sexta-feira, 28 de julho de 2017

MOÇA BONITA


Moça linda que tomou o barco há exatos 60 anos. Em 1957, na Boa Vista, é claro, aos 36 anos de doçura e lindeza partiu Dina Riera.
Izaldina Ribeiro Riera, nascida no Bairro de São João, filha do Sr. Pio Gomes Ribeiro e da Dona Virgínia.
Na flor da idade, quando partem os realmente bons, os excepcionais, partiu deixando o marido José Riera e sete filhos pequeninos. Edna, então às vésperas de completar 11 anos era a mais velha, seguida do Edson, Elizabete, Eliane, Virgínia, José e Térça.
Um baque. Um assombro na época.
Como sobreviveriam todos ao lado do Pai, também jovem, com os mesmos 36 anos.
Está escrito: "O Senhor nos deu e o Senhor nos tirou. Louvado seja o nome do Senhor". Os sete irmãos continuam firmes e fortes no caminho que lhes foi ensinado. Tempos após, a família recebeu mais quatro presentes: Marilena, Paulo, Luis Carlos e Regina.
Dona Dina, presbiteriana e cristã fiel, conheceu o Sr. José Riera, quando trabalhava como telefonista na Companhia Telefônica de Minas Gerais. Tinha como companheira de trabalho a Dona Liquita Arruda, vizinha da Boa Vista e mãe de amigos estimados.
Tiveram o casamento adiado uma semana antes do acontecimento. José foi convocado para as Forças Armadas por ocasião da 2ª Guerra Mundial e artilheiro, foi servir na Guarda Costeira em Porto Seguro, na Bahia.
Sempre esteve viva e presente nas nossas vidas.

Viver é Perigoso 

ITAJUBÁ VELHO


Como foi chamado, durante certo tempo, o atual município de Delfim Moreira. Politicamente falando, Itajubá Velho é a terrinha em que vivemos.
Lamentavelmente, não dão conta que os tempos estão mudando. Não devem ler a Folha de São Paulo, Estadão, O Globo, Veja, Época, Isto É e tão pouco assistir os jornais da TV e ouvir a Band.
As atitudes, inclusive a linguagem, estão tendo que adaptar aos tempos de fim dos papos furados, de promessas impossíveis de serem cumpridas, tapinhas nas costas e, principalmente de inverdades.
Entrando no assunto:
Todos os poucos itajubenses que buscaram esclarecimentos sobre a construção do aeroporto, vendas de imóveis públicos, doação de área privilegiada para construção de cinema particular e sobre a parceria para construção e exploração do Parque Municipal, são considerados pelos membros da atuação Administração, como contrários aos empreendimentos citados.
Puxam pelo paletó ou pela camisa um amigo ou parente e murmuram em tom de lamento: " Que pena que o Zezinho, o Chico e o Marcelo, sejam contra o cinema e um parque na cidade. Seria tão bom... e complementam dizendo: "eles não são más pessoas, mas estão dominados pelo ódio, pela inveja e tomados por ambições políticas. É uma pena..."
Realmente, o tal de Zezinho pode estar de abelhudo na história, mas o Chico e o Marcelo assumiram o compromisso público de fiscalizar o Executivo e estão tentando cumprir as suas funções.
Parem com isso Moçada.
Não é vergonhoso e tão pouco humilhante prestar de pronto, ou mesmo antecipar, esclarecimentos sobre os bens públicos. É engrandecedor.
Apoio integralmente os projetos de PPP, uma vez que se tornaram escassos os recursos públicos. Não conheço mas vejo fotografias e comentários positivos sobre o Parque Municipal. Muito bom.
Não cochichem ou propagandeiem que ocorreria o contrário.
Informem e cest´fini.

Viver é Perigoso
   

E A FILA ANDA...

Viver é Perigoso

JUÍZO MOÇADA !


Já diziam na Boa Vista, é claro, desde priscas eras: "Não atirem pedras no bambual que a passarinhada sai em revoada".

Pois bem, hoje de manhã conversei com pessoa, amiga, competente, bem informada e preocupada com o andamento das coisas. Comentou sobre o Post "Juízo Moçada", pregado ontem no "Viver é Perigoso" falando sobre a PPP - Parceria Público Privada, que leva adiante a construção e exploração do Parque Municipal.

Uai ? disse o amigo, deve ter algum engano no publicado. Ficou registrado que a construção dos banheiros seria de responsabilidade da empresa aquinhoada com a exploração do Parque e li no site da Prefeitura a Tomada de Preços 007/2017 tratando da contratação de empresa de engenharia para construção de banheiro público no Parque Municipal.

Êpa, digo eu !

Deve ser fácil de ser explicado. Existem banheiros e banheiros. Pedir explicação direto para a Prefeitura não adianta. Solicitar informações aos quatro vereadores atuantes, nem pensar, uma vez que o Executivo não dá a menor bola.. Aos outros 13 vereadores, impossível. Estão ocupados em regime constante de contrição voltados para a Meca do Pinheirinho.

Gente fina : Parceria público privada é um instrumento interessante. Mas, que não pode e nem deve ser levado ao pé da letra.

Esclareçam.

Viver é Perigoso     

PERSONALIDADE INESQUECÍVEL


Pipoca: Negão de seus 1,80m, carapinha já começando a branquear.
Palhaço mambembe, dono do circo, tremendo boa-praça. 
De tanto estacionar sua escalavrada lona no aprazível "buracão", lá em SRC, tornou-se amigo de todo mundo na cidade. Principalmente da criançada.

Sessão de um dia lá pelos anos 60:
Pipoca conta uma piada.
Meu amigo Beassino grita, lá da arquibancada (daquelas tipo "senta que o leão é manso"): 
"- Essa é velha!"
Pipoca, na bucha: "- Mais velha é a educação e você ainda não conhece..."
Vaias retumbantes pro aparteante, aplausos gloriosos para o replicante.
Grande figura, o Pipoca.

Seu circo tinha ainda o Golias - o "maior atleta de telecatch do Brasil", que "lutava" contra o "Tigre Africano"(Pipoca em sua versão atleta). Mocinho da fita, Golias ganhava sempre. 
Ato contínuo, desafiava a cidade - alguém aí quer encarar??

Lá um dia, Tião Balestra, nosso sapateiro oficial, pai de meu amigo Batista (vulgo Touro Sentado) saltou prá dentro do ringue.
Sunga com quilometragem vencida havia anos, descalço, mas resolvido a "acabar com essa aplhaçada". Deu uma coça (à vera) no Golias, que, para evitar novos vexames, arranjou uma namorada em SRC, abandonou a "promissora" carreira e tornou-se definitivamente cidadão santarritense.

Por onde andariam essas jóias de nossa doce cordialidade d'antanho, seu Zé ??
Hoje, temos que aguentar 24h x 24h, sem descanso, esses pustemas (com licença do Henfil) que não descolam de nossa TV como se fossem cracas de um pilar da Ponte Rio-Niterói.

Abraços e lamentos (não aqueles do Jacó, "lamentos" mesmo!).

Marcos Carvalho - O Moço de SRC (Santa Rita de Caldas)

Blog: Texto armado para permitir ao leitor dar asas à imaginação. Brilhante.

Viver é Perigoso