sexta-feira, 1 de setembro de 2017

SOB A LUZ DE VELAS


"Tratar um democrata como um autoritário é insulto, ofensa. Tratar um autoritário como um autoritário, um ditador é um elogio, um reconhecimento, um louvor. Eles gostam, adoram, sorriem e se sentem reconhecidos."

John Chair

Viver é Perigoso

ACABOU-SE O QUE ERA DOCE ?


O governador petista Fernando Pimentel, desde os tempos do movimento armado, quando da ditadura, foi apadrinhado da Dilma Roussef. São ou eram amigos. Pimentel foi um dos ministros mais chegados ao poder no governo Dilma.

O jornal "O Estado de Minas" traz em manchete a notícia sobre o ataque do governo mineiro à política da ex-presidente Dilma Rousseff para o setor de energia na tentativa de barrar no Supremo Tribunal Federal o leilão das usinas da Cemig pelo governo Michel Temer. 

Em recurso apresentado ao Supremo, a Advocacia-Geral do Estado (AGE) de Minas acusa o governo Dilma:

De ter sido eleitoreiro ao mudar as regras do sistema elétrico brasileiro por meio da Medida Provisória (MP) 579. "Puro engodo".
Com essa MP, Dilma buscou reduzir o custo de energia no Brasil, mas acabou provocando uma desorganização do setor com custos para os consumidores e o Tesouro Nacional.
Utilizou-se a máscara de reorganizar o sistema elétrico brasileiro, mas seu intuito, na realidade, era simplesmente eleitoreiro. Diminuiu o custo da energia elétrica, no primeiro momento (pré-eleitoral), e posteriormente se mostrou impróprio e ineficaz, tendo a energia aumentado o seu valor bem superior ao que havia reduzido. "Onde o interesse público relevante se fez presente?", 
Questiona a AGE para depois acrescentar que, ao contrário, o sistema elétrico "restou piorado".

Blog: Nada como um dia após o outro. 

Viver é Perigoso

HOJE É DIA DE ROCK



Viver é Perigoso

É A VIDA...



Apesar do aumento da esperança de vida, pesquisadores holandeses, das Universidades de Tilburg e Rotterdam, afirmaram esta semana que o limite para a longevidade humana é de 115,7 anos para as mulheres e de 114,1 anos para os homens.

Registraram, que há caso excepcionais, como a francesa Jeanne Calment, o ser humano que comprovadamente viveu mais tempo. Jeanne tomou o barco em 1997, com 122 anos e 164 dias.

Deu no Huffington Post

Viver é Perigoso

EM OUTRA OCASIÃO


No final dos anos 80 e início dos anos 90, quando da Administração Rosemburgo Romano, fomos informados que a fiscalização da prefeitura estava se dirigindo a uma tradicionalíssima pastelaria da cidade, localizada no Mercado Municipal. Por divergências outras, inclusive autoritarismo e pitadas políticas de uma parte e rebeldia de outra, o prestigiado empreendimento seria interditado.

Um amigo e eu corremos até o Secretário Municipal de Obras, conhecido de longa data, conseguindo o adiamento, por algumas horas, da operação. A interdição seria por 3 dias e até o cumprimento das exigências.

Visitamos o comerciante, que chateado estava irredutível em providenciar qualquer nova pintura e adequar frigideiras e o depósito de óleo. Os tempos eram outros e existia no episódio um viés político.

Estivemos na Prefeitura e no comércio por diversas vezes em poucas horas tentando um armistício. 
Com muito custo, foi conseguido, com o compromisso da pintura interna da pastelaria, com início às 17 horas do mesmo dia e o encerramento até às 06:00 da manhã do dia seguinte. Os equipamentos seriam revitalizados dentro de uma semana.

Tudo resolvido e quase ninguém ficou sabendo. Muitos dos personagens desse filme já tomaram o barco.

Em tempo, o comerciante, ativo e participativo cidadão, não era proprietário de jornal e nem diretor de alguma Ong. Era dirigente de uma entidade de classe e de um operante clube de serviços. Ah! e tinha posição definida.

A vida seguiu normalmente, sem processos e sem grandes ressentimentos.

Viver é Perigoso    

CANTINHO DA SALA


As Cinco Moças de Guaratinguetá, estarão a partir de amanhã, dia 2, na retrospectiva que a Pinacoteca do Estado abre com 200 obras do artista, Emiliano Augusto Cavalcanti de Paula Albuquerque e Melo, simplesmente, Di Cavalcanti.

Desenhos, pinturas e ilustrações desse que foi um dos idealizadores da Semana de Arte de 1922 e colocou o Brasil na rota dos modernos. A exposição, patrocinada pelo Bradesco e apropriadamente chamada de " No Subúrbio da Modernidade – Di Cavalcanti 120 Anos ".

As Cinco Moças de Guaratinguetá
Ano: 1930
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 92 x 70 cm
Acervo do MASP – Museu de Arte de São Paulo

Pinacoteca do Estado - Praça da Luz, 2 - Horário 10?17:30 horas

Viver é Perigoso

A RELIGIÃO NAS ESCOLAS E AS SUPREMAS DIVINDADES

Viver é Perigoso