sexta-feira, 21 de abril de 2017

SOBRARAM MEDALHAS


Grande parte dos agraciados com a Medalha da Inconfidência não deram o ar da graça em Ouro Preto. O Governador, em substituição ao Lula, discursou. 

“As acusações, quando a serviço de estratagemas, morrem; os acusadores morrem; mas a injustiça contra as vítimas da acusação infundada é incontrolável, e irreparável. Por isso o devido processo penal não pode ser atropelado pela ansiedade de condenar, de execrar, de justiçar.  O país precisa de uma reconstrução e que o sistema jurídico perfeito não é aquele que “se alimenta de estardalhaço”, mas o que não teme buscar “silenciosamente” as provas “e não apenas versões”

Fernando Pimentel

Blog: Submetido a tantas denúncias o Governador Pimentel luta como pode. Todos imaginam que é questão de tempo ele ser tragado pelo tsunami da Lava-Jato e outras Operações. Como petista de primeira hora e participante direto da administração (?) Dilma, entrega a rapadura ao afirmar que o País precisa de uma reconstrução. Reconstrói-se o que foi destruído. Ele tem razão.
Processo penal atropelado ? Já lá vão anos que a justiça segue as suas pegadas. Só a Lava-Jato já tem 3 anos.
Políticos, políticos, políticos...

Viver é Perigoso

É DISCO QUE EU GOSTO



Viver é Perigoso

NÃO GANHA UMA !


O ex-presidente Lula perdeu uma ação em que pedia R$ 1,5 milhão em indenização ao ex-senador Delcídio do Amaral. No processo, Lula acusava o ex-Senador de ter feito uma acusação falsa a ele em sua delação premiada. Delcídio, diz que o petista atuou para obstruir Justiça durante a Lava Jato.

Em sua decisão, publicada ontem, o juiz Maurício Tini Garcia, de São Bernardo do Campo, não só desqualificou a tese de Lula como condenou o ex-presidente a arcar com os custos da causa e o pagamento de advogados, algo em torno de R$ 225 mil.

No texto em que fundamentou seu entendimento, o magistrado afirmou :

"Aqueles que optam pela vida política, muito mais que o cidadão comum, estão sujeitos estão ao escrutínio popular sobre seus atos, além de submetidos a imputações acerca da probidade e honestidade de suas ações”. Atender o pedido de Lula poderia “desestimular a publicidade de atos de interesse público”, num momento em que o ex-presidente tem “amplo direito de defesa na esfera criminal e administrativa, com várias instâncias recursais”. Isso lhe dá a possibilidade de comprovar a “idoneidade de suas ações políticas, a legitimidade do patrimônio amealhado durante sua vida pública e os sinais externos de sua riqueza e de seus parentes próximos sempre poderão ser objeto de justificativa ou questionamento”.

O juiz ressalta que a delação de Delcídio foi homologada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e que, portanto, é válida.

Deu na Folha

Viver é Perigoso