 1921.

Nascido em Kozienice, teve toda a sua família morta em campos de extermínio, quando da 2ª Guerra Mundial.
 
Ativista, Krajcberg lutou até o fim da vida contra a destruição de florestas desde que chegou sozinho ao Brasil, em 1948. 

Sua obra, associada à preservação ambiental, usa troncos e raízes de árvores calcinadas.

Viver é Perigoso

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

CALMA, OLHE NOVAMENTE


Viver é Perigoso

DISSERAM


"Infelizmente, o Brasil nunca perde uma oportunidade de perder oportunidades."

Roberto Campos

Viver é Perigoso


CARTA QUE NÃO RECEBI

Itajubá, 15 de novembro de 2017

Sou a favor de remuneração simbólica. A nossa cidade que conhecemos e amamos, é nosso lar, logo atuar como vereador é uma forma de ajudar a fazer nossa vida ser melhor nela. 
Acompanhar obras Públicas, fiscalizar o orçamento, conversar com a população, pedir contas públicas para apreciação é uma contribuição não é nossa profissão. 
Ou seja, dá pra cumprir bem o papel social de cuidar de nossa cidade sem deixar nossa vida pessoal e parar de desenvolver nossas atividades normais remuneradas. 
Repito, Ser vereador não é profissão. Não se faz necessário gastar dinheiro pessoal para desenvolver as atividades efetivamente de vereador. 
Assim como presidentes, diretores e conselheiros de entidades sem fins lucrativos e tem responsabilidade civil e penal sobre seus atos e não são remunerados por que os vereadores precisam ser remunerados? 
Este é meu entendimento. Sou pela remuneração simbólica, R$1,00 ou, ser proibido remuneração. Sou por uma atuação de fiscalização efetiva, por uma representação essencialmente de servir a sua comunidade defendendo austeridade, eficiência e dedicação. E que de quatro em quatro anos outros cidadãos se candidatem e participem deste belíssimo serviço social sem remuneração. 

Bom dia.

Leandra Machado Santos

Blog: Faz todo o sentido o posicionamento da ex-vereadora Leandra. As mudanças tão necessárias ao País começam nos municípios. Um cidadão que dedica parte do seu tempo para a comunidade, voluntariamente, merece todo o respeito. 
Não se trata de questão econômica, mas de um gesto nobre que, colaborará para o resgate do respeito aos políticos, levados, pela maioria deles, ao nível mais baixo de consideração por todos os brasileiros.
Servirá de exemplo para todo o País, afinal, a nossa cidade já foi chamada no passado de Cidade Luz, na época, por se tornar vanguarda na abolição da escravatura.

O momento é oportuno, uma vez que foi apresentado, na reunião da Câmara Municipal de 13 de dezembro, o Requerimento nº 309, de autoria dos Vereadores Santi, Chico Marques e Ricardo Zambrana, solicitando à Mesa Diretora a realização de audiência pública para instruir o Projeto de Lei Nº 4237/2017, que fixa os subsídios dos vereadores.

Em tempo: Alcançamos o comentário da Leandra no Facebook.

Viver é Perigoso 

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA EM ITAJUBÁ


Somente no domingo, 17 de novembro de 1889, foi que os itajubenses tomaram conhecimento, com a chegada do Correio, da Proclamação da República ocorrida na sexta -feira, 15 de novembro de 1889.

À tarde, o povo (os republicanos) se reuniram na Praça Theodomiro Santiago, então chamado de Largo dos Passos, para comemorar com banda de música e foguetório. No mesmo dia o Clube Republicano aclamou o Dr. Antonio Maximiano Xavier Lisboa, Luis Dias Pereira e Julião Florêncio Meyer Junior para constituírem o Governo Trino provisório do município.

Já no dia seguinte, dia 18, numa segunda-feira, o Trino provisório republicano do município exige que a Câmara Municipal dissolvida lhe entregue os livros, papéis, cofre e arquivo da municipalidade.

Já na terça-feira, dia 19, aconteceu a memorável reunião na Câmara Municipal, presidida pelo Cel. Antonio José Rennó, a fim de deliberar como proceder com a queda da Monarquia e a implantação da República e sobre a intimação do Governo Trino provisório municipal, que lhes exigia a entrega do poder. Decidiu-se aderir pacificamente ao novo Governo e regime determinado pelo Clube Republicano.

No dia seguinte, numa quarta-feira como hoje, O Dr. Xavier Lisboa, o farmacêutico Julião Florêncio Meyer Junior e o industrial Luis Dias Pereira, sob juramento, tomam posse do Governo Municipal. Ficava assim, instalada a República em Itajubá.

Mais adiante, em 29 de novembro de 1889, o Clube Republicano elege seis membros para o seu Diretório, e dissolve o Governo Trino provisório do município, devolvendo os poderes à Câmara, que aderira ao regime republicano.

O momento político seguiu tenso. Ainda no dia 24 de dezembro e 1889, grandes e provocadoras explosões de dinamite ocorreram na Praça Getúlio Vargas, então chamado de Largo dos Andradas, atribuídas aos adeptos do Partido Conservador.  Na madrugada do dia 29 de dezembro, do mesmo ano, ocorreu uma grande explosão de dinamite em frente a residência do Sr. Frederico Schumann, ali posta pelos seus adversários políticos, conservadores.

Custou um tempo para que os ânimos fossem arrefecidos.

Dados do historiador Armelim Guimarães 

Viver é Perigoso