segunda-feira, 2 de outubro de 2017

END OF THE LINE



Tomou o barco hoje nos EUA, o consagrado astro do rock&roll, Tom Petty. Vendeu mais de 80 milhões de discos gravados solo, com os Heartbreakers, com a Banda Mudcrutch e lógico, com Os Traveling Wilburys, onde esteve simplesmente, com George Harrison, Roy Orbison, Jeff Lynne e acreditem, Bob Dylan.
Gravaram juntos o "End Of The Line". Harrison e Orbison, partiram antes.

Viver é Perigoso

PENSANDO BEM...


Mesmo de longe assistimos pelo Site da Câmara Municipal a gravação da Reunião da Comissão de Obras da Câmara Municipal, que tratou do andamento das obras do Parque Municipal. Olhando as pessoas e ouvindo vozes ficou mais claro. 

Como publicamos uma postagem sobre o assunto (suspensa para reparos técnicos), somos levados a registrar algumas correções.

Primeiro, reconhecer a educação, tranquilidade e disponibilidade do Secretario Juliano, Sr. Alexandre Raponi e do empresário Douglas Costa, proprietário da empresa exploradora/construtora do Parque Municipal, em prestar esclarecimentos sobre o assunto, mesmo com todas as dificuldades provocadas, também pela falta de costume.

Corretíssima as preocupações dos Senhores Vereadores atuantes e presentes, Marcelo Krauss, Santi, Zambrana e no encerramento, pelo Vereador Molina.

Comprovado, claro e evidente, que faltam no projeto apresentado, diversas exigências constantes do Contrato de Concessão para exploração do Parque.

Constatada a dificuldade, junto a Secretaria de Obras, de acesso ao Projeto, por parte do Vereador Marcelo Krauss, o que não aconteceu, pelas suas próprias palavras, com o Vereador Molina, bem como, o discretamente admitido, possível travamento interno (superior) no fornecimento de informações solicitadas legalmente pelos Vereadores Independentes.

Resumindo: Pessoas interessadas e colocadas em dificuldades por posicionamentos ultrapassados, como ausência de transparência, autoritarismo e rixas políticas vindas ainda dos tempos da monarquia.

Tudo tão simples. 

Viver é Perigoso

TORCEDOR OFICIAL

Sábado num show em Brasília
Ainda bem que não é torcedor do Flamengo.

Viver é Perigoso 

DATAFOLHA

Viver é Perigoso

UMA BOA INICIATIVA QUE PODE FICAR MARCADA


No rascunho do Projeto Itajubá-Tecnópolis, já existia o Parque Municipal com o seu lago. O ex-Prefeito Dr. Jorge escolheu a área e conseguiu que a Helibrás doasse o caro projeto. Demorou, mas aconteceu. O projeto foi entregue com toda a pompa e circunstância merecida. Tudo registrado.

Entrou a nova Administração, que foi reeleita  e literalmente, as luzes sobre o projeto foram desligadas. Alguns dizem que o Projeto/Helibrás/Dr. Jorge, foi abandonado. Não foi de se estranhar.

Como aconteceu com a reforma da Praça Theodomiro Santiago, conseguiram financiamento do BDMG para a execução de um projeto, que inclusive seria de autor desconhecido e obtido os recursos, foram adiante com outro projeto. E as coisas seguiram adiante, tipo caixinha de Kinder Ovo. Satisfação legal e obrigatória, zero. Investigações das autoridades sobre o feito. Bonito, porém com sombras na construção/reforma.

Voltando ao Parque Municipal. Providenciada a terceirização para construção e exploração do Parque Municipal, exceto (construção) do lago, e parte da instrutura, que seria de responsabilidade do Município. O Contrato foi assinado com uma empresa parceira a longa data da atual administração. Reclama-se que não foram divulgadas a contento os detalhamentos do certame.

Os Vereadores atuantes (independentes), desde os primeiros dias da atual legislação, solicitam, imploram e são levados a exigirem por vias judiciais, informações e prestações de contas previstas em Lei. 

A desinformação total e irrestrita, leva a crer que o atual projeto é um, o contrato com o explorador/construtor é outro, sendo a realidade bem diferente dos dois.

O que viria a ser de responsabilidade da contratada e da contratante. Prazos, projetos, custos. Detalhes simples, que OBRIGATORIAMENTE, deveriam ser transmitidos para a população, normalmente através de seus representantes, os Senhores Vereadores.

Para a própria e atual Administração seria excepcional, para evitar questionamentos, nebulosidade futura e principalmente, para cumprir a legislação, que promovesse junto a Câmara Municipal, a formação de uma Comissão de Avaliação sobre o Parque Municipal.

A presente postagem seria considerada normal em qualquer ponto do território nacional, exceto na terrinha. Aqui, passa a ser atitude vingativa, invejosa, de frustrados e blá, blá blá...quando é se não, uma forma de participação e ajuda. Que entendam: Os aplausos sinceros virão depois.   

OBS :Postagem complementada adiante, após acompanhamento do vídeo sobre o Parque Municipal acontecida na Comissão de Obras da Câmara Municipal.

Viver é Perigoso