domingo, 4 de junho de 2017

MOMENTOS MÁGICOS



Viver é Perigoso

A MULHER DE BRONZE


Viver é Perigoso

FÉ EM DEUS E PÉ NA TÁBUA

Não é muito comum eu viajar de ônibus para São Paulo. A entrada em Pouso Alegre quebra a viagem e desanima qualquer um. Outro dia fui num bate e volta. Na volta, no final do dia, sobrou um tempinho na Estação Rodoviária da Barra Funda. Valeu.
Mais ou menos na área central do piso superior, existe uma ilha onde vendem livros (qualquer um por dez reais". Um achado. Livros novos há tempos desaparecidos das lojas. Para quem gosta é uma festa.
Achei lá um livro interessante para os tempos atuais. Relativamente novo, publicado em 2014. "Adhemar - Fé em Deus e Pé na Tábua" - Escrito pelo Amilton Lovato.
Para os desligados, trata-se da fantástica história de um político desbocado, amado e odiado, inspirador do infame lema "rouba mas faz".
Interessante de ler e concluir que os políticos brasileiros melhoraram para pior.
Adhemar de Barros nasceu em 1901, em Piracicaba. De família tradicional e riquíssima. Muito bem preparado. Médico pela Escola Nacional de Medicina no Rio De Janeiro, com residências médicas em Berlim, Paris, Londres, Viena e nos Estados Unidos. Falava seis idiomas. Tomou o barco em 1969, em Paris. Foi interventor, Governador e Prefeito de São Paulo. Não conseguiu alcançar o sonho de ser presidente da república.
Pioneiro na mistura do público com o privado. Era rico e ficou ainda mais. Cheio de rolos de todos os tipos. Mas fez coisas boas também. Entre outras, construiu o Hospital das Clínicas.
O tradicional jornal  "O Estado de São Paulo", o combateu durante toda a sua vida. Esteve exilado por três vezes. Por razões políticas e de polícia.
Adhemar foi um conspirador para derrubar o Jango Goulart e um provocador com os militares no poder. Foi cassado e teve os seus direitos políticos suspensos.
Ler sobre Adhemar, que também foi dono da Chocolates Lacta é concluir sobre, comparativamente aos dias de hoje, sobre sua ingenuidade.
No período também existiu o anti-Adhemar. Foi o Jânio Quadros. Uma bela opção.
Foi amante, publicamente, durante anos, da Sra. Ana Capriglione, que ficou conhecida como "Dr. Rui". Dona Ana tinha um poder inacreditável na vida do Dr. Adhemar. Nomeava e destituia em tempo integral. Ficou para a história  o roubo do cofre do Adhemar, após 4 meses da sua morte, justamente na casa da Sra. Capriglione, no Rio de Janeiro. A história conta que o Grupo Armado VAR-Palmares, do qual faziam parte o Carlos Franklin Araújo, marido da Dilma Rousseff, ela própria, Lamarca e outros. Foi levada a módica quantia de US$ 2,5 milhões.

Uma pequena história que dá ideia precisa sobre o personagem:

" Carlos Lacerda visitou o jornal o Estado de São Paulo e disse para o dono, Dr. Júlio de Mesquita Filho:
 - Doutor Júlio, tenho uma notícia desagradável para lhe dar, mas conto com o seu espírito público para compreender. Vou me encontrar com o Governador Adhemar de Barros.
Mesquita respondeu com enfado:
- Realmente é preciso que este país tenha chegado a uma situação muito triste e muito grave para que um homem como o senhor tenha de se encontrar com um homem como Adhemar de Barros.

Viver é Perigoso



 

PORQUE HOJE É DOMINGO



Quando enfim, chegar o dia 
Do triunfar do meu Rei, 
Quando enfim, chegar o dia, 
Pela graça de Jesus eu lá estarei! 

Pois, por Sua imensa graça, lá estarei.

Viver é Perigoso