quarta-feira, 19 de abril de 2017

CANTINHO DA SALA

Paul Klee
Viver é Perigoso

CASO ANTIGO NA JUSTIÇA


Como é sabido, não entendo de questões judiciais. Porém, tudo leva a crer que a decisão do Sr. Juiz Selmo Silo, foi pelo arquivamento do Processo movido pelo Ministério Público, contra os ex-presidentes da Câmara Municipal, João Vitor, Rodrigo Riera e a empresa Dial Ltda. Trata-se do antigo caso de transmissão, via emissoras de rádio, das reuniões da Câmara Municipal.

Ordenado o desbloqueio dos bens e arquivo do processo.

Não sei se cabe recurso e se a providência será adotada pelo Ministério Público.

A vida continua e um problema a menos para os citados. 

Para quem aprecia o assunto, é só dar uma olhada no site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. 

Leiam:

II – CONCLUSÃO.

POSTO ISSO, e fiel às considerações acima expostas, julgo, por sentença, IMPROCEDENTES os pedidos iniciais, extinguindo-se o feito, com resolução de mérito, o que faço com suporte nos artigos 487, I e 490, ambos do CPC vigente.

Deixo de condenar o autor em custas processuais (art. 10, I, da Lei Estadual nº 14.939/03) e em honorários advocatícios por serem incabíveis na espécie.

Transitada esta em julgado, faça-se o desbloqueio dos bens dos requeridos, expedindo-se, se for o caso, mandado ao CRI desta Comarca, para os fins de direito, arquivando-se, em seguida o processo.

Viver é Perigoso

MARIONETE

Se Miguel de Cervantes chama o Quixote, personagem central de sua obra, de "o cavaleiro da triste figura", na novela das confissões de Emílio e Marcelo, pai e filho do império da Odebrecht, Lula aparece como marionete e fetiche daquele império hoje em ruínas.
Como Cervantes criou o personagem Don Quixote de la Mancha, os Odebrecht apresentam Lula como uma figura inventada por eles. Emílio, o pai, afirma que foi ele que, não só conseguiu a primeira vitória do ex-sindicalista em 2002, a custa de milhões, como também o transformou um presidente elegante, com gravata, reformista, a quem ajudou a escrever a famosa "Carta ao Povo Brasileiro". 

Emílio conhecia Lula desde os anos 70, quando era sindicalista e então já dera uma mão ao empresário para amansar uma greve. Desde então, os Odebrecht vangloriam de ter sido os ventríloquos de Lula, que atuaria em todos os momentos de conflito da empresa para resolver seus problemas e conseguir a aprovação de leis que lhes favoreceriam. 

Os grandes empresários conheceram em seguida os pontos fracos de Lula, o nordestino pobre e sem estudos, com um certo deslumbramento pelo mundo do luxo e da boa vida, e saciaram suas fantasias. Nunca o deixaram viajar em um avião de carreira, afirmam. Talvez Lula tenha razão quando jura que nunca pediu um real aos empresários. Não era necessário. Eles mesmos se antecipavam a seus gostos e desejos.  Antecipavam-se para ajudar toda a sua família: a um de seus filhos, empresário novato do futebol americano, a seu irmão Frei Chico, a seu sobrinho Taiguara e até a seu fiel diretor do Instituto Lula, Paulo Okamoto.

Os Odebrecht afirmam que o usaram como presidente e depois o transformaram no lobista e fetiche do grupo dentro e fora do Brasil. Sustentam que foram eles que organizaram e custearam com centenas de milhões a sucessora Dilma, cuja campanha, diz Marcelo, foi ele quem "inventou", depois de saber antes de qualquer outro que ela seria a indicada por Lula. Queriam um sucessor ao qual Lula pudesse manejar para que eles continuassem mandando no país. Dilma, porém, se mostrou indócil, uma espécie de cavalo difícil de dominar, mas Lula lhes daria uma mão para domá-la e se manterem fortes com ela na presidência.

Causa um certo desconforto observar como o império Odebrecht usou Lula com sua auréola de ex-presidente mítico para convertê-lo em um logotipo de suas obras. Dá melancolia conhecer hoje a farsa das conferências que o grupo organizava para Lula pelo mundo para que lhes conseguisse obras e financiamento fáceis. Adulavam-no dizendo-lhe que pagariam suas palestras a preço de ouro: 200.000 dólares (620.000 reais), "como o ex-presidente americano Bill Clinton". O que Lula dizia em seus pronunciamentos era o de menos. O importante era que suas conferências levavam a marca da Odebrecht. Hoje ninguém mais chama Lula para falar nem lhe pagam por isso.

A Odebrecht também contou aos promotores que lhe concedeu, sob a designação de "o amigo", uma conta secreta da qual podia sacar dinheiro vivo, que era entregue em mochilas. Dizem que era uma conta de 30 milhões de dólares (93 milhões de reais). Se for comparada, porém, com os cerca de três bilhões (9,3 bilhões de reais) que a Odebrecht distribuiu entre os políticos de todos os partidos, aquela conta de Lula se parece mais com os cofrinhos que os pais vão enchendo de moedas para seus filhinhos. Em vista de tudo isso, ante a instrumentalização que a Odebrecht vem fazendo de Lula há quase 50 anos, fazendo dele também "o cavaleiro da triste figura", quase se chega a sentir compaixão. Dá vontade de exclamar: "Pobre Lula, quixote, em que te transformaram!".

Extraído da Coluna do Juan Arias - El País

Viver é Perigoso


ONDE MORA O PERIGO



O perigo torna-se real e a situação foge do controle, quando o político começa a acreditar no que ele mesmo fala.

John Chair

Viver é Perigoso

MOÇA BONITA


Todo dia é dia do Índio. Verdadeiros donos das terras das Américas.

Viver é Perigoso

AGUARDEM O DEPOIMENTO


Viver é Perigoso

SERIA PREOCUPANTE


"Dos 68 bairros de Itajubá o mais sujo é o do BPS."

Prefeito Municipal 

Afirmação feita de bate-pronto pelo Senhor Prefeito Municipal, na última segunda-feira, na emissora aliada, JovemFM.

Seria preocupante, uma vez que, a maioria das Clínicas Médicas da Cidade e requintados restaurantes estão localizadas no importante e recente (para a história de Itajubá) bairro.

Seria preocupante, lembrar que, exceto que se vá pela Rodovia Itajubá-Maria da Fé, quem se dirigir ao Centro Administrativo, Lago e Teatro Municipal, Universidade Federal, têm que atravessar o Bairro mais sujo da cidade.

Nada preocupante, ao lembrar que o Presidente da Associação dos Moradores do BPS é o Vereador Marcelo Krauss, atualmente na mira do Executivo local, simplesmente, por atuar como Vereador, o que segundo antigas orientações segue sendo proibido.

Como atiram com espingarda calibre 12, dois canos e chumbo fino, também chamada na Boa Vista, é claro, de "espaiadeira", sobra chumbinho para todo mundo.

Viver é Perigoso