quinta-feira, 1 de junho de 2017

50 ANOS !


Homenagem do nosso grande Sponholz. Com justiça foram inclusos na arte da capa do disco, o próprio Spon, algumas pessoas que lhe são queridas, e claro, o Dr. Sérgio Moro, que está passando o Brasil a limpo.

"Nesta quinta (1º) é comemorado o Dia da Libertação do Rock. Há 50 anos, os Beatles lançavam "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", o disco mais importante do gênero em toda a sua história.
O grande grito de liberdade veio quando os Beatles, após a decisão de não fazer mais shows, sentiram que o estúdio era o lugar para experimentar tudo que desse na telha. E o telhado do quarteto era muito fértil.

Sem a preocupação de escrever canções para serem reproduzidas no palco, o lema das gravações foi algo como "Por que não isso?". Em sessões que avançavam nas madrugadas, cada faixa foi recebendo novos penduricalhos, tecendo tramas complexas mesmo em músicas assobiáveis, que parecem mais simples do que realmente são.

O disco dos Beatles é uma salada pop, com rock, balada, vaudeville, batidas marciais, música clássica, som indiano. Tudo com uma liberdade um tanto jazzística e alcançada em evidentes estágios alterados da percepção.

Concebido para ser escutado como uma obra única, da abertura com a canção-título ao encerramento com "A Day in the Life", o disco vale muito pela direção que apontou para outras bandas de rock, fossem consagradas ou iniciantes tocando em garagens. E "Sgt. Pepper's" apontou para todas as direções.

Sobre a capa: Paul pediu a cada Beatle que fizesse uma lista de seus grandes ídolos. Daí surgiram 70 nomes para compor a galeria de imagens na capa de "Sgt. Pepper's". Mas, atendendo a pressões, o grupo retirou três figuras da lista final: Jesus, Gandhi e Hitler." - Extraído da Folha.

Viver é Perigoso

GENTE NOSSA


O cidadão honorário itajubense, Gustavo Perrela está sob observação. 

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) – órgão ligado ao Ministério da Fazenda responsável por rastrear transações suspeitas – comunicou à Procuradoria Geral da República que o filho de Zezé Perrella, Gustavo Perrella, sacou R$ 103 mil no dia 13 de abril da conta da empresa Tapera Participações.

O levantamento do dinheiro ocorreu um dia depois da entrega de mala de R$ 500 mil da JBS ao primo de Aécio Neves, Frederico Pacheco, o Fred, que repassou o montante ao assessor de Zezé Perrella, Mendherson Souza. Naquele período, o órgão flagrou Mendherson provisionando a retirada de R$ 103 mil, em espécie, da conta da Tapera, junto à agência bancária, que foi sacada posteriormente pelo filho de Perrella. 

Saques volumosos usualmente necessitam de uma solicitação prévia – classificada como ‘provisionamento’ -, já que as instituições financeiras não disponibilizam, no dia-a-dia, valores altos em dinheiro vivo a serem retirados.

Viver é Perigoso


RIERA OU RIPPOL ?



A aplicação do sobrenome padrão paternal deixa de prevalecer sobre o da  mãe do próximo dia 30 de junho, em Espanha. 
Quando do registro do recém-nascido no Registro Civil os pais deverão chegar a acordo sobre a ordem dos sobrenomes. 
Se não houver consenso, o registo civil vai decidir a ordem "no melhor interesse da criança".
Desde 1999, os pais podiam escolher a ordem dos sobrenomes de seus filhos, sempre mútuo acordo. Tinham apenas que enviar um pedido ao juiz encarregado do Registro Civil e uma declaração sobre a mudança na ordem dos sobrenomes. Caso não houvesse consenso ou que não fosse solicitado, sempre se aplicava o sobrenome do pai. 
Com a entrada em vigor neste mês de uma lei aprovada em 2011, a imposição de nome masculino é removida. 
A Reforma do Registro Civil exige que os pais indiquem expressamente a ordem dos nomes no pedido de registo no prazo de três dias. 
Fontes da Direção-Geral dos Registos e do Notariado do Ministério da Justiça considera que na maioria dos casos haverá acordo. 

Parece que nem sempre foi assim. O nossos Bisavôs espanhóis chamavam-se João Martinez Ripol e Francisca Riera. Os filhos, como o Vô Jayme, ficaram com o Riera da Vó Francisca. Resumindo, o Riera é de origem materna. 

Viver é Perigoso  

GOSTO NÃO SE DISCUTE



Indicação do grande amigo Walter Bianchi.

Viver é Perigoso 

PRÁ PENSAR


"Nem queira saber como é minha vida"

Andreas Albert von Richthofen 

Graduado em farmácia e bioquímica e tem doutorado em química pela USP. Tem 29 anos.

Viver é Perigoso