segunda-feira, 25 de setembro de 2017

DESALENTO PARA COM A POLÍTICA ATUAL

Discurso feito pelo Vereador Dr. Kener Maia, na 31ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Itajubá

Boa noite Exmo.Sr Presidente, nobres colegas vereadores e público presente. 

Nesses dias tenho pensado com certa preocupação em uma lição que recebi de um amigo e incentivador da minha trajetória médica e política quando, vendo o descompromisso com o povo brasileiro, sem autoridade, desconte e enganado pelos políticos havidos de poder e mal-intencionados, falindo os cofres públicos, corrompendo a saúde, educação, o bem estar social, desacreditando sistematicamente a representatividade que lhes foi dada pelos votos sob o efeito de promessas enganosas e ações eleitoreiras, esses tais votos que elegem pessoas que entram na política, não para lutar pelo povo mas por si mesmo enriquecendo-se com os desvios do dinheiro público.
 
Bem diferente o que meu amigo me ministrou: 
"Até o início da década de 1960, embora com certas restrições, o plenário das câmaras era o local onde os políticos debatiam educadamente e respeitosamente o futuro desejado do povo que os elegeu: em saúde, educação, moradia e bem estar social. Estas reuniões se realizavam sem ofensas mutuas. Por isso, de uma maneira geral, havia um respeito muito grande pelo político, considerando como “Doutor” e ele se orgulhava”. 

Que diferença hoje em dia!

Senhores, fiz esse preambulo para fim de registrar os fatos que tem ocorrido nas reuniões da Câmara Municipal de Itajubá que as vezes chegam a ser deploráveis em defesa ou ataque de um projeto a ser votado, que agrada uns e contrariam outros. Temos que conscientizar que somos eleitos pelo povo e fazermos o que for melhor para eles, amparando seus clamores.

Confesso que não tinha ambições políticas, visto que a minha profissão, inspirada por Deus para servi-lo, tomava todo o meu tempo, meu amor e minha atenção pelo próximo e, honestamente não imagina que a política era deste modo: cheio de egoísmo, ambição, soberba, inveja, ciúmes, descomprometimento em servir a quem realmente deve ser servido, mas servindo-se em detrimento ao pobre eleitor que não cansa de confiar.
 
Todavia, senhores, eu continuarei lutando por aquele que me elegeu, vencendo todos os obstáculos e as más consciências que estão tornando em um Inferno o Paraiso que Deus criou. 

Bem, depois de dito isto, mostrando meu sentimento por tanta discórdia reinante em nosso meio, quando deveria ser harmonia e paz, entendo que Itajubá cresceu muito, portanto, precisamos que se ponha um paradeiro a tantos conflitos entre nós e entre o povo.

Kener Maia

Viver é Perigoso

QUE BOM !


Publicado no site da PMI

TERMO DE REINICIO DE SERVIÇO Nº 05/2017 CONTRATO Nº 040/2017 
LBRAGA CONSTRUTORA E INCORPORADORA EIRELI

Reinício das obras da Vila Olímpica do Bairro do Reborgeon

Agora vai.

Viver é Perigoso

É A VIDA...



Ele não é um peso para mim, ele é meu irmão

A estrada é comprida
Com muitas curvas dificeis
Que nos leva a
Quem sabe onde, quem sabe onde
Mas eu sou forte

Forte o bastante para carrega-lo
Ele não é um peso para mim, ele é meu irmão
E assim continuamos
O bem-estar dele é problema meu
Ele não é nenhuma carga para mim

Nós chegaremos lá
Pois eu sei
Ele não seria um estorvo para mim, oh! não
Ele não é um peso para mim, ele é meu irmão
Agora, se estou realmente sobrecarregado
Então estou sobrecarregado de tristeza
(de saber) que o coração de todo mundo
Não está cheio de gratidão

Ou de amor, um pelo outro
Éuma estrada muito comprida
Da qual não há retorno
E quando estamos indo para lá
Por que não partilhar ?
E a carga (dele)

Não vai me pesar de jeito algum
Ele não é um peso para mim, ele é meu irmão.


Viver é Perigoso

ROCK IN RIO 2017

Viver é Perigoso

CANTINHO DA SALA

Anselm Kiefer
Anselm Kiefer, pintor e escultor alemão. Seus trabalhos utilizam materiais como palha, cinza, argila, chumbo e selador para madeira. 
Temas relacionados ao nazismo são particularmente vistos em seu trabalho. Discussões polêmicas na mídia sobre o valor de seu trabalho artístico foram feitas durante muitas décadas.
Seus trabalhos são caracterizados por um estilo maçante, quase depressivo e destrutivo, e muitas vezes feitos em grandes formatos. Na maioria deles, o uso da fotografia como suporte prevalece, e terra e outros materiais da natureza são geralmente incorporados. Também é característico o uso de escritos , personagens lendários ou lugares históricos em quase todas as suas pinturas.

Viver é Perigoso